IBGE e IGP-DI são destaque, mas semana passa pouco agitada

A última semana foi pouco agitada em termos de indicadores, com os principais destaques ficando por conta das vendas no varejo de agosto (IBGE) e do IGP-DI (FGV) referente ao mês de setembro.

No lado da atividade econômica, as vendas no varejo de agosto decepcionaram as expectativas de mercado, além de terem mostrado uma abertura desanimadora (as vendas no varejo se dividem em “varejo restrito” e “varejo ampliado”). As vendas no varejo restrito recuaram 0,5% m/m (+3,6% a/a), enquanto as vendas no conceito ampliado (que inclui veículos e materiais de construção) avançaram apenas 0,1% m/m (+7,6% a/a). Apesar do resultado desapontador nesta divulgação, os números não desfazem o cenário geral de recuperação das vendas, com setores importantes como móveis e eletrodomésticos, veículos e materiais de construção apresentando melhora desde o final de 2016, impulsionando o resultado agregado.

No tocante ao cenário de inflação, o IGP-DI avançou 0,62% m/m em setembro, acima do resultado de agosto (0,24% m/m). Olhando para o índice de preços por atacado, combustíveis, milho e bovinos foram determinantes na aceleração do índice. No lado do consumidor, foi registrada uma ligeira deflação (-0,02% m/m), significando uma desaceleração ante o resultado do mês anterior (+0,13% m/m). A deflação nos alimentos continuou sendo a principal explicação para o baixo patamar do IGP-DI, cujo resultado acumulado em 12 meses continuou em território negativo (-1,04% a/a). Para outubro, esperamos que combustíveis e os preços agrícolas continuem sendo as principais pressões altistas.

Deixe seu comentário 0