Renda Variável

O que são dividendos e como ganhar dinheiro com eles?

O investimento em ações é conhecido como uma possibilidade para ganhar dinheiro no longo prazo, ainda mais investindo naquelas que pagam bons dividendos ao investidor, estratégia pouco explorada. Para começo de conversa, para entender essa estratégia, é preciso saber o que são dividendos e como é possível lucrar com eles no longo prazo.

Neste artigo, a ideia é explicarmos um pouco mais para você os seguintes pontos:

  • O que são dividendos e como eles são pagos?
  • Vantagens de investir em boas pagadoras de dividendos
  • Reinvestimento de dividendos
  • Como fazer uma carteira com boas pagadoras de dividendos
  • Tipos de Dividendos
  • Como calcular dividendos?
  • Datas de dividendos
  • Impostos para aplicar em dividendos
  • Conclusão

O que são dividendos e como eles são pagos?

Dividendos são parcelas do lucro apurado de uma sociedade anônima, distribuídos na forma de remuneração aos acionistas, por ocasião do encerramento do exercício social. Essa remuneração pode ser paga na forma de dinheiro, ações ou direitos de propriedades, de maneira anual, semestral, trimestral ou até mesmo mensal, de maneira menos comum, dependendo do estatuto de cada empresa, pago proporcionalmente pela quantidade de ações do investidor, atraindo novos investidores as companhias.

No Brasil, existe a obrigatoriedade de que empresas de capital aberto paguem ao menos 25% de seu lucro líquido do exercício na forma de dividendos para seus acionistas. Isso faz com que essa seja uma forma de remuneração bastante comum no país. Apesar desse patamar mínimo estabelecido em lei, existem casos de companhias que pagam percentuais superiores de seus lucros líquidos em dividendos, ou mesmo que vão aumentando esse percentual ao longo dos anos. A quantidade de dividendos paga a cada acionista dependerá da quantidade de ações que ele deter, sendo um pagamento proporcional por ação.

Vantagens de investir em boas pagadoras de dividendos?

O mercado de ações tende a, no longo prazo, se valorizar constantemente, trazendo potenciais ganhos para quem fizer uma estratégia adequada, dentro do seu perfil de risco, e que consiga entregar resultados consistentes. Assim, ao aplicar em empresas que pagam bons dividendos, o investidor irá apostar  em uma estratégia duplamente vencedora, uma vez que terá a possibilidade de lucrar com o valor recebido em dividendos.

Adicionalmente, outra vantagem dessa estratégia é que os dividendos são uma remuneração ao acionista totalmente isenta da cobrança de imposto de renda para a pessoa física, pois a empresa efetua a dedução do Imposto de Renda antes de distribuir os lucros. Os valores recebidos pelo investidor, nesse caso, são líquidos e podem ser utilizados sem nenhum tipo de dedução fiscal.

Reinvestindo seus dividendos

Os acionistas podem, ainda, aderir a Planos de Reinvestimento dos Dividendos oferecidos por algumas empresas que autorizam o reinvestimento automático dos dividendos recebidos na compra de ações ou frações de ações adicionais na mesma data de pagamento dos lucros.

Essa é uma maneira de fazer seu patrimônio crescer investindo em ações, sendo recomendado por grandes investidores, como Luiz Barsi, por exemplo. Mesmo que o investidor não faça essa adesão automática, ele pode usar esse dinheiro para aplicar em outras ações também, a ideia é sempre ir colocando mais dinheiro para investir.

Como fazer uma carteira de boas pagadoras de dividendos?

É claro que não existe um formato fechado de como investir em uma boa carteira de dividendos, mas é possível pensar em alguns pontos bastante importantes nesse caso. O primeiro deles, é claro, é ter sua conta aberta no BTG Pactual digital e, com isso, poder acessar o mercado de ações em uma excelente plataforma de investimentos.

Na hora de escolher as ações, é preciso saber operar no mercado, inclusive verificando se isso se alinha com seu perfil de risco e se é um investimento que faz sentido para seus objetivos. Ao investir em ações, especialmente quando se pensa em dividendos, é crucial ter uma visão de mais longo prazo, não aderindo a tendências imediatistas de mercado. Ao escolher as boas pagadoras de dividendos, também é crucial checar seu dividend yield, na sequência falaremos um pouco mais sobre o que é este termo e como calculá-lo.

Tipos de dividendos

Os dividendos são uma remuneração bastante comum no mercado de ações no Brasil e, com isso, existem alguns tipos especiais de pagamento aos acionistas. Confira a seguir alguns deles:

Bonificação: quando é feito um pagamento extra na forma de ações para o acionista, conforme o número de ações que o investidor já possui.

Dividendo especial extraordinário: que é pago geralmente por conta de motivos inesperados, como um aumento de caixa da companhia, por exemplo.

Juros sobre capital próprio: é uma remuneração bastante semelhante ao dividendo comum pago ao investidor, trazendo alterações  na contabilidade da empresa e não é uma remuneração isenta de impostos.

Como calcular dividendos?

Para calcular os dividendos pagos por ação e entender se a Companhia é uma boa pagadora de seus rendimentos, existe um múltiplo chamado dividend yield, que é um cálculo composto da divisão do valor da ação da Companhia sobre a quantidade de dividendos pagos por ela em determinado período.

Digamos, por exemplo, que as ações de uma empresa valem R$ 100 e, naquele ano, ela distribuiu aos seus acionistas R$ 7 por ação em dividendos. Na prática, quem tiver 100 ações dessa empresa terá recebido R$ 700 em dividendos e o dividend yield será de 7%.

Datas importantes para investir em dividendos
Na hora de investir em ações boas pagadoras de dividendos, existem algumas datas que são especiais e que o investidor deve ficar atento:

Anúncio: A data de anúncio é quando uma empresa avisa ao mercado que fará o pagamento de dividendos. Nessa data, é avisado o valor da remuneração que será paga por acionista e, também, a data em que isso acontecerá.

Ex: A data Ex é a data que será usada como referência para o pagamento dos proventos. Então só os acionistas que tenham posição nesse período terão direito a receber os dividendos que serão pagos.

Pagamento: A data de pagamento é quando os dividendos são efetivamente creditados para o investidor.

Ficou confuso? Imagine que a companhia X anuncia no dia 23 de maio que pagará R$ 1 por ação em dividendos para seus acionistas referentes às posições do dia 1 de junho e que esse pagamento acontecerá no dia 10 de junho. Nesse caso, essas seriam as datas:

Data de AnúncioData ExData de Pagamento
23 de Maio1 de junho10 de junho

Impostos para aplicar em dividendos
Os dividendos são uma fonte de renda isenta de tributação de Imposto de Renda, o que faz com que a estratégia de aplicar em boas pagadoras desse tipo de remuneração se torne mais apelativa.

Os custos fiscais, nesse caso, ficam mais sobre o investimento em ações, os quais são taxados para a pessoa física para vendas no mercado à vista que excederem R$ 20 mil por mês, sendo que a cobrança é de 15% sobre o lucro do investidor, descontadas taxas e corretagem.

Porém operações de Day Trade, quando a compra e a venda são feitas no mesmo dia, por sua vez, são taxadas em 20% sobre o lucro, sendo que o Imposto de Renda é calculado de maneira mensal e seu pagamento precisa ser feito até, no máximo, o último dia útil do mês.

Conclusão
O investimento em boas pagadoras de dividendos é uma estratégia muito tradicional para quem busca entrar no mundo de ações, ainda que não seja tão explorada, e, para fazer isso, é preciso buscar uma boa plataforma de investimento em ações, como é o caso do Home Broker do BTG Pactual digital, que conta com tecnologia de ponta para realizar as ordens de investimento e a corretagem regressiva,  uma estratégia de cobrança onde quanto mais o investidor opera, menos taxa de corretagem ele paga.

Por fim, aqui todos os investidores contam com uma assessoria padrão BTG para ajudá-los a alcançar os objetivos de vida que sejam mais adequados para o seu perfil e para os seus objetivos.

Deixe seu comentário 21

  1. Vocês tem carteiras de dividendos comprovadamente boas? Me enviem um prospecto para eu entender taxas, custos efetivos etc., por favor.

  2. Gostaria de receber mais detalhes e informações se houver uma carteira de ações que tem este histórico de boas pagadoras de dividendos!!

  3. Vocês tem carteiras de dividendos comprovadamente boas? Me enviem um prospecto para eu entender taxas, custos efetivos etc., por favor. Também gostaria de entender como aplicar neste seguimento!

  4. Gostaria que me indicassem algumas empresas com o perfil consolidado e quem vêm pagando dividendo nos últimos anos.

  5. Vcs tem tantos e tão bons analistas, e nem para indicar uma carteira com pelo menos 5 bons pagadores do último ano pelo menos!!!

    1. Luis, tudo bem? Pediremos para alguém de nosa equipe entrar em contato para ajudá-lo, pode ser? Estamos à disposição.

    1. Olá, Marilza, tudo bem? Alguém de nossa equipe entrará em contato para ajudá-la. Estamos à disposição!

    1. Jacinto, tudo bem? Alguém de nossa equipe entrará em contato via e-mail para passar as orientações.

  6. Sou cliente do BTG e acho o atendimento ótimo. O home broker é bem intuitivo.

  7. Bom dia, tenho as mesmas dúvidas em relação, a uma carteira, taxas e custos finais.
    A maior dúvida com quanto é necessário para começar????

    1. Claudia, tudo bem? Pediremos para alguém de nossa equipe entrar em contato e tirar suas dúvidas, ok? Estamos à disposição!

    1. Daniel, entraremos em contato via e-mail para passar mais informações. Estamos à disposição!

Posts relacionados

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima