Investimentos

CDB ou Tesouro Direto? Descubra qual investimento rende mais

cdb-tesuro-direto-qual-investimento-rende-mais-btg-pactual

Em dúvida se investe em CDB ou Tesouro Direto? Essas são duas aplicações muito populares em renda fixa, com excelentes retornos e baixo risco.

Mas para decidir por uma delas, ou por uma combinação de alguns desses títulos, é importante conhecer qual será o melhor destino para o seu dinheiro, quais as principais diferenças entre os papéis e ter a confiança de que está alocando seus recursos da melhor forma para fazer seu dinheiro crescer de forma segura e sustentável.

Para tirar suas dúvidas a respeito de CDB e Tesouro Direto, vamos falar neste artigo sobre os seguintes tópicos:

  • Como é calculada a rentabilidade desses investimentos
  • Comparação de retornos oferecidos
  • O que você precisa saber da terminologia da renda fixa
  • Como é a tributação em CDB e Tesouro Direto
  • Quais são as vantagens e desvantagens de cada um.

Rentabilidade de CDB e Tesouro Direto

cdb-tesouro-direto-rentabilidade-btg-pactual

A rentabilidade do CDB e do Tesouro Direto depende principalmente da Taxa Selic, os juros básicos definidos pelo Banco Central para controlar a inflação ou impulsionar a economia. Mesmo assim, os rendimentos dessas aplicações variam bastante, e não se pode dizer que uma delas seja melhor do que a outra em qualquer cenário.

Antes de entrarmos em detalhes sobre os rendimentos de CDB e Tesouro Direto, é importante conhecer um pouquinho mais sobre três siglas essenciais no universo da renda fixa: IPCA, Selic e CDI.

IPCA

É a sigla que designa o Índice de Preços ao Consumidor Amplo, considerado como a inflação oficial do Brasil.

Nos investimentos, é muito importante saber qual é perspectiva para o IPCA, afinal ele representa um patamar mínimo de manutenção do poder de compra.

Se uma aplicação não superar a variação da inflação, ela reduzirá o seu poder de compra em vez de expandi-lo. Por isso, trata-se de um indexador usado em alguns títulos do Tesouro Direto, que pagam juros anuais mais a variação da inflação.

Selic

Esta sigla significa Sistema Especial de Liquidação e Custódia. O nome pode até dar dor de cabeça, mas não precisamos complicar a história mais do que o necessário.

O que você precisa saber é que Selic são os juros básicos da economia, regidos pelo Comitê de Política Monetária do Banco Central para controlar o crédito e a inflação.

Essa taxa tem impacto direto nos juros da renda fixa, como você vai perceber ao entender no próximo tópico.

CDI

Esta sigla se refere a Certificado de Depósito Interbancário. Mais uma vez, vamos simplificar: CDI é a taxa de empréstimos que os bancos tomam entre si diariamente para fechar o caixa. É utilizada como referência de rentabilidade em muitos investimentos.

Se você já leu que tal aplicação “rende X% do CDI”, agora sabe do que estão falando. Como o CDI varia diariamente, você pode consultar a taxa de um período específico na Calculadora do Cidadão, do Banco Central, ou simplesmente lembrar que o juro fica sempre bem próximo à Taxa Selic.

Já está mais confortável para utilizar esses termos?

Se necessário, leia novamente os parágrafos acima ou busque mais informações sobre esses assuntos.

Eles são a chave para entender o mínimo de economia e construir um planejamento financeiro sustentável.

Como você viu acima, a rentabilidade do CDB e do Tesouro Direto varia conforme a Selic.

Quando a Selic está em um patamar elevado, os rendimentos de renda fixa são mais altos, já que os juros são maiores.

Na reunião periódica do Comitê de Política Monetária (Copom) de setembro de 2017, a meta da Selic foi definida em 8,25%.

De acordo com os mais recentes relatórios do boletim Focus, as projeções para a Selic ficam em torno de 7,25% no fim de 2017.

Essas projeções revelam uma tendência de curto prazo de rentabilidade menor na renda fixa na comparação com os últimos anos.

Apesar da trajetória de redução, não esqueça que poucos países do mundo oferecem investimentos tão seguros em renda fixa com taxas tão elevadas.

Vamos entender em detalhes como é a rentabilidade do CDB e do Tesouro Direto, para você tomar a melhor decisão de investimento?

CDB

cdb-tesouro-direto-investir-cdb-btg-pactual

A rentabilidade do CDB está entre as melhores da renda fixa. A valorização pode ser prefixada, com um juro anual já definido antes da compra, pós-fixada (atrelada ao CDI) ou híbrida (juro fixo anual mais a variação da inflação).

Pós-fixado

Um CDB pós-fixado é aquele normalmente atrelado ao CDI. Uma aplicação dessas pode ter vencimento em 48 meses, aporte mínimo de R$ 10.000,00 e retorno de 100% do CDI, por exemplo.

Uma descrição assim quer dizer que o capital mínimo para investir nesse título hipotético é de R$ 10.000,00, que a aplicação vai render 100% do índice CDI (bem próximo da Selic) e que, em quatro anos, você receberá todo o valor original mais a valorização de todo o período (antes do Imposto de Renda de 15%, nesse caso).

Prefixado

Um CDB prefixado tem uma taxa fixa de juros ao longo de todo o período até o seu vencimento. Uma aplicação dessas pode ter juros de 10,5% ao ano, vencimento em dois anos e investimento mínimo de R$ 40.000,00, por exemplo.

Esse título hipotético faria o seu dinheiro render 10,5% ao ano por dois anos até o vencimento, quando seria cobrado o Imposto de Renda de 15% (apenas sobre a valorização).

Híbrido

O rendimento híbrido em CDBs é um pouco menos comum e normalmente é associado à inflação.

Nesse tipo de aplicação, existe um juro fixo ao ano (digamos, 5,5%) mais a variação do IPCA.

Consulte o nosso portfólio de produtos.

Tesouro Direto

A rentabilidade do Tesouro Direto também oscila conforme os juros básicos da. Apesar da projeção de queda da Selic nos próximos meses, esse ainda é um ótimo investimento, por oferecer risco muito baixo, diversidade de títulos e alta liquidez.

Para que você possa ter uma ideia de rentabilidade, há títulos do Tesouro direto que pagam a variação da inflação mais juros ao ano. Essa rentabilidade significa uma valorização real antes do Imposto de Renda (de 22,5% a 15% sobre a valorização, dependendo do tempo de aplicação).

Confira: lista de produtos do Tesouro Direto

Segurança

cdb-tesouro-direto-seguranca-btg-pactual

Para quem investe em renda fixa e está decidindo se opta por Tesouro Direto ou CDB, o aspecto da segurança é muito importante. Essas duas aplicações são consideradas seguras, estáveis, confiáveis de baixo perfil de risco.

Mesmo assim, é importante entender o que garante a segurança desses investimentos:

CDB

O CDB é um título emitido pelos bancos e que pode ser distribuído por outros bancos e corretoras. Na prática, você empresta dinheiro para a instituição financeira e recebe juros por isso.

O risco aqui é de uma quebra ou de um calote, certo?

Por isso, é interessante procurar instituições que tenham solidez e um bom histórico. Só que, nessa busca, você vai descobrir que os maiores bancos comerciais nem sempre oferecem bons retornos em investimentos como o CDB.

Então, preste atenção: há uma proteção bastante interessante (e reconhecida) para o investidor, chamada de Fundo Garantidor de Créditos (FGC).

Esse fundo é mantido por aportes mensais das instituições financeiras do país, muito importante para a estabilidade do Sistema Financeiro Nacional.

Trata-se de uma organização não governamental que intervém em caso de interdição ou falência de banco ou corretora.

Para o investidor, o que interessa saber é que qualquer investimento em CDB é bancado por essa organização, até um limite de R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira emissora do título.

Cuidado: esse valor se refere ao investimento inicial mais toda a valorização do período. Ou seja, se a sua projeção da aplicação ultrapassar esse valor, considere a possibilidade de dividir o dinheiro em títulos emitidos por mais de um banco (ou conglomerado financeiro).

Tesouro Direto

O Tesouro Direto é o investimento com o menor risco de crédito do país, pois é um Programa do Tesouro Nacional desenvolvido em parceria com a BM&F Bovespa para venda de títulos públicos federais para pessoas físicas.

Na prática, se você sofrer um calote do Tesouro Nacional, é porque todo o sistema ruiu, incluindo aquele que garantiria o pagamento do CDB.

Vantagens de CDB e Tesouro Direto

cdb-tesouro-direto-vantagens-btg-pactual

Vamos conhecer um pouquinho das vantagens desses investimentos?

CDB

Uma das principais vantagens do CDB é que se trata de um investimento com uma variedade muito grande de títulos, distribuídos em muitas corretoras e muitos bancos diferentes.

Na prática, isso significa que você pode encontrar excelentes retornos nessa aplicação, possivelmente até maiores do que no Tesouro Direto.

Tesouro Direto

Na comparação com o CDB, o Tesouro Direto tem duas vantagens interessantes: ele tem a garantia do próprio Governo Federal (risco muito baixo) e alta liquidez, com a negociação de títulos a qualquer momento antes do vencimento e conversão em dinheiro em apenas um dia útil.

Desvantagens de CDB e Tesouro Direto

cdb-tesouro-direto-desvantagens-btg-pactual

Depois de entender as principais vantagens nessa comparação de títulos, vamos conhecer quais são as desvantagens de CDB e Tesouro Direto.

CDB

Na comparação com o Tesouro Direto, o CDB tem uma desvantagem no que se refere à liquidez na maior parte de seus títulos, que não é diária.

Normalmente, há um prazo que precisa ser respeitado para a negociação do papel, e há algumas opções que não permitem o resgate antes do vencimento.

Nos casos de CDB com liquidez diária, geralmente os rendimentos não são muito altos.

Tesouro Direto

Se você pesquisar com afinco e estiver disposto a sair dos bancos comerciais e daquela conta que você mantém desde criancinha, verá que o Tesouro Direto perde em rentabilidade para muitas opções de CDB. Essa pode ser considerada a principal desvantagem dos papéis do Tesouro.

Além disso, alguns títulos do Tesouro Direto podem apresentar oscilação de seus valores antes do vencimento contratado. Dessa forma, conheça bem os produtos em que vier a investir e administre sua carteira de investimentos para não precisar resgatar um produto e acabar, até mesmo, perdendo dinheiro.

Qual é o Investimento Mínimo?

cdb-tesouro-direto-investimento-minimo-btg-pactual

O investimento mínimo para a aplicação é outro tópico importante ao falar sobre investimentos em renda fixa.

CDB

O investimento mínimo em CDB varia conforme o título e a instituição financeira responsável por oferecê-lo. No BTG Pactual digital, por exemplo, a aplicação mínima é de R$ 10.000,00.

Tesouro Direto

O investimento mínimo em Tesouro Direto se refere a uma fração de 0,01 do título em questão. Em média, já se pode aplicar nesses papéis com valores que partem de apenas R$ 30,00.

Entenda a Tributação

As tributações do Tesouro Direto e do CDB seguem a mesma tabela do Imposto de Renda, cuja alíquota se reduz conforme o tempo de aplicação.

Veja abaixo:

Prazo de AplicaçãoAlíquota IR
Acima de 720 dias15%
Até 180 dias22,5%
De 181 a 360 dias20%
De 361 a 720 dias17,5%

Lembre-se, ao analisar a tabela acima, que a tributação incide apenas sobre o rendimento do investimento, e não sobre o valor total da aplicação.

Exemplo de rentabilidade CDB x Tesouro Direto

Digamos que você não esteja tão preocupado com liquidez e entenda que a proteção do Fundo Garantidor de Crédito é uma garantia confiável. Então, para tomar uma decisão de investimento, basta saber qual título dará mais retorno: CDB ou Tesouro Direto.

Vamos fazer algumas simulações?

Rendimento dos prefixados

Primeiro com dois títulos prefixados hipotéticos:

● Título Tesouro Prefixado 2020 (LTN), com vencimento em 1 de janeiro de 2020, oferece retorno de 9,75% ao ano.

● CDB  com duração de dois anos, vencimento em outubro de 2019, oferece rendimento de 10,3% ao ano.

Para o exemplo, vamos considerar um investimento de R$ 100.000,00, e um período de aplicação de dois anos.

No Tesouro Direto, teríamos valorização de R$ 20.212,50, sobre a qual incidiria um Imposto de Renda de 15%. O resultado final, já subtraindo a tributação, seria de R$ 117.180,63.

É importante lembrar que existe a cobrança de uma taxa de custódia de 0,3% ao ano pela CBLC sobre os papéis, descontada diariamente. Esse desconto não foi feito na nossa simulação.

No CDB, teríamos valorização de R$ 21.652,21, sobre a qual incidiria o Imposto de Renda de 15%. O resultado final, já subtraindo a tributação, seria de R$ 118.404,38. A diferença de valorização em relação ao Tesouro Direto em dois anos de aplicação seria de R$ 1.223,75.

Rendimento dos pós-fixados

Nos pós-fixados, há vários tipos de comparação de rendimentos possíveis. Vamos levar em conta um CDB atrelado ao CDI e um título Tesouro Selic.

  • Título Tesouro Selic 2023 (LFT) com vencimento em 1 de março de 2023, que paga a variação da Selic mais 0,06% ao ano.
  • CDB do BTG Pactual digital com vencimento em 60 meses, taxa de 110,5% do CDI e aplicação mínima de R$ 25.000,00.

A comparação não é tão simples, pois não se sabe como será exatamente a trajetória da Selic ao longo dos próximos cinco anos.

Mesmo assim, nesse caso, é possível colocar lado a lado o potencial de valorização dos dois títulos, um que paga a Selic mais 0,06% ao ano e o outro que oferece 110,5% do CDI.

Como o CDI fica bem próximo da Selic, é possível dizer que o CDB terá um rendimento um pouco superior a cada ano, embora não se possa precisar o quanto.

Invista em CDB com o BTG Pactual digital

cdb-tesouro-direto-exemplo-de-rentabilidade-btg-pactual

Se você se interessou pelos excelentes rendimentos do CDB, a dica é procurar uma instituição financeira sólida, com excelente histórico e um sistema digital prático para a realização de todas as suas aplicações.

Esse é o caso do BTG Pactual digital.

Abaixo, você vai ver como abrir uma conta e começar a fazer seu dinheiro crescer desde já:

1. Preencha seu cadastro

Primeiro, você precisa preencher uma ficha com alguns dados solicitados e enviar foto do seu RG, comprovante de residência e uma selfie. Depois disso, aguarde um retorno por e-mail.

2. Descubra seu perfil de investidor

Depois de aberta sua conta, será o momento de entender qual é o seu perfil de investidor. Em um questionário simples, você vai ter um panorama melhor de qual tipo de CDB ou aplicação de renda fixa se encaixa melhor em suas necessidades e perfil.

3. Transfira o dinheiro

Transfira o dinheiro de sua conta bancária para sua conta do BTG Pactual digital.

4. Consulte um assessor de investimentos

Com o perfil de investimento em mãos e uma boa noção do que você pretende fazer com o seu dinheiro, você vai poder entrar em contato com o time de assessores de investimento do BTG Pactual digital, que vai auxiliá-lo em todos os seus passos nessa nova jornada de investimentos, em CDB e outras aplicações seguras e rentáveis.

5. Acompanhe seus investimentos

Com o BTG Pactual digital, você monitora suas posições no site e no aplicativo de smartphone. Os dados são atualizados diariamente para que você possa sempre tomar as melhores decisões para cuidar do seu.

6. Tenha acesso a relatórios

Todo mês, você terá acesso a relatórios personalizados que lhe darão certeza de quanto seus investimentos estão rendendo.

Conclusão

cdb-tesouro-direto-bons-retornos-grande-seguranca-btg-pactual

Nós vimos que, com uma boa procura e a seleção de uma instituição financeira confiável, o CDB é uma das melhores aplicações em renda fixa.

O rendimento do CDB é bastante competitivo e, em muitos casos, supera o do Tesouro Direto.

Mas não é apenas a rentabilidade do Certificado de Depósito Bancário que atrai novos investidores.

Ele se trata de uma aplicação com o aval do Fundo Garantidor de Créditos, que banca o saldo do investimento até o limite máximo de R$ 250.000,00 por CPF e por instituição financeira emissora.

Dessa forma, você tem a segurança de deixar seu dinheiro em um espaço de valorização e com baixo risco.

Se essa configuração de bons retornos e grande segurança faz sentido para você, é interessante conhecer o BTG Pactual digital, que oferece excelentes opções de CDB prefixados e pós-fixados, com diferentes vencimentos e retornos.

Gostou das dicas sobre CDB e Tesouro Direto? Comente.

Deixe seu comentário 0

ABRA SUA CONTA E COMECE A INVESTIR!

ABRA SUA CONTA
  • Cadastro 100% Online.
  • Sem custo para abertura, manutenção de conta e envio de TED ou DOC.
  • Tire suas dúvidas por telefone, e-mail ou chat com nossos assessores de investimento.

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima