Como fazer a busca pelo investimento mais rentável

Todos os investidores – experientes ou não – estão em busca do investimento mais rentável. A grande questão é como realizar essa procura para aplicar o seu dinheiro de forma mais inteligente. Para começar, uma pesquisa rápida pode lhe dar um indicativo bem importante a respeito da rentabilidade. Você verá, por exemplo, que o desempenho de produtos oferecidos por bancos de varejo tem ficado abaixo do esperado, principalmente quando se compara esses produtos com os de instituições que se tornaram conhecidas pelo público mais recentemente, como corretoras de valores e bancos digitais.

Portanto, se a busca é pelo investimento mais rentável, uma iniciativa razoável é aplicar menos através dos bancos tradicionais de varejo. Os rankings publicados em jornais e revistas demonstram claramente que as maiores instituições têm dificuldade em manter a competitividade. Muitos podem se frustrar com essa constatação, mas minha recomendação é que você adote uma postura proativa. Se o banco de varejo não está dando certo, o que fazer?

Em renda variável, o impacto é maior

As recentes quedas na taxa Selic têm convidado muitos investidores da renda fixa a migrar para a renda variável. Diante desse cenário, é preciso conhecer bem as alternativas disponíveis no mercado financeiro. Uma boa estratégia em renda variável (ou incluindo renda variável, como ações, imóveis e outros negócios com algum grau de risco) provavelmente será o caminho para tornar seus investimentos mais rentáveis.

O ônus do pragmatismo

Porém, pesquisar é importante, pois renda variável só tende a mostrar suas maiores qualidades no longo prazo – e no longo prazo pequenas ineficiências se transformam em grandes perdas. O mundo dos investimentos é muito mais racional do que alguns imaginam. Os fundos de renda variável mais populares, ou mais conhecidos, distribuídos aos pequenos aplicadores de bancos de varejo, por exemplo, dificilmente se destacam em desempenho porque suas escolhas são mais conservadoras. O resultado de qualquer fundo é a soma do desempenho das ações das empresas que fazem parte dele. Fundos populares de bancos de varejo tendem a investir nas empresas mais sólidas e que têm maior procura no mercado. Isso minimiza riscos, mas também limita os ganhos dos aplicadores. É o que podemos chamar de ônus do pragmatismo.

Empresas com boa reputação na bolsa de valores dificilmente vão provocar tombos nos investidores – mas não espere delas ganhos astronômicos. Ações dessas companhias remuneram menos porque a maioria dos investidores está permanentemente de olho nelas. São as “queridinhas” do mercado, por isso os papéis são caros e não costumam ter grandes oscilações em seus preços.

Por que fundos populares fazem essa opção?

Pode parecer ilógico que fundos populares de grandes bancos de varejo optem por ações que não vão garantir uma rentabilidade significativa a seus clientes. Porém, há que se considerar o foco dessas instituições.

Bancos de varejo têm de atender a interesses de dezenas de milhares de pessoas, por esse motivo não podem se sujeitar a riscos desproporcionais. Escolhas mais arrojadas nem sempre funcionam e poderiam frustrar uma quantidade enorme de aplicadores. Já as opções mais conservadoras, por empresas sólidas, garantem um resultado sempre dentro do esperado ou facilmente compreensíveis – mesmo quando não são bons resultados. Dificilmente os ganhos ficarão distantes do Índice Bovespa, grande termômetro do mercado.

Onde está o investimento mais rentável?

O investimento mais rentável no mercado de renda variável pode estar nas ações menos exploradas pelos aplicadores. Em busca de diferenciação, alguns fundos de menor porte investem em papéis de empresas ainda pouco desejadas, com foco em retorno imediato. Essa estratégia tem como objetivo se destacar em relação aos grandes fundos e atrair mais clientes.

Para colocar em prática esse tipo de iniciativa, alguns gestores de fundos deixam de lado o pragmatismo e passam a especular mais. Em outras palavras, eles fazem apostas de maior risco. Gestores de fundos menores especulam em busca do topo do ranking de desempenho. Porém, a chance de erro está longe de ser desprezível, ou seja, falta consistência a esse tipo de estratégia.

Por isso, tenha sempre muita atenção na busca pelo investimento mais rentável. Papéis que hoje experimentam uma valorização espetacular podem sucumbir dentro de algumas semanas. Especular implica em uma série de riscos que poucos investidores estão dispostos a correr.

Especular também é uma estratégia

Talvez você esteja imaginando que investir em fundos mais especulativos é uma loucura completa. De fato, há riscos bastante evidentes nessa estratégia, mas ela não é composta apenas por aspectos negativos.

Existe um público fiel a fundos mais expostos ao risco. Em geral, grandes aplicadores destinam uma pequena parcela de suas carteiras de investimento a estratégias ousadas. Mas vale o destaque, nesse ponto, para a “pequena parcela”. Perceba que mesmo aqueles mais afeitos à aventura reconhecem que não se pode arriscar um montante significativo.

Grandes investidores esperam, com isso, ter ganhos expressivos em um curto espaço de tempo. Mas eles compreendem que um desempenho fora da curva dificilmente consegue ser consistente. A queda chega, mais cedo ou mais tarde.

Dois perfis distintos de investidores

Uma carteira mais arrojada funciona bem para aqueles que se dedicam a estudar o mercado financeiro regularmente. Aplicadores com esse perfil direcionam parte de suas “fichas” a papéis de maior risco, mas podem amargar prejuízos algumas vezes.

Não basta desejar o investimento mais rentável para começar uma estratégia de caráter especulativo. Qualquer um gostaria que suas aplicações rendessem mais. Porém, as escolhas devem ser feitas com cautela. A maioria das pessoas não está devidamente preparada para suportar oscilações de uma postura arrojada no mercado de ações. Pelo contrário, a grande massa de investidores deseja ter resultados sólidos e nenhuma surpresa desagradável.

Se você se encaixa no perfil arrojado de investiemntos, leve em consideração o histórico de vários meses (se possível, anos) de cada fundo, não apenas os três últimos meses.

Investimento mais rentável x investimento mais seguro

Em alguns momentos, o investimento potencialmente mais rentável estará nas ações de empresas menos desejadas pelo mercado. Mas essa estratégia implica em riscos constantes e perdas repentinas. É uma disputa entre curto prazo e longo prazo.

Quem deseja ter ganhos com mais celeridade pode entender que vale a pena partir para fundos arrojados. Contudo, uma estratégia de prazo mais longo garante solidez e reduz as preocupações, mesmo com oscilações no curto prazo.

Encontre o melhor investimento para você

E então, onde você deseja aplicar seu dinheiro? No investimento mais rentável, é claro. Lembre-se da relação custo-benefício de estratégias ousadas e de estratégias conservadoras. Entenda que o objetivo não é dar a tacada certeira e adivinhar a empresa que vai despontar. Dedique-se a longo prazo. Essa estratégia dificilmente dá errado. Conheça agora alguns fundos de investimento.

 

Gustavo Cerbasi
Gustavo Cerbasi:

Gustavo Cerbasi é especialista em inteligência financeira, autor de 15 livros com mais de 2 milhões de exemplares vendidos, incluindo os best-sellers Casais Inteligentes Enriquecem Juntos e Investimentos Inteligentes.

Artigos relacionados

Deixe seu comentário 0