Coluna André Bona

Heurística da disponibilidade: como ela afeta o investidor?

Na hora de tomar uma decisão, você já usou um conhecimento ou percepção que tinha antes, com base em sua experiência prévia? Certamente sim, pois todos estamos expostos ao mecanismo conhecido como heurística da disponibilidade.

Responsável por permitir que o cérebro faça escolhas rápidas, ela é uma ferramenta historicamente importante para a sobrevivência. Porém, pode gerar impactos em decisões que precisam ser pensadas mais lentamente. Por exemplo, na hora de investir.

Para esclarecer, você verá neste conteúdo a relação entre heurística e tomada de decisão sobre investimentos. Confira!

O que é heurística?

Primeiramente, quero apresentar o conceito de heurística. Esse termo está ligado ao funcionamento da mente humana, que busca alguns atalhos em determinadas situações na tomada de decisão.

Para ter uma resposta rápida, o cérebro pode buscar informações de fontes como as próprias experiências, emoções e impressões.

Portanto, a heurística envolve todas as etapas que levam a uma tomada de decisão que parece ser embasada em fatos, mas que não é racional, porque dá preferência para componentes emocionais.

O que é heurística da disponibilidade?

Sabendo que a heurística inclui uma espécie de atalho mental, podemos passar para a heurística da disponibilidade. Ela está relacionada a um processo cerebral em que o risco é dimensionado por percepções individuais e com base na memória.

Isto é, aquilo de que nos lembramos com mais intensidade parece ter uma probabilidade maior de acontecer, ainda que não seja essa a verdade dos fatos. Logo, tendemos a dar maior importância ao que aparece com maior disponibilidade em nossas recordações.

Pense na queda de um avião. Quando uma pessoa é exposta a diversas notícias do tipo e consegue se lembrar com facilidade dos acidentes, provavelmente terá uma avaliação que a situação é mais perigosa que um ataque de cachorro, por exemplo.

Porém, o fato é que é mais provável que uma mordida de um cão cause a morte de alguém do que a queda de um avião. A heurística da disponibilidade age, justamente, de modo a distorcer essa percepção.

Como conseguimos pensar em uma ou muitas quedas de avião com facilidade, a situação parece ser mais frequente que um ataque de cão.

O que é cascata de disponibilidade?

Uma vez cientes dos atalhos mentais, podemos pensar na heurística da disponibilidade em sua conexão com a cascata de disponibilidade. Ela é definida como uma retroalimentação da percepção de risco.

Ou seja, quanto mais você é exposto a determinada situação ou informação, mais presente ela fica na sua memória. Logo, maior é sua contribuição à percepção de risco. Ela está atrelada à heurística da disponibilidade, já que afeta a percepção sobre a probabilidade de um evento acontecer.

De volta ao exemplo dos acidentes aéreos, é comum que, após uma situação como essa, os jornais façam uma extensa cobertura sobre o fato, não é mesmo? Por si só, isso já reforça o cenário na mente humana, dando a ideia de que aquilo é algo muito provável.

Devido ao interesse e à audiência que o assunto gera, é normal que a imprensa foque ainda mais em noticiar outros acidentes. São situações que acontecem em outros momentos, mas que nem sempre recebem atenção por não terem tanto impacto.

Porém, após a notícia da primeira queda ou ocorrência aérea, outras notícias são divulgadas. Isso dá a impressão de que os problemas do tipo são muito frequentes ou que até mesmo têm acontecido com maior intensidade no período recente.

Como esses conceitos se aplicam ao mundo dos investimentos?

A heurística não tem impactos apenas na tomada de decisão de questões cotidianas. Ela também afeta o relacionamento com o mercado financeiro. Entre outras coisas, influencia como você escolhe seus investimentos.

Isso acontece, por exemplo, quando vê notícias sobre um investimento que tem alcançado grandes resultados. A informação é repetida tantas vezes que ativa o atalho da cascata de disponibilidade e pode fazer com que você acredite ser uma alternativa segura e vantajosa.

Também é o que ocorre ao se deparar com a necessidade de escolher um investimento ou tomar uma decisão. Em vez de avaliar a situação específica, você se lembra do que leu em uma notícia ou do que outros investidores falaram.

Ao confiar somente na memória e nas suas percepções, você está adotando a heurística da disponibilidade. Pode acontecer de acertar com a ajuda de um atalho mental, mas também há grandes chances de as decisões de investimento não saírem como o esperado.

Além disso, ela costuma estar relacionada ao chamado efeito manada. A decisão de entrar ou sair de uma posição apenas porque outras pessoas estão fazendo pode fazer com que você desperdice oportunidades ou perca dinheiro.

Afinal, se todos estão entrando em um investimento, há um aumento na procura em relação à demanda. É algo que puxa o preço para cima e diminui ou até elimina o potencial de valorização.

É possível fazer diferente?

Como disse, a tomada de decisão do investidor pode ser direta e intensamente impactada pela heurística da disponibilidade. E isso pode acontecer mesmo que você não se dê conta. Diante de uma certeza tão absoluta sobre qual caminho seguir, essa parece ser a melhor alternativa.

Porém, confiar apenas nesse tipo de percepção pode fazer com que você avalie os riscos incorretamente. Quer um exemplo?

Ao falar no investimento em ações e na renda variável, em geral, é comum dizer que os riscos são maiores, o que não deixa de ser verdade. Porém, se você investir no longo prazo, eles serão diluídos e podem se encaixar na carteira mesmo de quem não é tão arrojado ou agressivo.

Caso você se deixe levar pela percepção que investir na renda variável é sempre arriscado e que investir na renda fixa é sempre seguro, pode perder a chance de diversificar. Para fugir da heurística da disponibilidade, é preciso buscar outras fontes de informação.

É o caso de estudar o mercado, realizar análises fundamentalistas e buscar aprender cada vez mais sobre os produtos, as modalidades e as estratégias. Assim, as escolhas passam a acontecer com base em dados concretos e em conhecimentos sólidos.

Como você viu, a heurística da disponibilidade envolve atalhos mentais que podem afetar diretamente a sua tomada de decisão. Portanto, o que sempre recomendo é aumentar seus conhecimentos e fazer análises completas para definir qual caminho seguir com seu portfólio.

Ficou com alguma dúvida sobre esse recurso usado pelo nosso cérebro? Deixe um comentário!

 

André Bona:

Com mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, ensinando milhares de pessoas a investirem melhor, Bona é professor, palestrante e parceiro de conteúdo do BTG Pactual digital.

Posts relacionados

Deixe seu comentário 0

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima