Criptomoedas

Qual deve ser o prazo do investimento em Bitcoin?

Dentre as mais diversas perguntas que recebo sobre criptoativos, qual deve ser o prazo do investimento em Bitcoin, sem sombra de dúvidas, é uma das que mais aparece. Mais do que isso, acredito que seja de suma importância abordarmos esse tema, dado que vejo muitos novos entrantes sendo ludibriados por promessas de dinheiro fácil.

Mesmo porque, por mais que a compra de criptoativos possa proporcionar ganhos de curto prazo, sua decisão de acessar esse mercado não deve ser pautada por essa tese. Afinal, se você entrar pensando no ganho rápido, qualquer solavanco nos preços ou aumento de volatilidade será motivo suficiente para desistir precocemente de um mercado tão auspicioso.

O que quero dizer é que, se quer entrar para ganhar, tem que estar disposto a ter pequenas perdas no meio do caminho. O Bitcoin, assim como alguns tipos de ação de menor valor de mercado e alguns tipos de derivativos, possui uma volatilidade relativamente alta quando comparado a bluechips e ações de maior valor de mercado. Isso significa que, no decorrer de um dia, pode haver uma grande amplitude de movimentação nos preços, chegando facilmente aos dois dígitos de variação.

Portanto, é importante estar convicto do que o motivou e o trouxe para esse mercado. Assim você não só protege o seu bolso como também garante um estômago blindado e uma boa noite de sono.

Mas o questionamento que você deveria estar se fazendo é: “se não venho pelos ganhos promissores, o que deve justificar o meu aporte em cripto?”

Essa é uma excelente pergunta. Para respondê-la, vou trazer um pouco de contextualização à situação econômica que vivemos atualmente.

Contexto econômico

Desde 2008, logo após a crise do subprime (que obrigou bancos centrais do mundo todo a adotarem políticas econômicas mais flexíveis) estamos numa grande onda internacional de desvalorização das moedas. Esse movimento, conhecido como afrouxamento quantitativo, que implica no aumento dos balanços patrimoniais de banco centrais e na injeção de dinheiro na economia, foi intensificado de maneira exponencial por consequência dos pacotes de resgate criados por conta da pandemia da Covid-19.

Com a esmagadora maioria da força de trabalho obrigada a ficar em casa num movimento que se alastrou por todo o mundo, milhões de empregos foram perdidos e empresas foram fechadas. Naturalmente, os governos se viram forçados a prestar assistência à população com pacotes de auxílio, que garantiam uma renda mínima necessária para a sobrevivência de famílias e indivíduos desamparados.

Como era de se esperar, nem todo o dinheiro do mundo em cofres públicos foi suficiente para prestar esse suporte tão necessário. A solução encontrada foi ligar a impressora e criar mais dinheiro.

Ainda que de imediato essa pareça uma alternativa viável e interessante para a solução do problema, ela pode trazer consequências drásticas para nossas vidas. Em primeiro lugar porque o volume de dinheiro impresso não encontra precedentes na história.

Estamos falando de um montante que ultrapassa a casa dos trilhões de dólares. O que preocupa é que um aumento significativo do volume de dinheiro em circulação somado a uma capacidade produtiva inalterada resulta em um movimento generalizado de aumento dos preços. Ou melhor, de perda do poder de compra por desvalorização das moedas.

Esse movimento levou investidores de todo o mundo a olharem para alternativas mais viáveis de proteção contra essa grande inflação monetária que vem pela frente. Dentre as alternativas de reserva de valor no tempo, as moedas fiduciárias (emitidas por governos) deixam de exercer esse papel. Ora, a que então devemos recorrer? Ao ouro, que ao longo da história exerce essa importante função? Talvez. Mas e se existisse uma alternativa que espelhasse suas características e que, ao mesmo tempo, fosse mais bem adaptada ao ambiente digital, tão presente hoje no nosso dia a dia?

É justamente aí que o Bitcoin entra na sua estratégia. Na sua e na de milhões de investidores mundo afora. Assim como o ouro, ele possui características interessantes de uma boa reserva de valor: é escasso, durável e de difícil obtenção. Com a vantagem de ser mais seguro contra falsificação, mais facilmente divisível e, acima de tudo, muito mais fácil de ser transportado.

Exatamente por suas características, o ativo vem se consolidando entre alocadores do mundo todo como uma alternativa viável de preservação de valor no tempo. Mas isso não significa que ele é livre de riscos, longe disso.

Além da volatilidade que mencionei no início do texto, é importante entender que o Bitcoin, bem como toda a classe de criptoativos, está sujeito ao risco de atuação dos reguladores. Se pesarem demais na mão, acabam sufocando a enorme inovação que está ocorrendo no setor e podem gerar um impacto negativo na adoção.

Outro ponto importante é que ele não é um investimento garantido e se enquadra como renda variável. E diferentemente dos mercados de investimento em Bolsa, esse é um mercado que funciona 24 horas por dia, sete dias por semana, e sem circuit braker, que é o mecanismo que suspende as negociações em Bolsa caso algum ativo apresente uma queda maior que 10% no dia. Isso pode gerar certa ansiedade em alguns investidores, especialmente quando está se iniciando seu processo de investimento.

Uma regrinha de bolso que costumo trazer é a de alocar o dinheiro da pinga e não o do leite. Ou seja, no máximo 5% do seu patrimônio total nessa classe de ativos.

Eu sei, com retornos tão promissores, pode parecer bastante convidativo alocar uma parcela maior do seu portfólio nisso. Até acho que você pode ir por esse caminho, mas quando tiver mais conhecimento sobre esse mercado, entender completamente os riscos envolvidos nesse tipo de investimento e, acima de tudo, estiver confortável com a força das oscilações de preço por aparecem por aqui. Por enquanto, melhor ficar nos 5% mesmo.

Por fim, se você está sem saber se agora é o momento de entrar por conta da disparada nos preços, saiba que o mercado cripto ainda está em fase de consolidação. Isso significa que, se o Bitcoin se firmar, de fato, como uma reserva de valor amplamente difundida, seu preço pode continuar subindo bastante.

Se não estiver totalmente confortável em colocar todo o valor de uma vez, procure fazer aportes recorrentes e distribuídos ao longo do tempo. Assim você assegura que acertará alguns bons pontos de entrada.

O mais importante é que você saiba que, no final das contas, esse é um investimento para o longo prazo.

Se você gostou dessa nossa primeira conversa, te convido a participar da próxima. Voltarei a falar sobre cripto aqui no dia 19 de março.

Um abraço e até lá!

Gustavo Cerbasi
Nicholas Sacchi:

Um dos maiores especialistas em criptoativos do país, é economista, apaixonado por inovação e já atuou em bancos de investimentos, corretoras de valores, exchanges e casas de análise. É head de cripto da Exame e coordenador do Future of Money, frente de inovações financeiras do portal.

Posts relacionados

Deixe seu comentário 26

    1. Olá Tasso, tudo bem? Acompanhe o nosso blog e as nossas redes sociais para mais informações sobre investimento em bitcoin.

    1. Olá Dilma, como vai? Acompanhe nosso blog e as nossas redes sociais para mais informações sobre investimento em bitcoin.

  1. Muito bom não conhecia o Bitcoin gostei muito do assunto vou estudar mais esse mercado 👍👍✌️✌️👏👏👏

    1. Olá Antônio, tudo bem? Ficamos felizes que você gostou deste conteúdo. Acesse nossas redes sociais e nossa playlist de Educação Financeira (canal YouTube) para aprofundar os seus estudos sobre o mercado financeiro.

  2. Acredito ser uma opção excelente opção para investir, mas preciso me inteirar mais sobre, outro dia vi até um vídeo do criador deste ATIVO, e depois do vídeo fiz um cadastro indicado, que caiu em uma corretora já pedindo para colocar dinheiro lá….daí saltei fora….fiquei com um pé atras, mas agora em se tratando da BTG e por convite à esta leitura, fica mais confortável, obrigado..

    1. Olá Odilio, tudo bem? Agradecemos o feedback e a confiança. Conte sempre conosco!

  3. Sempre gostei do tema , embora já tenha perdido dinheiro nisso
    Gostaria de me aprofundar no assunto.

    1. Olá Nelson, tudo bem?? Para se aprofundar no assunto: acompanhe nossas redes sociais e os textos do blog. Ficamos felizes que tenha gostado do tema.

    1. Olá Hygreville, como vai?? Acompanhe nossos textos aqui no blog e nossas páginas nas redes sociais para saber mais sobre investimento em bitcoin.

  4. Bom dia. Gostaria de investir em Bitcoin, como faço a aquisição? É pelo home broker? Estou iniciando na renda variável. Faço as compras baseadas nas indicações da carteira do banco BTG. Vai ter uma carteira de Bitcoin também? Fico no aguardo . Obrigada

    1. Olá, João. Com 303% de rentabilidade acumulada desde sua criação, o bitcoin é uma ótima oportunidade de diversificação para os seus investimentos!

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima