Aços: Demanda sobe, mas ainda sem rumo definido

Os dados da indústria de aços no Brasil, apresentados pelo Instituto Aço Brasil (IaBr), mostraram um aumento maior no consumo de aços planos, aumento de 22% ao mês e 9% ao ano, em relação aos longos, 7% ao mês e -8% ao ano. A demanda aparente também se mostrou mais forte do que a doméstica, com 9% ao ano e 3% ao ano respectivamente.

E agora?

A demanda aparente representa a demanda doméstica (=produção doméstica) mais o volume de importação menos o volume de exportação. Com a demanda doméstica crescendo a taxas menores que a aparente, podemos verificar um crescimento maior no volume de aços importados e uma ameaça à produção interna mesmo com a depreciação do câmbio. Existe ainda uma tendência de crescimento mais forte da demanda de produtos voltados para a indústria automotiva (aumento na produção de planos maior que a de longos) do que na construção civil.

Deixe seu comentário 0