Coluna André Bona

O que são opções? Saiba mais sobre elas!

Se você é um entusiasta do mercado financeiro ou já tem o hábito de fazer seus investimentos – especialmente em renda variável, é bastante possível que você já tenha ouvido falar sobre o que são opções e as operações com opções. É bem provável, entretanto, que você ainda não conheça o funcionamento deste instrumento derivativo.

O artigo de hoje tem como objetivo introduzir alguns conceitos básicos do mercado de opções e fornecer a você uma visão um pouco mais ampla de como se comportam as opções e de que modo elas podem ser utilizadas por qualquer investidor. Continue a leitura e descubra o que são opções, suas principais características e os riscos envolvidos neste tipo de operação.

O mercado de opções

O mercado de opções surgiu com o objetivo de oferecer mecanismos de hedge – ou proteção – de produtores rurais contra a flutuação de preços dos seus produtos e eventos não planejados. Atualmente, este mercado é bastante procurado não apenas por quem deseja fazer hedge de suas posições, mas também por investidores que buscam especular no mercado financeiro.

As opções são instrumentos derivativos, que derivam de outro ativo e alteram-se de acordo com as variações deste mesmo ativo. Os dois principais protagonistas do mercado de opções são o lançador e o titular das opções.

Em linhas gerais, o dono de uma opção – ou titular – tem o direito, mas não a obrigação, de comprar ou vender um determinado ativo, em uma data futura, por um preço acordado previamente, que é chamado preço de exercício.

Já o lançador da opção é quem se compromete a realizar o negócio estabelecido no futuro, caso o titular decida exercer a opção adquirida. Para manter-se no compromisso de realizar a operação em caso de interesse do titular, o lançador recebe um prêmio –bastante semelhante ao processo de uma contratação de seguro.

Exercendo a opção

Quando o titular desta opção decide exercer seu direito de comprar ou vender um ativo nos formatos previamente acordados, ele opta por exercer esta opção. O preço de exercício estabelecido é também conhecido no mercado como strike price – ou apenas strike.

É importante destacar que toda opção possui um determinado vencimento – isto é, a data máxima na qual o titular pode exercer a opção. Quando a opção não é exercida até a sua validade, ela simplesmente expira – ou vira pó, como se costuma dizer no mercado.

Em uma opção de compra, portanto, espera-se que o lançador das opções aposte na queda da ação-objeto – ou, pelo menos, no strike estabelecido, enquanto o titular que comprou a opção aposte na alta deste mesmo ativo-objeto. O inverso ocorre nas opções de venda, quando o lançador espera a alta do ativo-objeto enquanto o titular, por sua vez, aguarda por uma queda nos preços da ação-objeto.

Os objetivos do lançador para com as opções lançadas, entretanto, podem variar de acordo com sua estratégia.

Tipos de opções

Como já falamos, existem dois formatos de opções negociadas no mercado brasileiro: as opções de compra (também chamadas de call) e as opções de venda (conhecidas também como put). Enquanto as calls conferem aos titulares das opções o direito de comprar um ativo em uma data futura por um preço pré-estabelecido, as puts concedem o direito ao titular da ação de vender este ativo a uma data futura por um preço pré-determinado.

As opções de compra (call) ficam mais caras à medida que o ativo-objeto se valoriza, enquanto as opções de venda (put) tornam-se mais caras em um cenário de queda nos preços deste ativo-objeto.

Há, ainda, dois tipos de opções – sejam elas call ou put: as opções de estilo americano e as de estilo europeu. As opções americanas são aquelas que permitem o exercício da opção até a data de vencimento, enquanto as opções europeias permitem o exercício da opção somente na data de vencimento.

Código da opção no home broker

O código das opções negociadas na bolsa brasileira – o mesmo que aparece no home broker do investidor – é composto por cinco letras e dois ou três números, formando uma estrutura composta por sete ou oito caracteres. Cada um estes caracteres possui uma indicação única, referentes ao ativo-objeto, ao mês de vencimento da opção e o preço de exercício da opção negociada.

As quatro primeiras letras do código de uma opção no mercado brasileiro se referem ao ativo-objeto do contrato da opção, que sempre serão as letras que compõem o ticker deste ativo no mercado à vista. As opções da Petrobras (PETR4), por exemplo, têm a composição “PETR” como as primeiras quatro letras do seu código.

Neste caso, é importante observar que o código do mercado de opções brasileiro não indica se a ação-objeto é uma ação preferencial (PN) ou ordinária (ON).

O quinto caractere identifica se a opção é de compra ou venda e o mês de vencimento do contrato. Para as séries de compra, a quinta letra poderá variar de “A” até “L”, sendo “A” referente ao vencimento da opção no mês de janeiro e “L” para opções com vencimento em dezembro. Veja abaixo como uma opção de compra aparece o home broker:

No caso acima, temos a opção de compra de PETR4 com strike de 27,50. O último preço negociado foi de R$ 1,38.

Opções de venda

Já para as séries das opções de venda, a quinta letra do código deverá variar de “M” até “X”, sendo “M” referente ao mês de vencimento em janeiro e “X” para dezembro como mês de vencimento da opção. Os números do código das opções na bolsa brasileira são responsáveis por determinar o preço pelo qual o ativo-objeto será negociado em caso de exercício da opção pelo titular. Veja abaixo como uma opção de venda aparece o home broker:

Na figura acima temos a opção de venda de PETR4 com strike de 27,50. O último preço negociado foi de R$ 0,73.

Um exemplo de operação: se eu possuo PETR4 em minha carteira e estou com medo de que a ação possa sofrer uma forte desvalorização em breve, posso comprar essa opção e, assim, caso realmente a ação se desvalorize muito, eu possuo o direito de vende-la no preço de 27,50.

Todas as opções negociadas no mercado brasileiro – sejam elas de compra ou venda – têm dia de vencimento programado para toda terceira segunda-feira de cada mês.

Riscos das operações com opções

Assim como em qualquer operação no mercado financeiro, as operações com opções têm alguns riscos que devem ser conhecidos pelos investidores. A alavancagem, por exemplo, é um dos principais riscos que envolvem o mercado de opções.

Isso ocorre porque as opções permitem ao investidor alavancar suas operações de maneira significativa – com o objetivo de gerar ganhos substanciais a partir de uma pequena quantia de capital investido. O mesmo, entretanto, ocorre em caso de prejuízos – que podem ser potencializados e gerar grandes perdas ao investidor dependendo da alavancagem.

O investidor que realiza operações com opções também está exposto aos riscos associados ao ativo-objeto e à oferta e demanda do mercado.

De modo geral, o risco o titular de uma opção tende a estar limitado ao valor pago pelas ações (ou prêmio), sendo possível perder a totalidade do seu investimento caso não haja o exercício da opção – que acabam “virando pó”.

O risco, entretanto, se eleva bastante para casos de venda a descoberto – ou seja, quando é feito o lançamento de opções de compra pelo investidor que não possui as ações às quais se comprometeu a vender em caso de exercício da opção. Esta estratégia envolve, portanto, um elevado grau de risco – que pode ser ilimitado.

Conclusão

Apesar dos riscos que envolvem o mercado de opções, as operações com opções de compra ou venda podem ser muito úteis para investidores que desejam proteger suas posições ou mesmo especular no mercado financeiro. Estes instrumentos também são bastante interessantes porque podem ser utilizados em qualquer tendência de mercado.

Além disso, os custos de investimento para operações com opções tendem a ser menores – permitindo que qualquer investidor utilize estratégias diversificadas de investimentos em busca de melhor rentabilidade – como no caso das operações estruturadas.

Se você deseja operar neste mercado, é importante estudar sobre o assunto e conhecer todas as vantagens e riscos que envolvem as opções. É imprescindível também contar com uma assessoria especializada para tirar dúvidas na realização das operações! Operando corretamente este tipo de mercado e controlando os riscos, o investidor pode ter muito a ganhar com as opções.

Como escolher a melhor instituição para realizar meus investimentos?

Para tomar decisões de investimentos mais adequadas e em linha com seus objetivos, você deve contar com uma boa plataforma digital e assessoria de investimentos gabaritada. Escolher um banco de investimentos conceituado e com expertise comprovada pode lhe ajudar a encontrar as melhores opções de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal.

Por isso, minha recomendação é a plataforma do BTG Pactual digital, onde é possível ter acesso a produtos de diversos bancos e contar com toda a expertise de mais de 35 anos em investimentos e gestão de recursos que só o banco de investimentos BTG Pactual pode oferecer.

Se o seu objetivo, no entanto, é realizar compra e venda de ações, basta utilizar o home broker do BTG Pactual digital.

Posts relacionados

Deixe seu comentário 0

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima