Investimentos

Como ficam seus investimentos com mais um corte na Selic?

O Comitê de Política Monetária do Banco Central surpreendeu o mercado ontem ao cortar em 0,75 ponto percentual a taxa Selic. Com isso, o juro básico brasileiro renovou seu menor patamar histórico, passando a 3,00% ao ano.

No comunicado que acompanhou a decisão, o Copom deixou as portas abertas para mais um corte, o que está em linha com a projeção contida no último relatório Focus que aponta a Selic em inéditos 2,75% ao final de 2020.

Cá entre nós, se lá em 2016, quando nossa taxa de juros estava em 14,25%, alguém te dissesse que nos próximos anos ela poderia cair para níveis de países desenvolvidos, você acreditaria?

É possível argumentar que parte dessa queda se deve aos impactos ainda desconhecidos da pandemia do coronavírus na economia, que fez despencar a demanda dos consumidores pela grande maioria dos bens e serviços.

relatorio-coronavirus

De qualquer forma, os anos se passaram e aqui estamos, com um juro real – aquele que desconta a inflação – muito próximo de zero.

Como já disse aqui em outra oportunidade, juros mais baixos costumam ser uma ótima notícia para o país, mas também têm um impacto direto nos seus investimentos.

Isso acontece porque a Selic é a taxa de referência para o rendimento dos títulos do Tesouro Direto, poupança, CDBs, LCIs, LCAs e outras aplicações de renda fixa.

Com o novo corte nos juros, o investidor não perde dinheiro, mas terá uma rentabilidade menor em todas estas modalidades.

Veja o exemplo:

Um fundo DI que cobra taxa de administração de 1% e que rendia o mesmo 1% líquido ao mês na época em que a Selic estava em 14,25%, hoje rende cerca de apenas 0,25%, superando por pouco a caderneta e ficando levemente acima da inflação.

Você pode se perguntar então se existe algum tipo de investimento que se beneficia dos sucessivos cortes de juros. A resposta é sim, e está na renda variável. Ao menos em teoria.

Em condições normais, a medida ajuda a reduzir os custos dos empréstimos e, consequentemente, incentiva o consumo e novos investimentos, o que costuma ser boa notícia para boa parte das ações listadas na B3.

O problema é que hoje não vivemos em condições normais. Enfrentamos um inesperado surto de um vírus que vem dizimando vidas e comprometendo qualquer possibilidade de crescimento da economia em 2020.

Para se ter uma ideia, enquanto as projeções do relatório Focus apontam para uma queda de 3,76% do PIB brasileiro neste ano, já há especialistas falando em uma retração de até 7%.

Chances de uma recuperação mais robusta das ações

Com o fechamento do comércio de serviços não essenciais por conta do combate à Covid-19, a demanda de muitas empresas que negociam ações na Bolsa despencou, o que já pode ser observado a partir dos balanços bem mais fracos referentes ao primeiro trimestre.

O resultado prático disso, de modo geral, é reduzir as chances de uma recuperação mais robusta das ações no curto e médio prazo, depois da queda de mais de 30% do Ibovespa desde o pico registrado no início do ano.

Por outro lado, isto não significa que não existam boas oportunidades disponíveis não só na B3, mas em todo o mercado de capitais brasileiro.

Significa apenas que, em meio a este novo e inédito cenário, o investidor deve garimpar melhor os ativos visando a montagem de uma carteira diversificada e balanceada, alinhada aos seus objetivos financeiros.

Nossa missão aqui no BTG Pactual digital é ajudá-lo neste processo.

Tenha em mente apenas que investir é, antes de mais nada, um processo que requer paciência e disciplina. Evite entrar em pânico por conta de prejuízos momentâneos.

A parte boa da travessia em tempos de volatilidade acima da média é que, se feita de forma adequada, te leva a um lugar maravilhoso!

Para saber mais, assista a live especial que aconteceu ontem em nosso canal do YouTube onde alguns de nossos especialistas comentaram os possíveis desdobramentos da decisão do Copom.

Gabriel Casonato

Gabriel Casonato:

Formado em Administração com habilitação em Comércio Exterior pela Universidade Mackenzie, Gabriel Casonato foi sócio da maior publicadora de conteúdos de investimentos do Brasil. Hoje, é analista CNPI do BTG Pactual digital.

Posts relacionados

Deixe seu comentário 0

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima