Ao dar os primeiros passos no mercado de ações, é comum que a maior parte dos investidores inicie seus investimentos adquirindo ações mais conhecidas do grande público – como os papéis da Petrobras (PETR4), da Vale (VALE3), do Itaú Unibanco (ITUB4), do Bradesco (BBDC4), da Ambev (ABEV3), entre tantas outras, tendo como referência, habitualmente, as grandes companhias que compõem a carteira teórica do Índice Ibovespa.

Inscreva-se em nossa newsletter

Preencha com um e-mail válido

Inscrição concluída com sucesso!

O que muitos investidores não sabem, entretanto, é que existem outras companhias menores e com menor liquidez na bolsa brasileira que também podem proporcionar excelentes oportunidades de investimento.  Estas companhias são conhecidas como Small Caps.

No artigo de hoje você conhecerá um pouco mais sobre as Small Caps e descobrirá por que pode valer a pena investir nestas empresas – que podem, inclusive, estar alinhadas à estratégia que você utiliza para realizar investimentos em ações.

O que são Small Caps?

As Small Caps são ações de empresas que costumam ter liquidez mais baixa e capitalização de mercado bastante inferior em comparação ao valor de mercado das Blue Chips – companhias sólidas e de maior liquidez, que costumam ser as principais opções de muitos investidores na bolsa de valores – como é o caso das já citadas Petrobras, Ambev, Vale, entre outras.

Não existe um número exato de capitalização de mercado ou volume de negociação diária que defina o que é ou não uma Small Cap; esta análise é feita por meio de comparação com empresas de maior expressão no mercado. O BTG Pactual, por exemplo, escolhe companhias com valor de mercado inferior a US$ 3 bilhões para compor sua carteira mensal de Small Caps.

Apesar do menor valor de capitalização e liquidez mais baixa que outras grandes empresas da bolsa, as Small Caps costumam ter alto potencial de valorização e podem se tornar excelentes opções de investimento para o investidor. Isso porque o volume de negócios e a capitalização de uma companhia listada no mercado de ações não servem, necessariamente, como referência qualitativa para uma escolha de investimentos.

Uma das maneiras mais simples de acompanhar o desempenho das Small Caps no mercado brasileiro é por meio do Índice Small Cap (SMLL). Criado há cerca de 12 anos, este índice reúne ações de empresas com menor valor de capitalização na B3 e que costumam gerar um volume de negociações diário menos elevado.

Qualidade x volume de negócios

É bastante frequente encontrar investidores que classificam a qualidade de uma ação pelo volume de negócios que ela apresenta ao longo das sessões no mercado financeiro. E isso é um erro. Mesmo sendo menos capitalizadas que as Blue Chips, por exemplo, as Small Caps não são, necessariamente, empresas ruins.

Muitas destas companhias Small Caps possuem excelente gestão e lucratividade – por vezes até superiores àquelas empresas mais sólidas do mercado. Neste contexto, estas empresas menores podem se mostrar como excelentes oportunidades de investimento para investidores que têm interesse em escolher ativos que, normalmente, ficam de fora do radar de grandes instituições e fundos – como é o caso dos fundos internacionais que investem no Brasil, que preferem concentrar seus esforços de investimentos nas maiores empresas do mercado, como aquelas que compõem o índice Ibovespa.

Um investidor que utiliza estratégias para investimento em ações – como a value investing ou estratégia com foco em dividendos, por exemplo, pode encontrar Small Caps que atendam às características da estratégia seguida e, consequentemente, realizar aportes nestas empresas Small Cap por fundamentos.

É imprescindível, portanto, que o investidor tenha em mente que existem boas oportunidades de investimento em ações na bolsa de valores brasileira que vão além daqueles papéis mais conhecidos do público em geral.

Como investir em Small Caps?

Pode parecer absurdo, mas saiba que muitos investidores escolhem Small Caps para compor suas carteiras de ações e sequer dão conta de que estão investindo em empresas consideradas Small Caps. Você sabia, por exemplo, que empresas como a CVC Brasil (CVCB3), Smiles (SMLS3), Via Varejo (VVAR11), São Martinho (SMTO3) e Gol Linhas Aéreas (GOLL4), por exemplo, compõem atualmente o índice Small Cap na bolsa brasileira?

Isso acontece porque, de maneira geral, o investidor que opta por realizar investimentos seguindo o viés fundamentalista não escolhe investir em Blue Chips ou Small Caps, mas adota uma estratégia fundamentalista que dê base para suas escolhas. Desta maneira, investir em Small Caps depende apenas de o investidor aumentar o número de companhias sob sua observação e considerar estas empresas de menor capitalização e liquidez na hora de investir.

Ao considerar investir em uma Small Cap, vale a pena sempre avaliar a competência da empresa em gerar lucros recorrentes e estáveis e sua capacidade de crescimento ao longo do tempo. Pesquisar, analisar e observar os fundamentos destas empresas pode ser suficiente para encontrar excelentes oportunidades de investimento entre as Small Caps do mercado brasileiro para composição da sua carteira.

Quem tiver interesse em investir especificamente em diversas Small Caps pode fazê-lo por meio de fundos de ações que investem somente em ações de empresas de menor expressão ou através do fundo de índice que espelha o Índice Small Cap na bolsa brasileira – o iShares BM&FBOVESPA Small Cap Fundo de Índice (SMAL11), que é negociado em bolsa.

Como escolher a melhor instituição para realizar meus investimentos?

Para tomar decisões de investimentos mais adequadas e em linha com seus objetivos, você deve contar com uma boa plataforma digital e assessoria de investimentos gabaritada. Escolher um banco de investimentos conceituado e com expertise comprovada pode lhe ajudar a encontrar as melhores opções de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal.

Por isso, minha recomendação é a plataforma do BTG Pactual digital, onde é possível ter acesso a produtos de diversos bancos e contar com toda a expertise de mais de 35 anos em investimentos e gestão de recursos que só o banco de investimentos BTG Pactual pode oferecer.

Se o seu objetivo, no entanto, é realizar compra e venda de ações, basta utilizar o home broker do BTG Pactual digital.

Posts relacionados

Deixe seu comentário 1

  1. Grande admiração tenho pelo André Bona, mas preciso dizer pra ele que: agora já passou a hora para investir, tanto em fundos cambiais, quanto em fundos de Indices.

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima