Renda Fixa

O que é a inflação e como ela impacta nos seus investimentos?

Olá investidor,

Quando acompanhamos o noticiário econômico, é natural nos depararmos com uma série de termos que, muitas vezes, não temos conhecimento ou não sabemos muito bem que diferença eles fazem realmente em nossas vidas. Um dos mais falados e que mais impactam nosso cotidiano é a inflação. Mas o que significa, de fato, esta palavra?

O que é a Inflação?

Inflação pode ser definida, em termos gerais, como o aumento de preços. Quando vamos ao supermercado em janeiro e compramos nosso saco de arroz, de feijão e açúcar por R$ 50, e no mês seguinte os mesmos produtos estão custando R$ 55 podemos dizer que essa cesta de alimentos sofreu uma inflação de 10% ou R$ 5.

Como medir a inflação?

Existe um índice que mede percentualmente a evolução da inflação: o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo). A determinação do IPCA é feita com base em cálculos do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O IPCA baseia-se na evolução dos preços de produtos comuns a cesta da maioria das famílias brasileiras, em diversas cidades do país. Não entram na conta apenas alimentos e produtos do cotidiano, mas também itens como energia e outros serviços estão presentes no índice. Os números extraídos no IPCA sinalizam para onde a inflação está caminhando.

História da inflação no Brasil

A inflação marcou diferentes momentos da história brasileira, e criou inúmeras feridas. Uma das mais conhecidas teve seu auge no começo da década de 1990, decorrente de um gasto desenfreado do Governo nos anos anteriores, o país contraiu dívidas com países estrangeiros para sustentar seu desenvolvimento. Em um dado momento, os credores do país trouxeram a obrigação de iniciar um processo de corte de gastos.

Com o intuito de reduzir o rombo nas contas públicas, o Governo procurou cortar os gastos reduzindo investimentos. Com menos investimentos o país entrava em recessão, em uma resposta defensiva, as empresas aumentavam os preços dos produtos, para aumentar sua arrecadação. “Aumento dos preços continuamente e de maneira exponencial”, é a definição de hiperinflação, um grau agravado da inflação. O problema começou a ser resolvido no meio da década de 90 com a implementação do Plano Real, durante o Governo de Itamar Franco, que contou em sua equipe econômica com nomes como Fernando Henrique Cardoso e Pérsio Arida.

Como a inflação deve ser considerada nos meus investimentos?  

A inflação deve ser levada em conta em todo rendimento de suas aplicações. Veja esse exemplo: você quer comprar uma televisão que custa R$ 1.000, mas ao invés de comprar hoje, você aplicou esse dinheiro. Um ano depois, você teve um rendimento de 10% e resgatou um valor de R$ 1.100. Ao mesmo tempo essa mesma televisão, 1 ano depois, está custando R$ 1.060. A lógica é simples! Você ganhou R$ 100 de aplicação, mas ao mesmo tempo comprou um produto R$ 60 mais caro. Dizemos que você teve um ganho real quando o percentual que você ganhou na aplicação (10%) é superior ao percentual que o preço do produto variou positivamente (6%). No nosso exemplo o ganho real foi de 4%, a inflação foi de 6%, e o retorno nominal da aplicação de 10%.

Como se proteger da inflação?

Investir seu dinheiro é o primeiro passo para proteger seu patrimônio do avanço dos preços e garantir que se mantenha um bom poder de compra ao longo do tempo. Afinal de contas, encontrando bons produtos, existe a possibilidade do seu dinheiro render mais que a inflação. Existem, ainda, produtos que acompanham diretamente o IPCA e trazem rentabilidade definida no momento de compra acima desse índice, como é o caso do Tesouro IPCA+, título do Tesouro Direto, programa de compra e venda de títulos públicos do governo federal, e as debêntures incentivadas, por exemplo.

Leonardo Covello

Leonardo Covello:

Leonardo Covello é formado em Relações Internacionais pela Universidade de São Paulo (USP), com parte de sua graduação realizada na Universidade St. Gallen, Suíça. Trabalhou no RI do Itaú e na corretora da Goldman Sachs. Hoje é assessor de Investimentos do BTG Pactual digital

Posts relacionados

Deixe seu comentário 6

    1. Arthur, tudo bem?

      O Tesouro IPCA+ pode ser uma excelente opção para se proteger da inflação!

  1. Muito bom o artigo e explicação de como a inflação afeta nas nossas compras. Podemos concluir que devemos procurar produtos atrelados a inflação (uma taxa mais inflação) ou acima de 100% do CDI (ganho que supera a inflação).

    1. Que bom, que gostou, Gildo. Alguém de nossa equipe entrará em contato para ajudá-lo.

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima