Muitas pessoas, quando decidem ajustar os planos e mudar a vida financeira, pensam em estratégias e planos complexos. Entretanto, existe um método simples e transformador, que auxilia a partir da situação atual e caminhar para algo melhor, uma vida nova, com mais conquistas.

A proposta parte de um princípio de que as pessoas, ciclicamente, revejam suas escolhas. Hoje você se propõe a organizar as ideias, montar uma estratégia, um plano sólido, e isto resultará num caminho a ser seguido. No entanto, planos têm que mudar, evoluir e se adequar ao autoconhecimento que se desenvolve ao longo da vida. Por isso é tão importante que esta revisão seja realizada a cada ano ou a cada novidade em sua vida. Pode ser a cada mudança de emprego, de cidade, no início de um grande projeto, a cada declaração de imposto de renda. Não importa o que você fez, mas a cada ciclo completado você deverá rever algumas escolhas.

Existe uma técnica para que esta revisão da sua vida financeira seja realizada de forma apropriada. Abaixo, apresento os 4 passos fundamentais para realizar esta tarefa.

1. Reconheça erros para mudar a sua vida financeira

Primeiramente, é fundamental reconhecer os erros que você está cometendo. Está gastando com o que não precisa? Está deixando de controlar alguma coisa? Está fazendo más escolhas de investimento, seguindo dicas do influencer da moda, sem uma escolha fundamentada? Está deixando de contratar alguma proteção, um seguro? Está analisando mal as opções de crédito que possui?

Esta avaliação precisa ser feita em todas as áreas da sua vida. Você está dedicando pouca agenda a cuidar da sua saúde, da sua alimentação, da relação com a sua família?

A honestidade é ponto fundamental nessa atividade. Dessa forma, você terá o autoconhecimento necessário para os próximos passos.

2. Defina objetivos e reúna ferramentas

Antes de qualquer planejamento, é extremamente importante saber aonde se quer chegar. Alcançar a independência financeira? Liquidar dívidas? Deixar de trabalhar?

Os objetivos devem ser claramente definidos para que você alimente o lado emocional do seu cérebro. Afinal, você não quer acumular patrimônio, mas sim construir algo que faça sentido para você, que o torne uma pessoa motivada e inspirada.

Quando digo para definir novos objetivos não é o que você fará a partir de amanhã, pois talvez você não consiga fazer esta mudança tão repentinamente. Porém, avalie o que você pode fazer ao longo do tempo para que esses novos objetivos sejam colocados em prática.

Para definir tais objetivos, reúna o máximo de ferramentas para auxiliá-lo nesta tarefa. Utilize simuladores, leia livros, faça cursos, encontre pessoas queridas que lhe façam refletir sobre o que é importante para você. Enfim, cerque-se de ferramentas e pessoas que o ajudem a se aproximar cada vez mais da sua vida ideal.

3. Organize a estratégia

O próximo passo é você construir uma estratégia pessoal. Ressalto a importância do planejamento personalizado, pois a estratégia que funciona para uma determinada pessoa não necessariamente funcionará para você. Afinal, as necessidades, o conhecimento, o patrimônio construído e os prazos para alcançar os objetivos são diferentes.

Organizar a estratégia não se resume a ter uma agenda melhor, um aplicativo melhor, um controle do seu orçamento. Afinal, essa técnica só espelha o que você já faz. Esta é uma crítica muito clara que eu apresento quando ensino sobre como trabalhar o orçamento doméstico. Ele não serve apenas para controlar sua vida financeira ou imputar as informações do quanto você gastou.

Esse é o começo do processo em que você, ao ter consciência dos seus gastos de março, por exemplo, passa a ter um orçamento montado para prever se no mês de abril a conta fechará. Exemplo: com os gastos de março atualizados para abril, incluindo ovos de Páscoa e algumas novidades e feriados, a conta fecha? Não fecha? Ajuste, mude, economize, corte algumas coisas. Talvez esse deva ser um mês para não jantar fora porque vocês vão viajar mais. Um mês para não comprar roupas novas porque você vai gastar com presentes ou outra coisa.

Orçamento é para antecipar problemas, para que você tenha uma vida financeira nova e em transformação. Isso é resultado de uma estratégia bem definida.

Confira mais algumas dicas para construir sua estratégia financeira no vídeo a seguir.

4. Apurar a técnica

A partir do momento em que você tem uma estratégia organizada para a sua vida financeira, precisa apurar a técnica. Quanto mais leituras, conhecimentos e trocas de informações você promove, mais vai perceber erros que vinha cometendo e que deixou de considerar no começo.

Assim, mais revisões você fará nos seus objetivos e mais ferramentas serão reunidas. Porque, com mais contato, mais trocas, mais networking, mais você terá acesso a informações que não tinha.

Conclusão

Basicamente, se você criar a disciplina de periodicamente rever suas escolhas, você terá uma vida em crescimento.

Com a técnica apresentada acima, você terá um grande mapa para mudar a sua vida financeira. Afinal, uma nova vida está sendo lapidada e, com novas atitudes, novos resultados serão colhidos. Seja persistente, tenha objetivos claros, esteja em estado constante de crescimento e evolução que os resultados surgirão.

Sucesso em suas escolhas.

Quer ficar por dentro dos melhores conteúdos do BTG Pactual digital? Inscreva-se em nosso grupo do Telegram.

Gustavo Cerbasi
Gustavo Cerbasi:
Cerbasi é um parceiro de conteúdo do BTG Pactual digital. Consultor, professor, palestrante, autor de 16 livros com mais de 2,5 milhões de exemplares vendidos, entre eles o best-seller “Casais Inteligentes Enriquecem Juntos”.

Posts relacionados

Deixe seu comentário 2

    1. Olá Michele, tudo bem? Dê o primeiro passo, um BTG nos seus investimentos! Conte conosco!

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima