Você sabe o que é alavancagem financeira?

O mercado financeiro possui diversas expressões que, muitas vezes, são desconhecidas pela maioria das pessoas – sobretudo por aquelas que ainda mantêm certa distância do mundo dos investimentos. Apesar disso, existem algumas palavras que, de uma forma ou de outra, fazem parte do dia a dia da população – como é o caso da alavancagem.

Você pode não saber exatamente o que significa alavancagem no ambiente de bolsa de valores, mas certamente já deve ter ouvido falar desta expressão em algum momento da sua vida – até mesmo na escola, ao estudar as alavancas nas aulas de Física. Hoje, você entenderá o que é alavancagem e descobrirá como a alavancagem funciona no âmbito do mercado financeiro.

Continue a leitura e aprenda a utilizar esta ferramenta a seu favor na hora de investir!

Afinal, o que é alavancagem?

A alavancagem, em uma explicação simples, nada mais é que a utilização de um instrumento ou de recursos para multiplicar um determinado resultado, a partir de um esforço pequeno.  Na Física, por exemplo as alavancas são definidas como objetos rígidos, que são utilizados para multiplicar uma força exercida em um outro objeto.

O objetivo do uso da alavanca, no contexto do nosso dia a dia, é justamente ampliar a força aplicada sobre algo ou alguém, a fim de alcançar um grande resultado sem que seja necessária a adoção de um esforço proporcional para atingir esta mesma finalidade.

Alavancagem nas finanças

Nas finanças, a alavancagem funciona de maneira semelhante, permitindo que, a partir de uma pequena quantia financeira, seja possível obter amplos resultados – sejam eles positivos ou negativos.

Engana-se, entretanto, quem acredita que a alavancagem, em se tratando de mercado financeiro, está diretamente ligada à bolsa de valores. É possível que você, inclusive, já tenha feito uso da alavancagem mesmo sem ter realizado quaisquer operações no mercado financeiro.

Ao tomar recursos emprestados de bancos, empresas ou pessoas para fazer um investimento qualquer, por exemplo, você pode ter se beneficiado do sistema de alavancagem – uma vez que estaria utilizando um instrumento capaz de ampliar suas possibilidades de impulsionar  resultados financeiros, a partir do investimento realizado.

Se utilizado da maneira incorreta, no entanto, a alavancagem pode gerar o efeito inverso – ampliando os prejuízos ao invés de alavancar os ganhos.

Alavancagem na bolsa de valores

No ambiente de bolsa de valores, a alavancagem é uma estratégia que tem como objetivo permitir que os investidores consigam movimentar altas somas de dinheiro a partir de valores disponíveis bastante reduzidos.

Imagine, por exemplo, que você possua R$ 10 mil para investir e que você tenha um limite de alavancagem de 5 vezes – delimitado pela instituição financeira pela qual você faz operações na bolsa. Desta forma, você poderia movimentar, por exemplo, R$ 50 mil em papéis sem, necessariamente, dispor de todo este montante em sua conta para fazer suas operações.

A estratégia da alavancagem pode ser utilizada em diversos tipos de investimento. Quem opera na bolsa de valores, no entanto, costuma fazer uso da alavancagem em três situações: ao realizar operações de curtíssimo prazo (day trade), ao operar no Mercado Futuro e ao fazer venda a descoberto na bolsa.

Operações em day trade

Quem faz operações utilizando a estratégia de day trade – na qual uma operação é iniciada e encerrada em um mesmo dia – costuma utilizar com frequência a alavancagem.

Desta forma, o especulador consegue alavancar suas operações, conseguindo ampliar sua posição financeira em um ativo – em busca de um acréscimo na rentabilidade, a partir das oscilações de preço dos ativos.

Operações no mercado futuro

Aqueles que operam contratos no Mercado Futuro também podem fazer uso da alavancagem em suas operações. Neste mercado, é possível operar índices, dólar, café, milho, e diversos outros ativos e commodities.

Assim como no day trade, a alavancagem no Mercado Futuro permite ao investidor ampliar financeiramente suas posições – em busca de uma melhor rentabilidade.

Operações de venda a descoberto (short selling)

Na venda a descoberto, o investidor precisa alugar uma ação para buscar lucrar no mercado com sua queda. E é neste contexto que se utiliza a alavancagem, uma vez que como ele fará uma venda primeiro e depois uma compra, ele não utiliza recursos próprios, bastando para isso uma margem de garantia, que é apenas uma fração de sua posição total na operação.

Neste tipo de operação, o locatário dos papéis vende os ativos no mercado para recomprá-los mais baratos – a fim de devolvê-los para o locador, embolsando a diferença de preço entre o valor de venda e o valor de recompra do ativo.

Os riscos da alavancagem

O maior risco da alavancagem está justamente na possibilidade de uma determinada estratégia ou operação não funcionar como o esperado – gerando um efeito reverso daquele vislumbrado pelo investidor. Isso porque, assim como a alavancagem pode potencializar os ganhos, ela também pode ampliar as perdas do investidor na mesma proporção.

Se a operação com alavancagem der certo, o investidor obtém um retorno maior do que aquele que seria obtido sem o uso desta ferramenta. Por outro lado, se algo der errado, o investidor amargará uma perda superior àquela que seria obtida se ele não tivesse utilizado a alavancagem.

É possível, inclusive, que o investidor perca todo o seu capital investido se não manejar o risco de suas operações de maneira adequada, sendo necessário que ele, em muitas situações, aporte ainda mais capital em conta para honrar suas obrigações – e perdas – na bolsa de valores.

Como utilizar a alavancagem a seu favor?

Se utilizada com consciência e cuidado pelo investidor, fundamentada em uma estratégia de investimento sólida e em um bom manejo de riscos, no entanto, a alavancagem pode ser um instrumento interessante para ampliação dos ganhos em suas operações na bolsa de valores.

Antes de fazer uso da alavancagem, entretanto, verifique se o seu perfil enquanto investidor é adequado para este tipo de estratégia e se você está disposto a correr maiores riscos para ter a chance de turbinar seus rendimentos no mercado financeiro.

Como escolher a melhor instituição para realizar meus investimentos?

Para tomar decisões de investimentos mais adequadas e em linha com seus objetivos, você deve contar com uma boa plataforma digital e assessoria de investimentos gabaritada. Escolher um banco de investimentos conceituado e com expertise comprovada pode lhe ajudar a encontrar as melhores opções de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal.

Por isso, minha recomendação é a plataforma do BTG Pactual digital, onde é possível ter acesso a produtos de diversos bancos e contar com toda a expertise de mais de 35 anos em investimentos e gestão de recursos que só o banco de investimentos BTG Pactual pode oferecer.

Se o seu objetivo, no entanto, é realizar compra e venda de ações, basta utilizar o home broker do BTG Pactual digital.

 

Deixe seu comentário 2

  1. Caro André, muito bom o artigo. Mas, desisti de abrir uma conta no BTG ao ser informado no suporte de vocês que a alavancagem de vocês é baixa. Gostei de todos os outros serviços/preços, mas a falta da possibilidade de multiplicar os recursos que tenho por no mínimo 5x para participar de ofertas públicas foi decisivo. Fui informado que se eu possuísse R$ 10.000 em títulos públicos, poderia fazer solicitação de apenas R$ 9.000 em um IPO. Ou seja, minhas garantias seriam de mais de 100% do valor solicitado. Em outras corretoras, esse multiplicador é de 10x (garantia de 10%) e tem maiores também. Vocês pensam em aumentar o nível de alavancagem? Obrigado.

    1. Olá, Glauco! Entramos em contato com você através do e-mail que você deixou no comentário. Assim, podemos conversar melhor sobre o assunto. Estamos à disposição!

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima