Destaque Finanças

Como organizar sua vida financeira? Confira 9 dicas essenciais!

Organização é a palavra-chave quando o assunto é ter uma vida financeira mais estável. É comum passarmos por momentos de frustrações, superações, dificuldades e conquistas. No entanto, é importante ter planejamento para equilibrar as suas finanças.

A organização ajuda a diferenciar gastos importantes dos supérfluos e a iniciar os seus investimentos, por exemplo. Dessa forma, você pode reestruturar suas economias e começar a construir patrimônio para realizar seus objetivos.

Neste artigo, você verá 9 dicas essenciais para organizar a sua vida financeira e ter mais tranquilidade no futuro. Confira!

1.Invista em educação financeira

Infelizmente, nem todos os brasileiros tiveram acesso à educação financeira ao longo da vida. Esse conceito vai muito além do que simplesmente falar sobre dinheiro ou preencher uma planilha com os seus gastos. É um conhecimento que nos leva à liberdade financeira.

Ao estudar sobre o assunto, você ganha mais consciência da sua relação com o dinheiro. Pessoas educadas financeiramente passam a fazer escolhas mais conscientes e descobrem que a conquista dos objetivos é mais rápida quando há planejamento.

Assim, a educação financeira ajuda a viver com mais tranquilidade e evitar dívidas, por exemplo — construindo um futuro mais próspero.

2.Organize suas contas pessoais

Organização é um fator essencial para quem pretende desenvolver o controle financeiro. Também é uma das exigências primordiais para um bom planejamento financeiro pessoal.

Existem diversas formas de organizar as contas. Até mesmo um controle financeiro pessoal simples é capaz de garantir bons resultados. Ele pode ser feito com um caderno no qual você anota os valores das receitas e das despesas mensais.

Também é possível usar planilha ou aplicativo. Com as informações registradas, será mais fácil entender com o que você gasta dinheiro. Dependendo da situação, é viável mapear gastos supérfluos e buscar formas de economizar para ter mais recursos disponíveis.

3. Aprenda a economizar

Você faz compras por impulso? Ou prefere esperar e analisar se aquele item que deseja comprar realmente é necessário? Esse é um problema comum na vida de muitas pessoas. Afinal, todo o sistema varejista é programado para incentivar as compras.

As promoções parecem sempre únicas e imperdíveis. Por isso, é importante tentar deixar as emoções de lado e controlar os seus impulsos na hora de comprar.

Você também pode tentar mudar alguns hábitos para economizar. Um exemplo é fazer uma lista de compras de supermercado. Isso evita com que se compre produtos que não precisa ou gaste demais sem perceber.

Para aprender mais sobre finanças e investimentos, cadastre-se em nossa newsletter. Você recebe conteúdos exclusivos e muito importantes para sua jornada diretamente em seu e-mail.


4. Defina objetivos

Muitas pessoas conseguem guardar dinheiro, mas não veem propósito no ato e acabam desistindo da tarefa. O que acontece é que poupar sem ter objetivos definidos não é uma boa estratégia.

É importante que exista uma meta para o dinheiro. O intuito deve ser claro e funcionar como um motivador adicional para você continuar economizando no futuro.

Depois de definir os objetivos, estabeleça prazos para cada um deles. Dependendo do tempo, do seu perfil e das suas necessidades, você deverá alocar as quantias em investimentos diferentes. Eles podem ser mais ou menos arriscados, com menor ou maior potencial de retorno.

5. Monte uma reserva de emergência

Ter uma reserva de emergência é uma forma de estar preparado para imprevistos. Ela representa o dinheiro guardado para continuar suprindo seus gastos e mantendo seu padrão de vida por um determinado tempo, mesmo diante de intempéries.

O dinheiro só deve ser utilizado em situações de imprevistos sérios, como em caso de perda de emprego. O valor que você deve guardar dependerá dos seus gastos mensais — mais um motivo para definir suas despesas com atenção.

Em geral, o recomendado é que você tenha, no mínimo, 6 meses do seu custo de vida disponível. Ao definir o investimento onde o dinheiro será mantido, busque por alternativas que ofereçam segurança e liquidez.

6. Quite suas dívidas

A maioria dos investimentos, especialmente os de baixo risco, tem rentabilidade muito inferior às taxas de juros cobradas pelas dívidas. Como é difícil conseguir rendimentos acima delas, o ideal é que você foque em quitar as dívidas antes mesmo de investir.

A renegociação das pendências é um dos focos da organização da vida financeira. Normalmente, as empresas e instituições oferecem descontos ou possibilidades de pagamento mais atrativas para quem se compromete a quitar uma dívida.

Enquanto se esforça para quitar, você pode aproveitar o momento para aprofundar seus estudos sobre finanças e investimentos. Isso é importante para conhecer o mercado e as suas possibilidades. Depois, comece a buscar boas oportunidades e avalie as que mais se adéquam ao seu perfil.

Leia também: Qual é o seu perfil financeiro? Poupador, gastador, financista ou outro da lista?

7. Aprenda a investir

Quem tem as finanças organizadas pode aproveitar os benefícios dos investimentos. Existem diversos materiais que ajudam a conhecer o mercado financeiro e a aprender a investir. Por exemplo, textos em blogs educacionais, vídeos, cursos, e-books e outros.

É sempre importante buscar fontes de conhecimento confiáveis. Também é válido se manter atualizado sobre o que acontece no âmbito político e econômico ao redor do mundo. Afinal, eles podem afetar diretamente os seus investimentos.

Você também pode gostar: Como começar a investir: confira este passo a passo | Gustavo Cerbasi

8.Faça aportes constantes

Quando o assunto é investimento, disciplina é fundamental. Normalmente, o recomendado é que você invista todos os meses uma porcentagem da sua receita. Os investimentos devem ser vistos como uma conta — que você paga a si mesmo todos os meses.

Essa estratégia é útil para aumentar o seu capital e conseguir alcançar os seus objetivos mais rapidamente. Assim, será possível organizar sua vida financeira e aproveitar o potencial dos juros compostos a seu favor.

9.Use a tecnologia como aliada da sua vida financeira

A tecnologia pode ser uma grande aliada do investidor. Hoje, existem diversas ferramentas e aplicativos que podem ser utilizados para administrar as finanças pessoais no dia a dia e facilitar a rotina. Inclusive, muitos deles são gratuitos.

Os aplicativos ajudam a organizar as finanças, a economizar, a fazer planejamentos e a acompanhar os seus investimentos. Uma vantagem é que as ferramentas costumam ser intuitivas e simples de usar.

Organizar a sua vida financeira pode parecer uma tarefa difícil, mas nossas 9 dicas conseguem facilitar o processo. Com pequenas mudanças na rotina, você se torna capaz de planejar melhor seus gastos e até mesmo fazer bons investimentos para ver seu patrimônio crescer!

Gostou do conteúdo? Lembre-se de que você pode contar com o BTG Pactual digital — o maior banco da América Latina — para fazer seus investimentos e organizar sua vida financeira cada vez mais! Clique aqui e abra sua conta!

Leia também: Como prosperar: dicas para manter seu patrimônio em crescimento

Posts relacionados

Deixe seu comentário 0

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima