Coluna André Bona

Conheça as categorias de Fundos Multimercado

Dentre o universo dos fundos de investimento a categoria de multimercados se destaca das demais especialmente pela liberdade que o gestor possui para assumir posições no mercado e pela variedade de instrumentos financeiros que pode utilizar.

Ao contrário dos fundos de renda fixa, onde praticamente todo o patrimônio do fundo precisa ser posicionado em ativos de renda fixa, e dos fundos de ações, onde mais de 2/3 do posicionamento precisa ser no mercado de ações, os fundos multimercados oferecem ao investidor um veículo de investimento que pode combinar ativos de renda fixa, renda variável, derivativos e diversos instrumentos financeiros nas mais variadas proporções da carteira.

A liberdade do gestor e o risco do investimento

Se por um lado essa liberdade permite com que o gestor de um fundo de investimento multimercado tente se aproveitar dos diferentes momentos e movimentos do mercado buscando as melhores alternativas, por outro a tarefa de mensurar risco do fundo se torna mais difícil para o investidor individual.

Para facilitar esse processo de compreensão dos fatores de risco associados aos fundos multimercados por parte do investidor, a ANBIMA faz uma classificação que separa fundos multimercados em categorias e subcategorias.

Categorias dos fundos multimercados

Os fundos multimercados possuem 3 categorias distintas:

  1. Alocação

Nessa primeira categoria estão os fundos multimercados que se posicionam nas diversas classes de ativos disponíveis no mercado, tais como renda fixa, ações, câmbio, juros e etc.

  1. Estratégia

Na categoria estratégia estão os fundos multimercados que possuem estratégias preponderantes adotadas pelo gestor na execução da política de investimentos. Diferente da categoria de alocação, a categoria estratégia pode tentar obter resultados por meio de uma maneira única de investir não contemplando necessariamente a alocação nos vários tipos de ativos, mas sim com um foco de atuação definido.

  1. Investimento no exterior

Já a estratégia de investimento no exterior é aquela em que um fundo investe em ativos financeiros no exterior em parcela superior a 40% do patrimônio líquido.

Observe que ao entender qual a categoria que um fundo multimercado possui, já se torna mais fácil para o investidor entender melhor a qual fator de risco está se expondo e o que o fundo faz. Embora essa informação seja já um grande passo nessa direção, ela ainda é insuficiente, por isso existe também uma outra divisão em subcategorias.

Subcategorias dos fundos multimercados

  1. Os fundos da categoria alocação podem ser subdivididos em balanceados e dinâmicos.

Os fundos balanceados não admitem alavancagem e possuem sua alocação pré-definida nas classes de ativos e inclusive especificando sobre sua política de rebalanceamento.

Já os fundos dinâmicos também alocam seus recursos em diversas classes de ativos, mas não possuem comprometimento de manter um determinado mix de ativos pré-determinado, adotando uma política flexível de acordo com as condições de mercado. Os fundos dinâmicos, ao contrário dos balanceados, admitem alavancagem.

  1. Os fundos da categoria estratégia se subdividem nas subcategorias macro, trading, long and short direcional, long and short neutro, juros e moedas, livre, capital protegido e estratégia específica.

Os fundos macro, por exemplo, possuem estratégias de investimento baseadas nos cenários macroeconômicos com horizonte de médio e longo prazo. Os fundos de trading, por outro lado, realizam operações a partir de oportunidades e movimentos de curto prazo.

Já os fundos long and short, direcional ou neutro, são aqueles que realizam operações com posições compradas e vendidas simultaneamente, buscando rentabilizar a carteira por meio de um processo de arbitragem dos preços dos ativos.

Os fundos de juros e moedas, por sua vez, não se expõem em renda variável, mas utilizam investimentos em renda fixa que impliquem risco de juros, de índices de preços e de moeda estrangeira.

Os fundos da subcategoria livre possuem liberdade total de atuação sem qualquer compromisso com alguma estratégia pré-definida.

Já os de capital protegido buscam retornos em mercados de risco com estratégias de proteção parcial ou total do capital investido e, por fim, os fundos com estratégia específica fazem investimentos com riscos específicos, como contratos futuros de índices, por exemplo.

  1. Os fundos de investimento no exterior não têm uma subcategoria. O risco preponderante já está claro na própria categoria: investimento no exterior.

Resumindo, as categorias de multimercados se dividem assim:

  • Alocação
    • Balanceados
    • Dinâmicos
  • Estratégia
    • Macro
    • Trading
    • Long and short direcional
    • Long and short neutro
    • Juros e moedas
    • Livre
    • Capital protegido
  • Investimento no exterior
    • Investimento no exterior

A importância de compreender a categoria do fundo

Muitos investidores me perguntam nas diversas mídias sociais:

“Bona, investir em multimercados é um bom negócio?”

Muito embora a pergunta pareça simples, você pode ver que ela não é. Investir em multimercados pode sim ser uma excelente alternativa desde que o investidor consiga ao menos compreender o tipo de risco preponderante do fundo que está avaliando, pois, caso contrário, certamente será um tiro no escuro.

A frustração que eu observo ao longo dos anos em investidores é justamente quando ocorre um descasamento daquilo que é a expectativa do que é a realidade. Na maioria das vezes o investidor observa apenas o desempenho passado de um fundo e se apega a isso como um único fator de decisão. Porém, sem a compreensão do fator preponderante de risco, o investimento se transforma numa loteria e a frustração chega mais cedo ou mais tarde.

A divisão dos fundos multimercados em categorias e subcategorias certamente ajuda o investidor a ter noção do que um fundo faz e, sabendo disso, ele poderá saber de antemão se aquele fundo possui um determinado nível de risco de maneira que eventual oscilação negativa não irá surpreendê-lo, pois sua decisão terá sido consciente.

Portanto, ao pensar em investir num fundo multimercado, eu sugiro que o investidor ao menos verifique qual é a classificação do fundo, pois isso poderá servir como uma bússola de entendimento geral do risco do fundo.

Como saber a categoria dos fundos multimercados?

A boa notícia é que na documentação oficial de um fundo, a informação da categoria é obrigatória e essa informação está disponível ao investidor.

Portanto, nunca se esqueça de conferir a categoria de um fundo multimercado antes optar por investir nele.

Deixe seu comentário 0

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima