Como andam seus investimentos? Você tem feito escolhas inteligentes? Uma dúvida muito comum é exatamente sobre como definir o melhor investimento para cada caso. Afinal, o mercado financeiro dispõe de inúmeras opções com diferentes vantagens.

Neste artigo, vou explicar como definir o melhor investimento para você. Assim, será possível fazer as escolhas de acordo com a sua realidade e os objetivos que deseja alcançar. Costumo dizer que o melhor investimento é aquele com o qual você se sente à vontade. Esse, certamente, é um dos fatores a serem considerados no processo de seleção.

Não acredite em fórmulas prontas

A pergunta que norteia este artigo é uma das mais feitas a consultores financeiros. Talvez por isso, muitos desses profissionais caiam na tentação de sugerir fórmulas prontas às pessoas. Ao longo da minha carreira, notei que a orientação objetiva não funciona igualmente para todos.

Críticas muito severas a determinados produtos ou uma exaltação também exagerada a outros ativos precisam ser vistas com desconfiança. Existem bons argumentos favoráveis e contrários a certos produtos, mas eles não devem determinar uma escolha que é essencialmente pessoal.

Objetivos pessoais ajudam a direcionar os investimentos

Quer saber como definir o melhor investimento? Minha primeira dica é levar em consideração seus objetivos pessoais. Nem sempre a opção mais rentável será a mais indicada para você, pois talvez ela não esteja alinhada aos seus planos.

A definição de objetivos claros ajuda a manter a solidez de uma estratégia de investimentos. Quem está dando os primeiros passos tem de compreender que os ganhos serão pequenos no início. O segredo está em manter a motivação e seguir o processo de multiplicação da riqueza.

Motivação x desmotivação

Manter-se motivado é determinante para o sucesso de suas aplicações. Quem perde o pique pode abandonar a ideia de investir em poucos meses e ver todo o seu esforço se desmanchar como um castelo de cartas. Essa necessidade de motivação ajuda a explicar por que produtos considerados obsoletos como poupança e títulos de capitalização mantêm vários adeptos.

Praticamente todos os consultores financeiros, inclusive eu, defendem que investidores abandonem a caderneta de poupança. Trata-se de um produto de baixa rentabilidade e liquidez apenas razoável. Porém, quem tem pouco dinheiro nem sempre é atraído pelas alternativas por saber que os ganhos serão baixos no início.

A falta de motivação gerada pela multiplicação lenta no início da jornada de investimentos leva algumas pessoas aos títulos de capitalização. Como em um jogo de loteria, esses poupadores se deixam seduzir pela possibilidade – ainda que remota – de receber prêmios substanciais. A lógica seguida por essas pessoas é que, se tudo der errado e elas não forem sorteadas, pelo menos vão acumular algum dinheiro. Claro que elas ignoram o fato de que, na capitalização, o montante é corroído pela inflação.

Vale sempre lembrar que existem alternativas mais inteligentes do que a poupança mesmo para quem investe pouco. O mesmo vale para os títulos de capitalização.

Informe-se sobre os produtos disponíveis

Manter a motivação e estabelecer objetivos claros são aspectos fundamentais sobre como definir o melhor investimento para você. Mas também é muito importante se interessar em conhecer mais a respeito dos produtos disponíveis no mercado.

Entenda essa iniciativa como uma lição de casa a ser feita antes de conversar com um gerente ou consultor financeiro. Pesquise os riscos e oportunidades de cada produto para se embasar e poder dialogar com o profissional. O próprio portal do banco pode lhe ajudar nessa aprendizagem inicial.

Ganhar quilometragem ajuda bastante

Entender como definir o melhor investimento é também uma tarefa que exige alguma experiência. Para obter ganhos elevados com sua própria carteira de aplicações, é fundamental se preparar bem. Além de conhecer os produtos disponíveis, é recomendável aprender sobre o funcionamento do mercado.

Vale lembrar, no entanto, que mesmo o mais hábil investidor pode tomar alguns tombos de vez em quando. O mercado é volátil e prega peças constantemente, por isso você deve se manter atualizado a respeito das movimentações.

Um bom investidor é aquele que sabe escolher os melhores produtos e lidar com eventuais derrotas. A experiência vem com muito estudo e também algumas feridas bem cicatrizadas. Por isso, recomendo que você estude o mercado e busque diferentes fontes de informação para aprimorar seus conhecimentos. Com o passar do tempo, terá mais condições de fazer escolhas inteligentes e minimizar eventuais perdas.

 Confie em quem está apto a lhe ajudar

O acúmulo de experiência pode levar alguns anos. Nesse meio-tempo, jovens investidores têm de ouvir com atenção as orientações de consultores e gerentes. Entenda que muitas vezes a tática apontada por eles será mais conservadora em um primeiro momento.

Você pode já ter ouvido comentários de tipo: “Meu colega de academia está investindo em renda variável e ganhando muito mais”. Acredite, chegará o momento de migrar para produtos mais arrojados. Mas isso se constrói com o tempo e consultores estão preparados para fazer a leitura da situação de cada cliente. E, como disse anteriormente, o que está em jogo não é simplesmente o maior rendimento, mas a conquista dos objetivos traçados.

Uma construção contínua

Afinal, por que os consultores financeiros insistem em orientações conservadoras no início? A resposta não tem segredo: esses profissionais entendem a jornada de investimentos como uma construção contínua.

Há inúmeros exemplos que mostram como jovens investidores se frustraram ao dar um passo maior do que a perna. Escolhas muito arrojadas logo de início colocam a pessoa no olho do furacão de oscilações do mercado. Rapidamente, é preciso aprender a lidar com perdas “na marra”. Esse é um convite à desmotivação que citei anteriormente. Bons consultores financeiros ajudam os investidores a irem mais longe com um passo de cada vez.

Alinhe suas expectativas

A dúvida sobre como definir o melhor investimento pode carregar consigo a armadilha da expectativa exagerada. Talvez você tenha ouvido que é possível ficar rico em questão de semanas com uma carteira de ações. Mas ao custo de qual risco isso é realmente factível? Quantas vezes isso acontece de fato?

Uma jornada no mercado financeiro deve ser regada a boas doses de tranquilidade, para se fazer escolhas inteligentes e aguardar que rendam frutos. Não basta saber como definir o melhor investimento. É essencial ter consciência dos objetivos a serem alcançados e em quanto tempo isso será de fato atingido. Aproveite, intensifique a sua busca por conhecimento e veja também como escolher entre banco de varejo, banco digital e corretora de valores.

Deixe seu comentário 0

Posts relacionados

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima