Toda grande mudança na vida é uma oportunidade de acertar o que está em desequilíbrio, incluindo nossas finanças. Quem está para casar, para ter filhos, para se aposentar, para receber uma promoção ou para começar ou para terminar uma pós-graduação tem escolhas importantes a fazer. Esse momento de quebra da zona de conforto é ideal para refletir sobre a qualidade das escolhas financeiras.

Neste artigo, mostrarei como fazer um planejamento financeiro que seja sustentável para quem deseja uma mudança em sua vida.

Os erros cometidos

Um erro frequente em relação à mudança de vida é reorganizá-la começando pelos maiores itens do orçamento. Por exemplo, quem quer sair da casa dos pais ou mudar de cidade tende a se preocupar, primeiramente, com a nova moradia, estimulando-se a sondar a região em que deseja viver para encontrar um teto que caiba no bolso.

Nessa etapa das primeiras escolhas, o erro está em não ter planos claramente definidos para os menores gastos. Corre-se o risco de optar por uma moradia maior do que o bolso comporta, pois um orçamento incompleto aparentemente viabiliza a escolha. Como resultado, passa a ser alto o risco de não sobrar dinheiro para a desejável poupança e o lazer.

O correto seria inverter a ordem das escolhas. O primeiro compromisso que se deve assumir é com um objetivo de valor a ser poupado. Quanto? Depende de sua satisfação com a carreira e com seu momento presente. Quem está feliz com o padrão de vida deve poupar o mínimo necessário para sustentar esse estilo de vida satisfatório. Talvez 10% da renda mensal seja razoável, caso o poupador tenha planos de ainda trabalhar mais 40 anos pela frente.

Já quem tem consciência de que está vivendo uma rotina estressante, sem tempo para si e para a família, sem prazer no trabalho e com poucas perspectivas de mudanças no curto prazo, deve apertar o cinto e poupar mais. Quanto mais insatisfatória for sua vida presente, maior deve ser o sacrifício para acumular reservas financeiras. Elas serão a fonte de estabilidade para encarar a mudança de uma estabilidade infeliz para uma nova fase inspiradora.

Perceba: o que nos prende a uma rotina insatisfatória é o medo de uma mudança não dar certo e perdermos nossa segura condição previsível, por pior que seja.

Mudança de vida com qualidade de vida

Definida sua meta de poupança mensal, o próximo passo é definir a verba para assegurar qualidade de vida desejável. Pergunte-se: o que você desejará fazer regularmente para se manter saudável e motivado? Quanto lhe custará, por mês, sair da rotina, cultivar hábitos saudáveis, rever amigos e parentes, enfim, cuidar de você mesmo? Ao definir essa verba, você certamente estará vivendo um presente mais rico.

Somente depois de assegurar verbas para seu futuro e para esse presente mais rico é que se deve cogitar as escolhas que moldarão seu custo de vida. Moradia, carro, plano de saúde e status do vestuário devem ser consequência da vida bem vivida, e não obstáculos a sua segurança e ao bem viver.

Certamente, ao seguir essa sequência de escolhas e optar por uma vida mais simples, estaremos abrindo mão do conforto maior que teríamos ao adquirir uma casa mais espaçosa ou um carro mais equipado.

Porém, essa perda de conforto é amenizada pela maior verba disponibilizada para o consumo do lazer e bem-estar. Afinal, o que é melhor: a rotina de um apartamento espaçoso ou a quebra de rotina de uma verba para o lazer que pode ter diferentes usos a cada mês -de jantares a viagens de circuitos culturais a reuniões de amigos?

Há ainda uma vantagem adicional ao tratar a quebra de rotina como um compromisso sério no orçamento familiar. Gastos com lazer são tipicamente gastos variáveis. Por outro lado, os gastos fixos caracterizam o custeio de moradia, de transporte, de educação, de alimentação e de saúde.

Quando surge um imprevisto, passeios e festas podem ser adiados, mas gastos fixos não. Quando podemos optar pela substituição de gastos, imprevistos são contornados com mais facilidade, sem que recorramos a dívidas.

Conclusão

Uma mudança de vida é necessária quando não estamos nos sentindo felizes, seja de ordem financeira, pessoal ou profissional. Um planejamento financeiro é necessário para que esta mudança seja realizada da melhor forma possível.

O maior erro cometido neste planejamento é pensar nos grandes gastos e se esquecer dos pequenos gastos. Entretanto, os pequenos gastos, significativos no orçamento doméstico, podem inviabilizar a mudança desejada.

Defina o montante a ser poupado mensalmente, assegure uma verba com qualidade de vida e após estes passos ajuste seu padrão de vida com o que “sobra”. Assim, você estará assegurado no futuro, sem abrir a mão de desfrutar a vida no presente.

Enfim, aqueles que cuidam melhor de si também têm menor chance de ter problemas! Vai esperar mais para ajustar sua vida?

Posts relacionados

Deixe seu comentário 0

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima