Criptomoedas

Como diversificar seu portfólio de investimentos com bitcoin

Com a redução das taxas de juros praticadas por bancos centrais do mundo todo, os retornos oferecidos pela renda fixa passam a ser menos atrativos e, consequentemente, a renda variável passa a ser uma opção mais interessante para os investidores.

Agora, se você busca montar uma estratégia de investimentos completa, não basta investir apenas em ações ou em tesouro direto. O ideal é que componha uma carteira diversificada que lhe proporcione, além da preservação de riqueza, o crescimento do seu patrimônio com o passar do tempo.

A diversificação, quando feita da maneira correta, pode reduzir o risco geral da carteira sem necessariamente resultar em diminuição proporcional nos retornos.

O bitcoin, assim como as ações ou as moedas estrangeiras, compõe a parcela de renda variável da sua carteira. Ou seja, não se sabe, de antemão, o retorno que a aplicação no ativo poderá lhe oferecer. A diferença aqui é que ele se enquadra numa outra categoria, dos ativos alternativos.

Uma das principais razões para se incluir alternativos na carteira é que eles geralmente são movidos por fatores de risco e retorno diferentes dos investimentos tradicionais. Em outras palavras, eles podem oferecer proteção contra quedas nos preços dos ativos tradicionais e, dessa forma, reduzir a volatilidade geral do seu portfólio.

Uma medida bastante utilizada para medir a ligação entre diferentes variáveis é a correlação, que eu explico rapidamente a seguir.

Por exemplo, quanto mais horas de estudo um aluno tem, melhor suas notas na prova. A correlação é positiva nesse caso. Por outro lado, quanto menor o número de horas de sono que você tem em determinada noite, menor é seu rendimento no dia seguinte. Nesse caso, a correlação é negativa, percebe?

Colocando isso em números, o coeficiente de correlação oscila entre +1,0 (limite superior), representando a correlação positiva perfeita, em que as variáveis se movem em perfeita sincronia, e -1,0 (limite inferior), representando a correlação negativa perfeita, e elas se movem em direções opostas exatas.

Finalmente, o coeficiente de correlação igual a 0,0 indica que não há correlação entre as duas variáveis. São justamente os ativos que possuem baixa correlação entre si que buscamos quando estamos pensando em estruturação de portfólio.

Agora que você entendeu o conceito, vamos ver qual o grau de ligação do bitcoin com outros ativos. Como parâmetro de comparação, selecionei ativos que geralmente compõem um portfólio diversificado, como metais preciosos (ouro e prata), ações (representado pelo índice Ibovespa), commodities (representado pelo índice da Bloomberg), tesouro Selic e imóveis (representados pelo Ifix). Comparei o retorno de cada um deles nos últimos 12 meses.

AtivoCorrelação
Prata
0,259
Ouro0,213
Ibovespa0,226
Commodities0,068
Tesouro Selic
0,003
Imóveis0,009

Baixa correlação do bitcoin com outros ativos

Reparou que, para todos esses ativos, o bitcoin apresenta uma baixa correlação? Mesmo nos casos dos metais e da Bolsa, em que os coeficientes superam 0,2, eles ainda sinalizam baixíssima ligação com o bitcoin. Esse padrão fica ainda mais evidente quando usamos períodos mais longos, como cinco anos ou mais.

Olhando para os fundamentos, a baixa ligação pode ser explicada por alguns fatores, como as diferentes narrativas que permeiam o ativo (reserva de valor, sistema de pagamentos global, dinheiro do futuro e algumas outras), o baixo vínculo com os veículos de investimento habitualmente usados por investidores e pelo fato de ele ser um ativo bastante incomum, que caiu no gosto do público em geral antes de ser apreciado por instituições.

Mas por que isso importa?

Porque a baixa correlação é um primeiro sinal importante quando se está buscando a otimização da carteira por meio da diversificação.

Colocando em termos práticos, isso significa que ele pode ser visto como opção bastante estratégica na composição de uma carteira diversificada, uma vez que os elementos que afetam os mercados tradicionais têm pouco ou nenhum impacto sobre as variações de preços desse ativo.

Portanto, se você pretende reduzir o risco geral da sua carteira e, de quebra, potencializar os retornos, não hesite em alocar uma parcela do seu capital em bitcoin.

Aproveitando a ocasião, gostaria de convidá-lo para a primeira websérie do BTG Pactual digital sobre Bitcoin. Entre os dias 29/03 e 02/04, vamos simplificar o mercado de Bitcoin e mostrar como existe uma oportunidade de investimento simples, rápida e segura para você participar desse momento histórico.

Não perca esta oportunidade! Clique aqui e INSCREVA-SE agora mesmo!

 

Gustavo Cerbasi
Nicholas Sacchi:

Um dos maiores especialistas em criptoativos do país, é economista, apaixonado por inovação e já atuou em bancos de investimentos, corretoras de valores, exchanges e casas de análise. É head de cripto da Exame e coordenador do Future of Money, frente de inovações financeiras do portal.

Posts relacionados

Deixe seu comentário 0

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima