As ações disponíveis na bolsa de valores podem ser classificadas de várias formas. Por exemplo, é comum que o investidor se depare com as diferenças entre os papéis ordinários e os preferenciais. Mas essa não é a única diferenciação entre as ações.

No mercado financeiro, também existe uma classificação fundamental de acordo com o porte da empresa. Nesse caso, é possível encontrar negócios considerados blue chips, mid caps ou small caps. Você sabe diferenciá-los?

Se quiser saber mais sobre o mercado de ações, baixe agora mesmo o nosso guia gratuito!


Neste conteúdo, compartilharei com você as informações que precisa para entender mais sobre as blue chips. Então continue comigo e confira as principais ações do tipo na bolsa brasileira. Vamos lá?

O que são blue chips?

Uma das curiosidades quando se fala em blue chips é entender por que as ações recebem esse nome. O termo em inglês faz referência às fichas azuis utilizadas em cassinos — elas representam as fichas mais valiosas.

Assim, de modo semelhante, as empresas do tipo blue chips seriam representantes dos negócios mais valiosos ou importantes na bolsa de valores. Mas quais são os critérios para estabelecer a classificação?

Na verdade, não há fatores rigorosos para determinar quando uma companhia pode ser considerada blue chip. Os critérios são variados. Por exemplo, considera-se o valor de mercado da companhia, o volume de negociação no mercado, seu nível de governança, o preço das ações etc.

Leia também: Conheça os tipos de ações negociadas na Bolsa de Valores

Quais são as principais características delas?

De modo geral, as blue chips podem ser compreendidas como as grandes empresas da bolsa. Logo, é comum que se trate de negócios de maior porte, com alto valor de mercado, que geralmente estão consolidados em relação à concorrência e apresentam histórico de lucro consistente.

Não é por acaso que empresas do tipo estão entre as mais buscadas por investidores de longo prazo. Afinal, eles buscam por negócios mais seguros, com boa resiliência e perspectivas de resultados positivos no futuro.

Por se tratarem de grandes negócios, as blue chips podem passar uma maior sensação de segurança aos investidores que têm os objetivos citados. Além disso, é comum que elas apresentem também maior volume de distribuição de proventos.

O conjunto de características faz com que os papéis sejam bastante negociados na bolsa — atraindo a atenção também de especuladores. Consequentemente, mais um aspecto comum às blue chips, é sua alta liquidez.

Como as blue chips se diferenciam de outras empresas?

Você viu no início deste conteúdo que existem diversas classificações para as companhias listadas na bolsa. Além das blue chips, que já vimos o que são, existem as chamadas mid caps e small caps. Quais são as diferenças entre os tipos?

As blue chips, como você já sabe, representam as grandes empresas da bolsa — tanto em termos de valor de mercado quanto em relação ao volume de negociação e à consolidação da empresa no mercado.

Assim, considerando critérios semelhantes, as mid caps são os negócios médios. Eles não chegam ainda ao patamar das maiores empresas, mas têm alto capital no mercado e apresentam destaque em relação à concorrência.

Por sua vez, as small caps representam as “pequenas” empresas da bolsa. Elas são pequenas em comparação às demais companhias listadas, mas lembre-se de que a abertura de capital em ações demanda uma maturidade do negócio.

Então, mesmo as small caps apresentam um capital de milhões ou bilhões de reais. Em relação às empresas maiores, elas podem atrair investidores interessados em valorização acima da média, pois geralmente são negócios que estão em fase de expansão.

Conheça a nossa carteira recomendada gratuita de small caps. É só baixar para descobrir qual é a recomendação dos nossos analistas.

Exemplos de empresas blue chips da B3

Se você quer encontrar oportunidades, pode estar se perguntando quais seriam os principais exemplos de grandes empresas da bolsa. Muitas delas compõem o Índice Ibovespa — que reúne as ações mais negociadas na B3.

Confira a seguir alguns exemplos de blue chips:

  • Petrobras;
  • Ambev;
  • Vale;
  • Gerdau;
  • BTG Pactual;
  • Itaú Unibanco;
  • Banco do Brasil;
  • Magazine Luiza.

O mercado internacional também apresenta ações do tipo blue chips. Veja exemplos de grandes empresas estrangeiras:

  • Coca-Cola;
  • Walmart;
  • Amazon;
  • Google;
  • Unilever;
  • Exxon Mobil;
  • Johnson & Johnson.

Vale a pena investir em blue chips?

Sempre defendo que, ao investir em ações, o investidor saiba qual é o seu perfil e quais são os seus objetivos. Assim, a escolha dos ativos deve refletir tais características.

Para você, vale a pena investir em blue chips? Elas apresentam algumas vantagens.

Uma delas é ter solidez em relação aos outros tipos. Afinal, negócios de maior porte se encontram geralmente mais consolidados no mercado. Normalmente, as blue chips também têm um maior histórico na relação com os acionistas e um melhor nível de governança.

Outro benefício apresentado pelas empresas de maior capital é a resiliência. Por ter histórico mais forte no mercado e, de modo geral, maior estabilidade financeira, elas costumam se comportar com mais equilíbrio em momentos de crise.

Como você viu anteriormente, outro benefício ao investir em ações blue chips é a liquidez. O volume negociado no mercado é maior. Então, também costuma ser mais fácil encontrar vendedores e compradores.

Por fim, para investidores focados em dividendos, as blue chips podem ser interessantes. Grandes empresas, que tenham uma parcela significativa do mercado, podem oferecer maior volume de distribuição de proventos no longo prazo.

#DicaBTG: É possível viver de dividendos?

Como escolher as melhores blue chips do mercado?

Agora você conhece as blue chips e sabe como elas funcionam. Se o seu objetivo ao investir é focar no futuro e optar por empresas sólidas, elas podem ser boas opções.

Está em dúvida sobre como escolher as melhores? Existem algumas dicas importantes.

A primeira delas é analisar os fundamentos das companhias. É uma estratégia que ajuda a se certificar de comprar ações de negócios resilientes, com boa saúde financeira, gestão de qualidade e perspectivas positivas para o longo prazo.

Além disso, tenha em mente os seus objetivos. O investidor que deseja alcançar maior valorização dos papéis, por exemplo, fará escolhas diferentes daquele que prioriza o recebimento de proventos. Se você precisa de ajuda nas análises, considere conhecer as carteiras recomendadas do BTG Pactual.

Investir na bolsa de valores requer estudo e estratégia. Aproveite os conhecimentos que adquiriu sobre blue chips e outros tipos de empresas para basear suas decisões de maneira cada vez mais consciente. E, claro, buscar por melhores resultados!

E você, já investe em blue chips? Divida suas opiniões ou dúvidas sobre o tema nos comentários!

André Bona:

Com mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, ensinando milhares de pessoas a investirem melhor, Bona é professor, palestrante e parceiro de conteúdo do BTG Pactual digital.

Deixe seu comentário 0

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima