Coluna André Bona

Série Melhores Investimentos: Qual o melhor título de Renda Fixa?

Como escolher o melhor título de Renda Fixa para suas necessidades e seus objetivos pessoais? Você já se fez essa pergunta algumas vezes? É bastante provável que sim.

Afinal, são tantas opções de títulos de Renda Fixa disponíveis no mercado que a tarefa de escolher a melhor opção pode se tornar algo quase impossível para muitos investidores. Tomar esta decisão, no entanto, não é tão difícil quanto pode parecer.

Nas próximas linhas, explicarei os principais pontos que você, como investidor consciente, deve analisar ao escolher um título de Renda Fixa para aplicar de maneira muito mais consolidada, escolhendo o melhor título de Renda Fixa para você.

Acompanhe a partir de agora!

Tipos de Títulos de Renda Fixa

Antes de escolher o melhor título para você, é importante, em primeiro lugar, entender os tipos de Títulos de Renda Fixa.

Dentro os títulos de Renda Fixa disponíveis no mercado brasileiro existem os títulos emitidos por instituições financeiras e os títulos emitidos por empresas.

Quando falamos sobre títulos emitidos por instituições financeiras, podemos citar os mais representativos sendo: o CDB (Certificado de Depósito Bancário) e as Letras de Crédito LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e LCA (Letra de Crédito do Agronegócio).

Já em relação aos títulos emitidos por empresas, temos como exemplo as Debêntures, e os Certificados de Recebíveis: CRI e CRA.

Compreendido quais são os principais tipos de título de Renda Fixa, é o momento de entender qual é o melhor produto para compor sua carteira de investimentos.

A importância do planejamento

Para escolher o título de Renda Fixa mais adequado para compor a sua carteira de investimentos, é necessário que você faça uma avaliação em relação ao prazo do investimento.

Em qual tempo você poderá ter a necessidade de utilizar esse dinheiro? Qual é o seu objetivo com este investimento?

É importante enfatizar que, ao fazer um investimento é fundamental que você verifique se o prazo do investimento está adequado aos seus planos e de acordo com seu planejamento pessoal.

Nas aplicações que se referem à reserva de emergência e às necessidades de curto prazo – nas quais o investidor preza pela disponibilidade do dinheiro, os títulos escolhidos devem ser os que apresentam maior liquidez.

Já para aqueles recursos que podem se manter indisponíveis por um tempo maior, o investidor abre mão de liquidez, podendo optar por títulos de prazo mais elástico – na busca por uma melhor rentabilidade.

Dessa forma, a primeira pergunta que você deve fazer antes de escolher seu investimento é:

Eu preciso do dinheiro imediatamente ou posso abrir mão da liquidez?

Com essa resposta em mãos, ficará muito mais fácil adequar o prazo do investimento com o prazo de perspectiva de resgate do valor aportado.

De maneira geral, títulos atrelados ao IPCA devem ser utilizados quando apresentam prazo de resgate mais longo – acima de 5 anos. Para os prazos mais curtos, entram os atrelados ao CDI e alguns títulos prefixados.

Retorno X Liquidez

Como você já sabe, quando o assunto é investimentos, devemos equalizar liquidez, retorno e risco, a fim de obter o melhor da carteira de investimentos. Afinal, lembre-se que um investimento sozinho não consegue entregar essas três variáveis ao mesmo tempo.

Dessa forma, nos títulos de Renda Fixa, quando se abre mão de liquidez a contrapartida é ganhar na taxa de retorno da aplicação.

Ao se aplicar em um CDB por exemplo, você pode optar por uma aplicação com liquidez diária ou por uma modalidade com prazo de carência determinando. Nesses casos, o rendimento no CDB com carência deverá, certamente, ultrapassar a rentabilidade da opção com liquidez diária.

Assim, quando você aceita um prazo maior em seu título de Renda Fixa, recebe por isso uma perspectiva de rendimento maior.

Títulos de Renda Fixa x FGC

Outra análise relevante na hora de escolher o melhor título de Renda Fixa está relacionada à garantia que a modalidade da aplicação oferece. Caso uma instituição financeira apresente problema de solvência e venha a ser liquidada pelo Banco Central, alguns papéis são cobertos pela garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Atualmente a garantia do FGC cobre até o valor de R$ 250 mil, por CPF, por instituição financeira. E, desde o final de 2017, por aprovação do Conselho Monetário Nacional (CMN), foi estabelecido o teto global de R$ 1 milhão em cobertura a cada período de 4 anos, para garantias pagas para cada CPF ou CNPJ.

Dos títulos aqui citados, são contemplados pela garantia do FGC:

– LCI – Letra de Crédito Imobiliário;

– LCA – Letra de Crédito do Agronegócio;

– CDB.

Os títulos corporativos – como as debentures – não contam com a garantia do FGC. Muitas vezes, inclusive, a rentabilidade oferecida por esse tipo de título pode ser superior a outros investimentos semelhantes, a fim de balancear essa falta de garantia do Fundo Garantidor de Crédito.

Perfil de investidor

Outro ponto que deve ser considerado por você antes de escolher o melhor título de Renda Fixa para investir é o perfil de investidor e seu apetite à tomada de risco nos investimentos.

Ao analisar sua carteira de investimentos de maneira mais atenta, é importante que você verifique se ela é aderente ao seu perfil de investidor. Isso significa, portanto, que os investimentos devem atender não somente às suas necessidades de liquidez, mas também às suas expectativas e tolerância ao risco.

Qual é o melhor título de Renda Fixa?

Se você tem dúvidas sobre qual é o melhor título de Renda Fixa para você, invista um tempo e faça um exercício de análise das variáveis aqui tratadas sobre o tema. Avalie:

– Prazos e liquidez;

– Garantias;

– Seu perfil de investidor.

Desta forma, será totalmente possível escolher o melhor título de Renda Fixa para compor sua carteira de investimentos e manter um portfólio sólido e 100% alinhado ao seus objetivos e ao seu perfil de investimento.

Como escolher a melhor instituição para realizar meus investimentos?

Para tomar decisões de investimentos mais adequadas e em linha com seus objetivos, você deve contar com uma boa plataforma digital e assessoria de investimentos gabaritada.

Escolher um banco de investimentos conceituado e com expertise comprovada pode lhe ajudar a encontrar as melhores opções de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal.

Por isso, minha recomendação é a plataforma do BTG Pactual digital, onde é possível ter acesso a produtos de diversos bancos e contar com toda a expertise de mais de 35 anos em investimentos e gestão de recursos que só o banco de investimentos BTG Pactual pode oferecer.

Se o seu objetivo, no entanto, é realizar compra e venda de ações, basta utilizar o home broker do BTG Pactual digital.

Posts relacionados

Deixe seu comentário 0

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima