Investir em empresas que pagam bons dividendos é uma estratégia adotada por grandes investidores ao redor do mundo – como o brasileiro Luiz Barsi e o norte-americano John Davison Rockefeller, ainda no final do século XIX. E os motivos para se optar por este tipo de investimento são muitos.

Inscreva-se em nossa newsletter

Preencha com um e-mail válido

Inscrição concluída com sucesso!

Muitos investidores não sabem, mas além de oferecer uma maior segurança ao investidor na comparação com outros tipos de carteira de ações, o portfólio focado em dividendos permite a acumulação de patrimônio ao longo do tempo graças ao processo de recompra de ações utilizando os próprios rendimentos obtidos com a distribuição dos dividendos das companhias das quais o investidor é acionista.

O artigo de hoje tem como objetivo trazer maiores informações sobre a estratégia de dividendos no que se refere ao investimento em ações e explicar os benefícios de montar uma carteira com foco na distribuição de proventos – ou dividendos. Acompanhe!

A estratégia de dividendos

Para entender de uma maneira mais ampla a estratégia de dividendos em uma carteira de ações é preciso, primeiramente, compreender o que é o dividendo. Os dividendos – também chamados de proventos – representam parte dos lucros das empresas, que são distribuídos aos acionistas.

No Brasil, é comum que as companhias de capital aberto distribuam, no mínimo, 25% dos lucros aos seus acionistas. Existem, no entanto, empresas que costumam dividir uma parcela maior dos lucros com os investidores –  cujas porcentagens devem sempre estar previstas no estatuto social da companhia, enquanto a outra parcela dos rendimentos obtidos em um determinado período é utilizada para reinvestimentos na própria companhia.

Neste cenário, o foco da estratégia de dividendos para o investidor é, portanto, buscar investir naquelas empresas listadas em bolsa que possuem o maior índice de pagamento de dividendos frente ao preço de compra do ativo. Esta relação de retorno de dividendos – que mostra o quanto do valor pago em dividendos corresponde ao preço da ação – é denominada dividend yield.

Quanto maior o dividend yield de uma empresa, mais atraente ela se torna frente às outras companhias – representando a melhor escolha para o investidor que tem como objetivo montar uma carteira de ações focada em dividendos. Escolhidas as ações consideradas boas pagadoras de dividendos, estes investidores tendem a utilizar os rendimentos recebidos ao longo do tempo para adquirir novas ações e incrementar seu portfólio.

As melhores pagadoras de dividendos

Como você já sabe, algumas empresas pagam mais dividendos em relação ao lucro obtido que outras. Normalmente, companhias mais estáveis e consolidadas, que não necessitam mais de grandes investimentos – como é o caso das empresas do setor elétrico, as companhias de telefonia fixa ou as empresas de saneamento básico – são exemplos que costumam pagar bons dividendos.

Isso não significa, no entanto, que estas empresas são melhores, em termos de fundamentos, que outras companhias. O que ocorre é que existem empresas que estão em um cenário de intensa inovação e maior competição, que precisam reter uma parcela maior dos lucros obtidos para realizar investimentos que lhe permitam continuar crescendo e aumentando sua participação no mercado – como é o caso da gigante norte-americana Apple.

Se o objetivo do investidor, portanto, é escolher as melhores pagadoras de dividendos, empresas com maior estabilidade e menor nível de reinvestimentos podem figurar como boas opções para composição da carteira de ações com foco em proventos.

Uma carteira defensiva

Uma carteira de ações fundamentada no recebimento de dividendos tende também a ser mais defensiva na comparação com uma carteira de ações fundamentalista tradicional. Isso porque, ao passo que estas empresas mais consolidadas pagam um percentual de dividendo sempre maior que as demais companhias, acabam gerando caixa para o investidor e, consequentemente, se afastam do risco de mercado.

Já as companhias de capital aberto que precisam focar-se em realizar novos investimentos ao longo do tempo, por outro lado, acabam sempre se expondo mais ao risco de mercado e à volatilidade nos preços de suas ações.

Por conta deste contexto, é correto afirmar que uma carteira de dividendos tende a oscilar menos do que o índice Ibovespa e, em cenários de queda acentuada no mercado de ações, as empresas que pagam maios dividendos aos seus acionistas costumam cair menos. O movimento contrário, por outro lado, também ocorre: em momentos de alta acelerada no mercado de ações, os papéis companhias boas pagadoras de dividendos tendem a avançar menos.

Por que compor um portfólio com foco em dividendos?

Compor uma carteira de ações focada em dividendos oferece uma série de vantagens ao investidor. Para quem está na fase de acumulação, recomprar cada vez mais ações utilizando os pagamentos dos dividendos – somados aos aportes habituais – permite expandir com maior rapidez a carteira de ações e acumular mais patrimônio ao longo dos anos.

Para aqueles investidores que já possuem um patrimônio formado, a carteira com foco em dividendos permite a geração de uma renda recorrente proveniente destes recebimentos – que são pagos periodicamente enquanto o investidor possuir as ações destas empresas pagadoras de proventos.

Em ambos os casos, o investidor que opta por construir uma carteira de ações visando o recebimento de dividendos acaba estruturando um portfólio com objetivo previdenciário, isto é, tendo como meta aumentar a quantidade de ações ao longo do tempo para receber mais dividendos  até que a carteira gere rendimentos que possam ser suficientes para custear as despesas mensais do investidor e permitir que ele viva do recebimento destes proventos.

Atingir este patamar é perfeitamente possível, mas requer comprometimento, planejamento foco e, principalmente, disciplina. Mantendo seus aportes regulares e utilizando os dividendos para ampliar sua carteira de ações você consegue construir um sólido portfólio fundamentado no pagamento de proventos e, eventualmente, viver destes rendimentos em um determinado momento da sua vida.

Como escolher a melhor instituição para realizar meus investimentos?

Para tomar decisões de investimentos mais adequadas e em linha com seus objetivos, você deve contar com uma boa plataforma digital e assessoria de investimentos gabaritada. Escolher um banco de investimentos conceituado e com expertise comprovada pode lhe ajudar a encontrar as melhores opções de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal.

Por isso, minha recomendação é a plataforma do BTG Pactual digital, onde é possível ter acesso a produtos de diversos bancos e contar com toda a expertise de mais de 35 anos em investimentos e gestão de recursos que só o banco de investimentos BTG Pactual pode oferecer.

Se o seu objetivo, no entanto, é realizar compra e venda de ações, basta utilizar o home broker do BTG Pactual digital.

 

Deixe seu comentário 4

  1. Olá, bom dia.
    Este é investimento que pretendo fazer, e estou pesquisando as melhores empresas para comprar ações com foco no longo prazo, sempre reinvestindo os dividendos.
    Quais empresas brasileiras você recomendaria? É bom diversificar, certo?

    Obrigado!

    1. Fabricio, tudo bem?

      Com certeza diversificar é uma ótima receita para investir em ações. Não podemos fazer nenhuma recomendação de papéis, no entanto.

      Obrigado!

Posts relacionados

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima