Investimentos

Investimentos com Liquidez Diária

 

Se você está procurando por investimentos com liquidez diária, está no caminho para valorizar de fato o seu dinheiro.

Antes de comprar títulos longos e possivelmente mais atraentes, é recomendável que você se proteja no curto prazo, com ativos que possam ser convertidos em dinheiro rapidamente e, de preferência, sem perda de valor.

Esse colchão de liquidez vai blindá-lo em qualquer emergência e vai oferecer os recursos para gastos extraordinários que não estiverem previstos no seu planejamento.

Neste artigo, você vai aprender mais sobre os seguintes tópicos:

  • O que é liquidez na prática e por que é imprescindível entender esse conceito
  • Como fazer um diagnóstico financeiro para definir seus futuros investimentos
  • Quais aplicações oferecem liquidez diária
  • Quais investimentos possibilitam resgates no curto prazo
  • Por que é recomendável que a poupança seja evitada
  • Como o perfil do investidor define sua tolerância ao risco.

Gostou desses tópicos e quer entender melhor sobre o assunto? Então, siga a leitura.

O que é liquidez diária?

 

Liquidez diária é a possibilidade de resgatar seu investimento a qualquer momento sem que ele perca valor pela retirada.

Algumas das aplicações que oferecem essa possibilidade são os Fundos DI, a poupança, alguns CDBs (Certificados de Depósito Bancário) e títulos do Tesouro Direto.

Para você entender a importância da liquidez, basta pensar em um imóvel.

Trata-se de um dos investimentos menos líquidos, especialmente em períodos de instabilidade econômica e retração do mercado imobiliário.

Digamos que você tenha um apartamento no valor de R$ 300.000,00 e precise de uma quantidade de dinheiro para alguma emergência.

Se você não dispuser de dinheiro em conta ou outros investimentos mais líquidos, terá que colocar seu apartamento à venda para buscar esses recursos.

E se já tentou vender imóveis quando necessita de dinheiro, sabe do que estamos falando: não é uma experiência agradável.

Essa falta de liquidez aliada à sua necessidade de verba emergencial pode resultar, no fim das contas, em uma venda do apartamento por um valor muito abaixo do que você almejava ou do que ele estava avaliado.

Esse tipo de situação acontece o tempo todo. Neste exato momento, no Brasil, há apartamentos e casas sendo vendidas por até a metade do preço em relação ao início da crise econômica.

Então, para que você nunca precise passar por isso, é essencial entender a importância da liquidez nas aplicações financeiras.

A seguir, vamos compreender melhor como usar esse conhecimento a seu favor e investir com maior consciência.

Vantagem desse tipo de investimento

 

A vantagem de investimentos com liquidez diária é simples e direta: você pode resgatar seu dinheiro no mesmo dia, desde que em dia de expediente bancário e respeitando os horários e restrições do produto ou da instituição, sem que isso implique em perda de valor líquido do investimento.

É importante salientar, porém, que, geralmente, as melhores taxas de retorno não se encontram nas aplicações que podem ser sacadas a qualquer tempo.

Por isso, é necessário aproveitar o benefício desse tipo de investimento sem ignorar as vantagens dos títulos mais longos.

E não é difícil: basta fazer um planejamento adequado de suas finanças.

Para isso, você precisa começar a anotar seus gastos, ser transparente ao anotar rendimentos e evitar a tentação de mirar o maior retorno no menor prazo possível.

A verdadeira riqueza é construída passo a passo, mês a mês, com os olhos no futuro, os pés no chão e uma boa ajuda dos juros compostos, que podem fazer com que aquele pequeno montante mensal guardado valha cada vez mais.

Como planejar investimentos de acordo com a liquidez

 

Agora você já sabe que os melhores rendimentos estão no longo prazo e que você não pode deixar de lado a liquidez diária caso não queira correr riscos em situações de emergência.

Então, o que fazer?

Simples: um diagnóstico de suas finanças atuais e um prognóstico de suas aplicações.

Antes de buscar as melhores aplicações, você deve antes calcular quanto dinheiro tem para investir de fato.

A primeira camada de investimentos deve ser o chamado colchão de liquidez, uma reserva de emergência aplicada em ativos que podem ser resgatados a qualquer momento.

Na segunda camada, você pode alocar dinheiro para um prazo mais curto, a fim de obter recursos para realização de projetos em um ou dois anos.

Mas é na terceira camada que se encontram os melhores retornos: que tem como horizonte o longo prazo, aplicações que devem ser mantidas por um período superior a cinco anos.

Para definir quanto destinar à primeira camada, veja passo a passo como proceder:

  • Use uma planilha ou um bloco de papel
  • Assinale todos os seus gastos em um mês (para ter certeza, comece a registrá-los diariamente)
  • Marque todas as despesas extraordinárias que você vislumbra nos próximos 12 meses
  • Pontue depois todos os seus rendimentos mensais
  • Anote caso houver ganhos extraordinários que você contempla nos próximos meses
  • Recomendamos que você some, pelo menos, o equivalente a um período de quatro a seis meses de seu custo de vida.

Esse simples diagnóstico de suas finanças vai servir de alicerce para os seus investimentos.

É o primeiro passo para investir com inteligência, de olho no longo prazo e sem surpresas no dia a dia.

Agora você vai aplicar esses quatro a seis meses do seu custo de vida em investimentos com maior liquidez, dos quais você possa obter o dinheiro de volta sem percalços.

Depois, com o que sobrar, você poderá analisar o mercado para descobrir retornos ainda melhores.

Além disso, uma sugestão é definir um percentual de seu salário ou rendimento para aplicar todo mês, sem falta.

Em pouco tempo, verá a diferença que essa pequena mudança de atitude terá em sua vida.

Dessa forma, poderá obter ganhos interessantes a qualquer tempo, sem risco de baixa liquidez que comprometa seu fluxo financeiro diário e mensal.

Perfil do investidor

 

Para simplificar as suas decisões ao montar uma carteira, é interessante descobrir qual é o seu perfil de investidor.

Essa é uma divisão básica para definir quais são as aplicações mais apropriadas para cada um, de acordo com critérios como a aversão ao risco.

Cada instituição pode definir os perfis de seus clientes de formas diferentes. No BTG Pactual, os investidores são classificados como: Conservador, Moderado, Balanceado, Crescimento e Sofisticado.

Seu perfil será descoberto depois de responder um questionário informando as suas experiências, conhecimentos de produtos financeiros, sua tolerância a volatilidade e expectativas com seus investimentos.

O seu “apetite de risco” será fundamental na escolha de seus investimentos. No caso de um cliente Conservador, por exemplo, os produtos mais adequados são aqueles que tem baixa volatilidade e alta liquidez.

Já um cliente de perfil de risco Sofisticado poderá ter em sua carteira alguns produtos que tenham maior volatilidade e/ou baixa liquidez. Geralmente, esses investimentos têm maior potencial de valorização, porém também podem perder valor em um curto espaço de tempo.

O ideal é que o investidor oriente seus investimentos mirando no longo prazo, pois muitos desses produtos que tem maior volatilidade poderão ser opções interessantes se o investimento for mantido por um período maior.

Investimentos com liquidez diária

 

Abaixo, confira os principais investimentos com liquidez diária. Alguns deles vão ajudar a compor sua carteira de aplicações inteligente, com horizonte de longo prazo e pés no chão.

Poupança

A poupança é considerada por muitos como o investimento mais líquido possível, já que se pode fazer retiradas a qualquer momento sem perda de valor.

Mas a forma de remuneração da caderneta, que ocorre no aniversário de depósito, uma vez por mês, possibilita que você perca dias ou semanas do rendimento se não sacar na hora correta.

A verdade é que o rendimento da caderneta é tão baixo, que ela pode ser considerada uma aplicação perigosa.

Duvida?

A rentabilidade da poupança compete com a inflação.

Em 2015, a poupança levou a pior nessa briga, e quem manteve o dinheiro por lá viu seu poder de compra reduzido em 2,28%.

Em 2016, a situação foi um pouquinho melhor: retorno real de 1,9% no ano.

Esse cálculo leva em consideração a valorização do investimento no ano e o desconto da variação do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) ao longo do período.

Mesmo assim, é importante entender o cálculo de rentabilidade da poupança, a fim de que você tome a melhor decisão para o seu dinheiro.

Quando a meta da Selic está acima de 8,5%, o rendimento é de 0,5% ao mês mais a variação da Taxa Referencial (de cálculo complexo e pequena diferença na conta).

Quando a Selic cai para 8,5% ou menos, a poupança rende 70% da Selic.

No fim de maio de 2017, a taxa foi cortada de 11,25% para 10,25% ao ano.

A perspectiva atual é que ela seja reduzida gradualmente (em cortes menos bruscos) até o fim do ano, quando pode ficar em um dígito apenas.

Apesar da redução da Selic (que tem impacto em toda a renda fixa), não há horizonte em que a rentabilidade da poupança seja interessante.

Dito isso, é interessante ressaltar a maior vantagem dessa aplicação, que é a segurança de grandes instituições financeiras que estão por trás dela.

Mesmo assim, você verá, a seguir, aplicações que podem ser tão seguras quanto ela, como o CDB, com rendimentos bastante superiores.

CDB

O CDB (Certificado de Depósito Bancário) é um dos títulos com maior rendimento em toda a renda fixa.

Ele nem sempre traz a liquidez diária, então é bom ficar de olho. Muitos títulos desse tipo oferecem resgate apenas no vencimento, o que exige algum comprometimento de tempo.

Veja algumas das principais características do CDB:

  • O Imposto de Renda em cima dos rendimentos varia conforme a tabela da renda fixa, que começa em 22,5% (para aplicações inferiores a 180 dias) e cai para 15% (para investimentos superiores a 720 dias);
  • Para quem mira o curto prazo, é preciso cuidar com a cobrança de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) para investimentos inferiores a 30 dias, que tem alíquota de 96% a 0%, de acordo com o tempo;
  • Aqueles que se sentem confortáveis com a segurança da poupança contam com a proteção do Fundo Garantidor de Crédito, um mecanismo mantido pelas instituições financeiras que banca o pagamento do saldo de até R$ 250 mil, por CPF e por instituição emissora, em caso de quebra do emissor do título;
  • Existem CDBs com vencimentos variados, de um mês a cinco anos;
  • A rentabilidade pode ser definida de três formas: prefixada (taxa fixa de juros ao ano), pós-fixada (taxa atrelada ao CDI) e híbrida (taxa fixa de juros mais a variação do IPCA).

Tesouro Direto

O Tesouro Direto é uma aplicação de renda fixa que pode ser considerada a mais segura do país, já que conta com o aval do Governo Federal, que banca esses títulos públicos do Tesouro Nacional.

Por isso, é uma boa forma de substituir a poupança, já que oferece maior rentabilidade.

A liquidez aqui é diária: você pode vender os títulos a qualquer momento no Tesouro Direto.

O resgate de valores se dá em D+1, que significa um prazo de um dia útil.

O risco aqui, no curto prazo, é que os títulos prefixados e vinculados ao IPCA sofrem marcação a mercado, que apresentam volatilidade ao longo do tempo.

Assim, nesses papéis, não há garantia de que você terá o retorno prometido se você os vender antes do vencimento.

Mas há um título, o Tesouro Selic, que não tem a marcação a mercado e pode ser negociado a qualquer tempo.

Esse tipo de título é completamente vinculado à Selic, a taxa de juros básicos da economia.

Um aumento da Meta Selic aumenta a rentabilidade, e uma redução na meta a desfavorece.

Fundos DI

O Fundo DI é um investimento de liquidez diária que pode substituir com tranquilidade a poupança como um colchão de liquidez para aquela reserva imediata de dinheiro, da qual falamos antes.

Trata-se de um fundo de investimentos que persegue a rentabilidade do CDI (Certificado de Depósito Interbancário, os juros entre bancos, referência em rendimento na renda fixa), em que você deixa o dinheiro a cargo de um gestor.

Esse profissional é que define onde colocar os seus recursos, que vão ser aplicados prioritariamente em títulos públicos.

É importante mencionar que, em um Fundo DI, o Imposto de Renda funciona de maneira diferente, com um elemento, chamado come-cotas, fazendo o recolhimento a cada semestre.

Ações

O mercado de ações também oferece liquidez diária nas negociações de papéis do Ibovespa, o principal índice da bolsa brasileira.

Esse tipo de aplicação, porém, não deve compor aquele fundo de reserva do qual falamos anteriormente, já que apresenta grande oscilação e não há certeza de retornos.

Por isso, é recomendável que o investidor tenha um perfil Sofisticado, ou seja, aquele que entende e aceita que seus investimentos podem sofrer uma variação repentina de valor.

As ações são títulos muito interessantes para o longo prazo. Se você é um investidor que está dando os seus primeiros passos e não estiver disposto a encarar o investimento por mais de cinco anos, fique longe da renda variável, que vai apresentar grande volatilidade e alto risco para quem não tem disciplina e método.

Se está começando a investir e, mesmo assim, busca diversificar seus investimentos com a renda variável, aplique uma parte pequena de seu portfólio, talvez 5% a 10% apenas, no início.

Uma opção para esse início no universo das ações é aplicar em fundos multimercados e de ações, em que você conta com um gestor para alocar seus recursos.

Antes de investir nesses fundos, porém, certifique-se se, além da taxa de administração, esse fundo cobra  taxa de performance quando o benchmark definido é batido. Para saber se essa taxa será cobrada, leia o regulamentos e demais materiais informativos do fundo.

Além disso, nos fundos multimercados, há incidência do come-cotas, o recolhimento do Imposto de Renda a cada seis meses.

Invista com o BTG Pactual digital

 

O BTG Pactual digital é uma instituição financeira sólida e segura, com taxas competitivas e uma equipe de atendimento que poderá te mostrar diferentes opções de investimento aderentes ao seu perfil e explicar as principais características de cada uma delas.

Veja como criar sua conta:

1. Faça o cadastro no site

Acesse o site do BTG Pactual digital, preencha alguns dados e envie comprovante de residência, foto do RG e uma selfie. Aguarde o retorno de nossa equipe por e-mail.

2. Descubra seu perfil de investidor

Depois de aberta a conta, você poderá descobrir qual é o seu perfil de investidor. Assim você vai ter um panorama de qual tipo de investimento se encaixa em seus objetivos e, também, em sua tolerância ao risco.

3. Transfira o dinheiro

Transfira o dinheiro de sua conta bancária para sua conta do BTG Pactual digital.

4. Consulte um dos especialistas do time

Você pode conversar com um especialista do time do BTG Pactual digital para tirar as suas dúvidas sobre os produtos que você tenha interesse.

5. Faça a sua aplicação

Depois de consultar as nossas opções de produtos e tirar eventuais dúvidas com nossos assessores de investimento, faça a sua aplicação.

6. Acompanhe seus investimentos

Monitore diariamente suas posições no site e no aplicativo de smartphone do BTG Pactual digital.

7. Receba relatórios

Receba periodicamente um relatório personalizado com todos os números que interessam, como a rentabilidade de suas aplicações.

Conclusão

 

Como vimos, existem diversas aplicações com liquidez diária nas quais você pode depositar recursos de curto prazo.

Mas é importante não esquecer que os melhores retornos, geralmente, estão no longo prazo, e que é aconselhável que parte do seu portfólio considere aplicações superiores a dois, três, quatro e cinco anos.

Mesmo assim, há espaço para diferentes vencimentos em sua carteira de investimentos.

Gostou das dicas sobre investimentos com liquidez diária? Então abra uma conta no BTG Pactual digital e confira todas as aplicações que se encaixam com seu perfil de investidor.

Deixe seu comentário 1

Posts relacionados

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima