Saber como investir bem os recursos disponíveis é sempre um desafio – até para os mais experientes. Isso porque trabalhar bem o dinheiro envolve muitas variáveis, inclusive variáveis emocionais, que estão na cabeça de cada pessoa. Estudiosos do comportamento humano detectaram alguns vícios comportamentais no processo de administração dos investimentos. Por isso, é importante saber quais são eles para poder evitá-los.

Inscreva-se em nossa newsletter

Preencha com um e-mail válido

Inscrição concluída com sucesso!

O artigo de hoje traz orientações valiosas a respeito de como investir seu dinheiro. Desta vez, não vou focar na escolha dos melhores produtos, mas no controle da sua mente e emoções, para que você possa tomar decisões inteligentes. São orientações originadas em uma ciência bastante abrangente: a psicologia econômica.

O que é a psicologia econômica

Investir é uma atividade humana que possui uma série de peculiaridades. Quem aplica deve lidar com as próprias virtudes e fraquezas e com a construção de objetivos e sonhos. Vai muito além da simples alocação de dinheiro em ativos estratégicos.

Os componentes mentais e emocionais envolvidos nas relações financeiras têm sido explorados pela psicologia econômica desde o século XIX. Naquela época, alguns pensadores europeus buscavam ampliar as reflexões a respeito da economia, pois as movimentações de capital eram aparentemente mais complexas do que muitos supunham ser.

Ao longo do século XX, a psicologia econômica conquistou mais espaço e os estudiosos passaram a tratar também de questões sobre a lógica do consumo. E, como não poderia deixar de ser, atualmente, os estudos dessa área do conhecimento continuam em pleno desenvolvimento.

Entre novas abordagens, houve um foco maior sobre o comportamento dos investidores e sobre como as pessoas lidam com essa atividade. Os vícios comportamentais fazem parte desse grande escopo. A seguir, vou mostrar quais são alguns deles, para que você possa evitá-los (ou superá-los) e manter a consistência em suas aplicações.

1° vício comportamental: excesso de otimismo

O otimismo é visto como uma atitude positiva em diversas esferas da vida pessoal e profissional. Dentro de uma estratégia de investimentos, ele também pode ser benéfico, desde que bem administrado.

Há que se fazer uma reflexão importante sobre o otimismo nos investimentos. Ninguém decide alocar seus recursos em um produto financeiro se não tiver confiança nos resultados que obterá futuramente. O ato de investir é, portanto, um exercício de otimismo. Mas o problema começa quando ele se torna exagerado e prejudica as decisões.

A psicologia econômica explica o excesso de otimismo como uma reação do nosso cérebro. Temos propensão a nos atentar mais para eventos positivos do que negativos na relação com investimentos.

Como o excesso de otimismo nos afeta

Quando o otimismo passa da conta, os resultados dos investimentos podem despencar. Essa armadilha mental pode se dar em diferentes situações.

Exemplo n° 1: se uma ação ou fundo de renda variável apresenta um histórico de flutuações com muitas altas e baixas, nossa tendência é menosprezar as quedas. Como resultado, apostas excessivamente otimistas nessa categoria de investimento podem levar à perda de dinheiro.

Exemplo n° 2: imagine que um amigo ficou rico por ter comprado um terreno que teve uma supervalorização. Pela lógica, você ficará predisposto a buscar um terreno em condições similares. O problema é que o excesso de otimismo, nesse caso, desconsidera fatores que podem comprometer o retorno financeiro.

2° vício comportamental: excesso de confiança

Muita gente, de forma equivocada, confunde otimismo com confiança. São conceitos diferentes, inclusive quando o assunto é investimento.

O excesso de confiança na relação com o mercado financeiro leva muitas pessoas a darem um passo maior do que podem sustentar. O resultado é um doloroso tombo. Mas, como o excesso de confiança aparece nos investimentos?

Quem tem menos vivência de mercados pode se empolgar com a leitura de artigos de especialistas. O rico conhecimento obtido nos textos cria a ilusão de que a pessoa está pronta para encarar o mercado.

Acontece que nem tudo é tão simples assim. Não basta ler alguns artigos e fazer um pequeno curso de finanças para formar o próximo Warren Buffett.

O desafio de superar a média do mercado em renda variável é bastante complexo. É preciso muito estudo e uma dedicação contínua para fazer análises inteligentes a respeito das movimentações.

Excesso de confiança e propensão ao risco

O perfil de investidor oferecido por corretoras e bancos de investimentos a seus clientes tem alguns objetivos. Um dos principais é detectar a propensão a lidar com o risco. Quando uma pessoa se vê contaminada pelo excesso de confiança, tende a cruzar uma linha perigosa. Assumir riscos de forma desmedida é uma atitude que pode levar à rápida perda de dinheiro no mercado financeiro.

E existe um problema adicional nesse ponto. Mesmo quando boa parte das transações se mostram acertadas, os ganhos nem sempre são substanciais. Isso porque o excesso de compras e vendas de papéis gera custos e taxas que limitam o retorno.

3° vício comportamental: paralisia nas decisões

Você já sabe que o excesso de otimismo e de confiança são prejudiciais a seus investimentos. Porém, o comportamento oposto também compromete os resultados das aplicações. Trata-se do terceiro vício comportamental: a paralisia nas decisões, que leva a carteira de investidores descuidados à estagnação.

A atitude de engessar os investimentos pode ser fruto da insegurança em rebalancear a carteira. Há pessoas que ficam muito presas a uma orientação que talvez não tenha a mesma força de outrora.

Imagine que determinado produto foi a bola da vez no ano passado e lhe rendeu ganhos expressivos. Porém, seu desempenho esfriou com o passar do tempo e o ativo deixou de ser competitivo. Por que não rever a estratégia em uma situação como essa?

A paralisia nas decisões, independentemente de sua causa, pode minar seus investimentos. Ela funciona também como termômetro para seu otimismo e confiança, que devem existir na medida certa.

Mantenha seus investimentos em constante evolução

Fugir dos três principais vícios comportamentais não é o bastante para manter uma forte carteira de ativos. Bons investidores se destacam pela inquietude e curiosidade com que encaram o mercado. Estão sempre em busca de novas oportunidades, ainda que sua carteira esteja apresentando resultados interessantes.

Portanto, lembre-se de diversificar seus investimentos de acordo com seus objetivos e planos. Cada produto deve ter uma razão para figurar em sua carteira de aplicações. Uma escolha acertada não significa que você não precisa mais se dedicar a seus investimentos. Procure mantê-los em constante evolução, sempre com foco nos resultados e na construção de sonhos.

Percebeu como não existe uma fórmula mágica sobre como investir? Mas, adotar as atitudes corretas e evitar os vícios comportamentais colocará você no caminho certo. Para ir além, entenda também como definir o melhor investimento.

Deixe seu comentário 0

Posts relacionados

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima