“Gosto de entender o negócio e não apenas olhar os múltiplos”, diz gestor

Escolher boas ações para investir não é tarefa fácil. Afinal de contas, são várias opções no mercado e, muitas vezes, é fácil se perder entre elas. Pensando nisso, conversamos com Gustavo Heilberg, sócio fundador e CIO (Chief Investment Officer) da gestora Hix Capital para entender um pouco mais o processo do especialista na hora de escolher em quais papéis investir.

Heilberg comenta que, por já ter experiência direta na gestão de empresas, sempre avalia as ações na bolsa pensando na economia real, em como determinado negócio específico pode trazer resultado ao longo do tempo e pode se expandir. “Gosto de entender o negócio e não apenas olhar os múltiplos de uma ação”, pontua. Com isso, ele consegue até mesmo se proteger um pouco mais em momentos de turbulência.

O gestor explica que, em momentos de mais temor no mercado de ações, como foi no caso da divulgação da delação premiada do empresário Joesley Batista, em maio de 2017, a postura da casa é a de não tomar decisões bruscas, mas aproveitar a chance para elevar posições em empresas que já conheçam bem e que já havia interesse de investir. E da mesma forma ele encara o cenário dos próximos meses, com as eleições dominando a pauta do mercado. “Para nós, a eleição é uma oportunidade. Não vemos o cenário doméstico se deteriorando muito independentemente do resultado e podemos fazer boas alocações”.

Essa postura é o que faz com que em anos piores para o mercado brasileiro, a gestora tenha conseguido se destacar mais positivamente. Desde o início do Hix Capital FIA, em setembro de 2012 até maio de 2018, a performance do fundo é positiva em 111,3%, contra elevação de 34,5% do Ibovespa no mesmo período.

A alocação da gestora é bastante concentrada em poucos ativos, sendo que é mantido um estudo mais próximo com essas companhias. Atualmente, a maior posição do fundo de ações da Hix Capital fica com a geradora de energia Eneva (ENEV3). Heilberg explica que essa escolha é feita uma vez que a empresa ainda pode passar por melhorias cortando alguns custos, mas já conta com uma alta previsibilidade de receitas, com boa parte de seus contratos já atrelados com os movimentos da inflação.

Mesmo havendo uma concentração grande em poucos papéis, o fundo de ações da HIX tem como política não ter mais de 20% de seu patrimônio em um papel e nem chegar a mais de 30% em um único setor. Entre outros posicionamentos na carteira, o gestor ainda aponta a Braskem (BRKM5) e a Vale (VALE3) e comenta que essas companhias atuam em setores de commodities onde o Brasil leva vantagens competitivas relevantes.

Artigos relacionados

Deixe seu comentário 0