Cenário Macro: dados de atividade e IGP-10

Dados de atividade decepcionaram na última semana

Os dados de atividade econômica do mês de maio, divulgados na última semana, decepcionaram, mas o cenário de curto prazo ainda é de estabilização. O IBC-Br, indicador mensal de atividade do Banco Central, caiu 0,5% ao mês (+ 1,4% ao ano). Em maio, a economia foi impulsionada pela indústria (+ 0,8% ao mês) e por serviços excluindo o varejo (+ 0,1% ao mês), mas o varejo (-0,7% ao mês) e a produção agrícola (-2,0% ao mês, de acordo com nossos cálculos) mostraram uma piora. Olhando para frente, o fim do impulso ao consumo proveniente dos saques das contas inativas do FGTS e a piora do cenário político continuam sendo motivos de preocupação. Em junho, esperamos que o IBC avance em relação ao mês anterior (~ 0,4% ao mês).

IBC-Br ano a ano (fonte: BC e BTG Pactual)

IBC-BR, com ajuste sazonal (2002=100)

IGP-10 segue em deflação

O IGP-10 de julho veio em -0,84% m/m, em deflação menos intensa do que esperado pelo mercado (-0,89% m/m). Mas ainda foi uma queda maior do que no mês anterior (-0,62% m/m), e muito distante da inflação usual para essa época do ano (+1,06%, por exemplo, no mesmo mês de 2016). No acumulado em 12 meses, o IGP-10 caiu 1,79%, em movimento espalhado por seus principais componentes (com ajuda especial dos preços de alimentos no atacado). No curto prazo, o cenário para o IGP segue benigno, dado o bom comportamento da taxa de câmbio (apesar dos choques políticos) e dos alimentos (para os padrões sazonais), e com combustíveis em queda. Nossa expectativa para o IGP-M de julho está em -0,65% m/m, o que trará a inflação acumulada em 12 meses a -1,6% (vindo de -0,8% em junho). Nossa expectativa para o IGP-M de 2017 é de +0,0%.

Deixe seu comentário 0