Especiais Finanças

Você sabe o que é o PIX? Conheça o novo sistema de pagamento

Saiba tudo sobre PIX, o novo sistema de pagamentos do Banco Central que todo mundo está falando.

Quem já precisou realizar transferências bancárias ou pagamentos de boletos provavelmente conhece bem algumas restrições nos serviços. Por exemplo, transferir recursos entre contas diferentes só é possível em dias úteis.

Além disso, pagamentos realizados em boletos geralmente levam alguns dias até serem compensados. Tal realidade pode mudar bastante com o advento de uma nova forma de transação no Brasil: o PIX.

O serviço foi divulgado pelo Banco Central em fevereiro de 2020 e deve entrar em vigor até o final do ano. Veja a seguir como ele funciona!

Mas antes, não deixe de cadastrar seu e-mail para receber mais conteúdos como este direto em sua caixa de entrada!


O que é o PIX?

PIX é o nome dado a um novo sistema de pagamentos, que trará alguns elementos de revolução para a rotina dos brasileiros. A tecnologia poderá ser utilizada a partir do dia 16 de novembro de 2020.

De modo geral, a principal diferença é que esse sistema possibilita a liquidação imediata das transações. Isso significa, por exemplo, que você pode receber o dinheiro de uma transferência ou do pagamento de uma conta rapidamente.

Sem o PIX, as transferências entre contas bancárias se dão por meio de TEDs ou DOCs. No caso do TED, quando a movimentação ocorre entre contas do mesmo banco, a liquidação é instantânea. Contudo, não acontece o mesmo com o DOC.

Transferências para uma conta de outro banco só podem acontecer em dias úteis — dentro do horário bancário. Outra desvantagem está nos custos: normalmente, os bancos cobram taxas a mais para realização de DOCs.

Então, o PIX pode funcionar, basicamente, como um TED já funciona – mas com algumas vantagens. A transação acontecerá de forma mais ágil e o dinheiro aparecerá rapidamente na conta. As movimentações podem acontecer tanto entre pessoas físicas ou delas com empresas e também com órgãos do governo.

Fizemos uma live em nosso canal do Youtube sobre o assunto. Assista ao vídeo na íntegra:

Como ele funciona?

Como o PIX pode prometer tanta agilidade ao sistema bancário brasileiro? O que muda com a utilização do PIX? A maior particularidade do novo sistema é que ele não demanda a mediação de instituições financeiras.

O Banco Central será o responsável direto pela liquidação das transações. Assim, diferente do que acontece com os meios tradicionais de pagamento, não será necessário que um banco se comunique com outro para autorizar a movimentação.

Essa diferença básica é a principal responsável por agregar a rapidez ao sistema. Além disso, o PIX também oferece a alternativa de realizar pagamentos por meio da tecnologia — utilizando QR Code a transação se torna mais rápida e segura.

Uma ideia semelhante já está em funcionamento em outros países. Por exemplo, os Estados Unidos têm o Real-time Payment desde 2017. Em uma tradução livre, o sistema significa um “pagamento em tempo real”.

Leia também: Qual é o seu perfil financeiro? Poupador, gastador, financista ou outro da lista?

Quais são as vantagens do PIX?

Ao saber o que é e como funciona o PIX você provavelmente já percebeu alguma das vantagens do sistema, certo? Para reforçá-las, confira a seguir os principais benefícios do PIX para a sua vida financeira!

Sem restrição de horário

O funcionamento do PIX se dá 24 horas por dia durante os 7 dias da semana. Logo, as limitações em relação às transferências entre contas de bancos diferentes não existirão mais para quem optar por usar o novo sistema.

Será possível realizar uma transação a qualquer momento, de forma simples e rápida. Tal vantagem é muito interessante para organização financeira — ela permite, por exemplo, ter maior tranquilidade para lidar com imprevistos que aconteçam fora do horário bancário.

Maior agilidade

Além de funcionar todos os dias da semana, o PIX também proporciona uma velocidade muito maior nas transações. O pagamento de uma compra, cujo boleto leva tradicionalmente alguns dias para ser compensado, poderá ser liquidado de maneira imediata.

O Bacen afirma que as transações acontecerão em um intervalo médio de 10 segundos. Assim, quem recebe o pagamento ou a transferência contará com essa facilidade. Nas formas tradicionais, o tempo é maior — TEDs e DOCs podem demorar até mais de uma hora.

Transferências sem custos

Muitos brasileiros precisam pagar taxas significativas para realizar movimentações bancárias — especialmente se elas forem entre bancos diferentes. Para os clientes pessoa física, o PIX não terá custos, isso mesmo, o PIX será gratuito! Esta é uma determinação dada pelo Bacen. Dessa forma, não será mais preciso arcar com altos custos de TEDs e DOCs, como acontece atualmente.

Já para pessoa jurídica, a regra de cobrança do PIX ainda está em análise.

Segurança

O objetivo do PIX também é proporcionar segurança aos usuários. Uma das estratégias para alcançar o intuito é o uso da tecnologia. Além do pagamento por QR Code, o Banco Central pensa também no uso do reconhecimento facial e da biometria para autorizar transações.

Praticidade

Quem busca praticidade e gosta de utilizar sistemas virtuais para isso certamente ficará satisfeito com o PIX. Como você viu, o PIX será um meio de pagamento ágil e online, diminuindo muito a burocracia do dia a dia e oferecendo mais liberdade.

Dica de leitura: Como reorganizar a vida em tempos de crise | Gustavo Cerbasi

O que muda com o PIX no sistema bancário nacional?

Oferecer um novo sistema de pagamento traz mudanças relevantes para os bancos. Certamente, o uso do PIX diminuirá a demanda por outras formas de pagamento — como transferências, boletos e até mesmo cartão de crédito ou débito.

Logo, os bancos precisarão se adaptar às mudanças. Como falamos, o PIX não demanda a mediação de instituições bancárias e tudo acontece em tempo real. A responsabilidade por administrar a transação é diretamente do Bacen.

Assim, os custos das próprias instituições bancárias também podem diminuir, já que tudo acontecerá de maneira mais rápida e simples. Em relação ao oferecimento dos meios de pagamento tradicionais, será preciso ver como os bancos e outros negócios reagirão ao PIX.

Como utilizar o PIX?

Você achou interessante contar com um novo meio de pagamento para fazer suas transações? Utilizar o PIX poderá ser bastante simples.

Com o PIX, você não irá mais precisar de todos os dados bancários para fazer uma transferência, como ocorre atualmente. Dá até para transferir recursos usando a lista de contatos do seu celular. Tudo será possível por causa da chave PIX.

Cada pessoa pode cadastrar até 5 chaves PIX, todas em um só banco ou em bancos diferentes. Para cadastrar suas chaves, você pode usar:

  • CPF;
  • E-mail;
  • Número de celular;
  • Uma chave aleatória, que você poderá gerar no aplicativo BTG+.

Vale ressaltar que você só pode usar os dados acima como sua chave PIX uma vez. Por exemplo, se você cadastrar seu CPF como chave em um banco, não poderá usá-lo para o PIX em outro banco, sobrando apenas as demais opções.

No aplicativo do BTG+ você poderá cadastrar suas chaves PIX a partir do dia 16/11.

Além de facilitar sua forma de transferir, com o PIX vai ficar mais fácil fazer pagamentos e compras em lojas físicas ou e-commerce, você só precisará escanear um QR Code com a câmera do seu celular.

Como manter a segurança com o PIX?

Com um novo método de pagamento chegando ao mercado, é natural surgirem dúvidas: PIX é seguro? Como se proteger de fraudes com o PIX? Quais cuidados tomar? Como manter a segurança dos dados?

Os cuidados que você deverá adotar na hora de realizar uma transação usando o PIX, deverão ser os mesmos que adota ao fazer qualquer transação financeira, portanto sempre confira os dados do “recebedor” da transação PIX (pagamento ou transferência), seja para uma pessoa ou um estabelecimento.

Veja a seguir, algumas dicas para aproveitar os benefícios do PIX de forma segura:

  • Não acesse links encaminhados por e-mails, postagens em mídias sociais ou SMS provenientes de pessoas e órgãos duvidosos. Sempre desconfie dos links que você recebe;
  • Confira antes o endereço do site em que você está inserindo os seus dados. Se não quer correr riscos, faça o seu cadastro de sua chave PIX no ambiente seguro do seu banco, usando o Internet Banking ou Mobile Banking. Os aplicativos móveis devem ser instalados a partir das lojas oficiais da Apple (Apple Store) e do Google (Play Store);
  • Cuidado com os e-mails ou mensagens de WhatsApp sobre convites de pré-cadastro do PIX. Na dúvida, não passe nenhuma informação;
  • Cuidado com ligações de “supostos funcionários” de bancos oferecendo o cadastramento do PIX ou mesmo oferecendo um serviço de atualização via conexão remota com o argumento de atualizar ou fazer um teste. Na dúvida, desligue e entre em contato com seu Gerente;
  • Não faça transferência ou realize transações para supostamente fazer um teste na sua chave PIX – isso não existe!

Seguindo estas dicas, você manterá a segurança das suas chaves PIX e também dos seus dados, evitando fraudes e golpes que utilizem o novo método de pagamento.

Vale a pena ficar atento às atualizações do Banco Central do Brasil para saber mais sobre o lançamento do PIX. Certamente, ele poderá trazer muita praticidade para a rotina de diversos brasileiros!

E então, o que você pensa sobre o PIX? Deixe sua opinião nos comentários!

Você também pode gostar:

6 dicas essenciais para um controle financeiro pessoal eficiente

Deixe seu comentário 14

    1. Oi, Cleiton! Tudo bem? Através do nosso banco transacional, o BTG+, você poderá utilizar o novo meio de pagamentos instantâneos em transações digitais no Brasil.

    1. Olá, Alberto! Tudo bem? Você já pode receber transferências via PIX em sua conta do BTG Pactual digital, e, caso deseje cadastrar chaves, você pode cadastrar através de nossa mais nova solução financeira, o BTG+, basta entrar em sua área logada e clicar na opção PIX. Qualquer dúvida, entre em contato com a gente, nossa equipe pode lhe ajudar!

    1. Olá, Caio! Tudo bem? O limite diário de PIX para terceiros é de R$10.000,00 e podem ser feitas até 20 transações, desde que não ultrapassem o valor de 10 mil. O limite mensal para terceiros é de R$15.000,00 e pode ser feitos até 60 transações desde que não ultrapassem o valor mensal de 15 mil. Qualquer dúvida, entre em contato com a nossa equipe de atendimento 24hrs, 7 dias por semana. Nosso time pode te ajudar!

    1. Olá, Mariane! Como vai? Você consegue cadastrar suas chaves Pix através de sua conta BTG+ pelo aplicativo clicando na palavra Pix que você pode encontrar na parte superior da área logada. Se ficar alguma dúvida, entre em contato com o nosso time de atendimento, nossa equipe pode te ajudar!

  1. Tenho conta no BTG Pactual Digital, se eu abrir conta no BTG+ as duas contas vão ser vinculadas? ou vou ter que deixar saldo nas duas contas? Por que prefiro deixar no BTG Pactual Digital devido as aplicações na bolsa.

    1. Olá, Adriano! Tudo bem? Apesar das contas serem vinculadas e integradas, são contas diferentes e possuem saldos contabilizados separadamente. No entanto, você consegue transferir valores de uma conta para outra de maneira fácil e ágil utilizando a nossa ferramenta de QuickTransfer.

    1. Olá Adroaldo, tudo bem? Para cadastrar sua chave pix: Clicar na palavra PIX no canto direito do app > Clicar em cadastrar chaves > Escolher qual chave você gostaria de cadastrar e finalizar.

    1. Olá Samir, como vai? Por favor entre em contato com a nossa equipe de atendimento. Assim poderemos te auxiliar da melhor forma.

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima