Investimentos

O que fazer com o valor liberado para saque do FGTS?

Uma nova medida do governo para estimular a economia pelo lado da demanda foi a recente decisão em liberar o saque do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). Com mais dinheiro em circulação espera-se que o consumidor volte a comprar e isso faça a roda da economia voltar a girar, movimento que não tem sido retomado desde o ponto mais alto da crise que vivemos.

Entretanto, nem tudo são gastos. O consumidor precavido pode usar esse dinheiro como uma forma de poupar hoje para ter um poder de compra maior no futuro. Mas, onde aplicar esse valor?

Antes de tudo devemos avaliar a razão de não deixar na conta corrente ou na poupança.

Por que não deixar o FGTS parado em conta?

FGTS em Conta Corrente

Um importante conceito antes de falarmos da Conta Corrente é a inflação. Categoricamente definida como o aumento generalizado dos preços, a inflação nada mais é que ir ao mercado e comprar um produto por 500 reais, voltar e ano depois e ele estar custando 550.

Na conta corrente o valor resgatado do FGTS não irá mudar, se você sacar 500 reais, por exemplo, eles permanecerão valendo 500 reais em 1 ano. Mas, os preços dos produtos por sua vez mudam, isso é o que chamamos de perda de poder de compra. Quando deixamos nosso dinheiro em conta corrente ele não trabalha para gente, mas a inflação segue reduzindo o seu poder de compra. Um passo que normalmente as pessoas tomam é alocar esses valores na poupança, mas será que é a melhor decisão?

FGTS parado em conta Poupança

Melhor que deixar parado da conta corrente com certeza é aplicar na poupança, o que não necessariamente quer dizer ser a melhor opção. Você sabe como a poupança tem remunerado hoje?

Nos atuais níveis de taxa de juros, a poupança remunera 70% da taxa SELIC + TR, ou seja, sequer paga o valor total da SELIC, ou na notação que usamos, 100% do CDI. Um passo seguinte a essa opção de investimentos são as letras do Tesouro.

Saque do FGTS: alternativas para investir o valor retirado

Já que tanto a conta corrente como a poupança não são as formas mais rentáveis de investir o valor de saque do FGTS, qual seria uma alternativa mais rentável e segura para investir? Neste caso, uma modalidade de investimento que pode ser considerada é o Tesouro Direto. Abaixo, explicarei melhor sobre as modalidades disponíveis.

Tesouro Direto

O Tesouro Direto possui 3 formas básicas de remuneração:

  1. PréFixadas
  2. Atreladas ao IPCA
  3. Atreladas à Selic

1. Tesouro Pré-fixado

No momento que você adquire um título do Tesouro Nacional pré-fixado você decide aceitar uma taxa acordada previamente que irá remunerar o seu investimento até o vencimento. Você pode liquidar esse valor antes, mas estará sujeito às oscilações do mercado.

O título é de maneira geral, mais recomendado em cenários de taxa de juros em alta com expectativa que ela caia. O racional por trás é que o investidor “garante” a sua rentabilidade quando a Selic está elevada, e, depois, mesmo que haja um corte, você vai receber a rentabilidade acordada quando ela ainda estava em alta.

2. Tesouro IPCA

Essa modalidade garante o ganho real, ou seja, aquele valor remunerado acima da inflação. Isso ocorre porque o papel possui uma taxa pré-fixada acordada no momento da aplicação e uma pós fixada, que irá seguir o índice de preços oficial do mercado, o IPCA. Mais recomendado para quando existe a expectativa no aumento da inflação, dessa forma o investidor protege seu patrimônio além de ter ganho no seu poder aquisitivo.

3. Tesouro Selic

Por último temos o Tesouro Selic.Nele o investidor não sabe qual será a sua rentabilidade no final do período, uma vez que é pós fixado. A remuneração dependerá da variação da Selic, portanto se a taxa básica da economia sobe a tendência é que a remuneração seja maior. O produto irá remunerar 100% da Selic, ou em notações do mercado 100% do CDI (lembrando que a poupança remunerará 70%+TR).

O título, portanto, é mais indicado em caso de expectativa de alta da taxa de juros.

Se você vai realizar o saque do FGTS, não se esqueça que independentemente do valor sacado, ele deve ser usado com sabedoria. Atente-se para tomar boas decisões.

Comece a investir. Abra sua conta pelo App, sem taxa de manutenção.

 

Leonardo Covello

Leonardo Covello:

Leonardo Covello é formado em Relações Internacionais pela Universidade de São Paulo (USP), com parte de sua graduação realizada na Universidade St. Gallen, Suíça. Trabalhou no RI do Itaú e na corretora da Goldman Sachs. Hoje é assessor de Investimentos do BTG Pactual digital.

 

Posts relacionados

Deixe seu comentário 0

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima