Fazer compras para si, para parentes e amigos no final do ano é tradição para muitos brasileiros. Afinal, o ato de presentear e ser presenteado é uma característica do nosso povo – sobretudo em épocas festivas, como o Natal.

Este período natalino, no entanto, pode trazer consigo uma grande armadilha financeira para quem não consegue adotar o hábito de fazer compras conscientes e sustentáveis. E o resultado deste excesso de gastos quase sempre é o endividamento e a desorganização financeira.

Por isso, no artigo de hoje, dividirei com você algumas dicas para fazer boas compras de Natal sem estourar o seu orçamento e sem atrapalhar seu planejamento financeiro para o próximo ano. Acompanhe!

O consumo consciente

O consumo consciente é um hábito que deveria fazer parte do cotidiano de qualquer pessoa – em qualquer época do ano. Em linhas gerais, o consumo consciente defende uma maneira saudável de consumir produtos e serviços no dia a dia, prezando sempre pela consciência na hora de comprar e evitando o impulso durante as compras.

A ideia é manter o consumo sustentável ao longo de todo o ano, evitando gastos exagerados e o comprometimento do planejamento financeiro. Para as épocas de festas, no entanto, praticar o consumo consciente é ainda mais importante.

Isso porque as compras de Natal não podem – e não devem – prejudicar o orçamento do ano seguinte. Por isso, é preciso delimitar os gastos e organizar as finanças corretamente para que não haja comprometimento do orçamento no próximo ano – devido, por exemplo, ao parcelamento dos presentes natalinos.

A importância da compra à vista

De todas as dicas que posso dividir com você com o objetivo de ajudá-lo a fomentar os gastos conscientes durante as compras de Natal, a mais importante é, sem dúvidas, a questão das compras à vista.

Nesta época do ano, é comum que as pessoas optem por caprichar nos presentes que serão oferecidos a familiares e amigos, pagando todas estas compras através do parcelamento no cartão de crédito. No âmbito financeiro, esta é uma das piores escolhas que alguém pode fazer.

Quando você parcela uma compra está simplesmente gerando uma dívida, que deverá ser paga ao longo dos próximos meses. Desta maneira, você acaba comprometendo parte da sua renda futura – aquela que você ainda nem sequer recebeu – para pagar uma despesa passada.

E, quando os parcelamentos são muitos – como é comum na época de Natal, o comprometimento da renda é ainda maior. Em muitos casos, a conseqüência destas compras desenfreadas acaba sendo o endividamento, com o consumidor não tendo dinheiro suficiente ao longo dos meses seguintes para honrar a dívida adquirida.

Portanto, para as compras de Natal deste ano, não entre em parcelamentos. Se o dinheiro está curto neste mês, opte por comprar lembranças e presentes de valor mais baixo. Assim você conseguirá presentear quem é importante para você sem abrir mão da sua saúde financeira – ou sem se endividar ainda mais, caso você já tenha débitos pendentes.

Como fazer boas compras de Natal?

Você já sabe que não há boas compras de Natal sem o pagamento à vista. Porém, existem outras maneiras de fazer excelentes compras nesta época do ano que, se somadas ao pagamento imediato, podem ajudar você a poupar dinheiro manter suas finanças em ordem para o próximo ano.

Confira a algumas destas dicas para garantir boas compras nesta época do Natal sem cair nas armadilhas do consumo por impulso e do parcelamento:

Defina o quanto você quer (e pode gastar)

Definir o valor que você pretende e pode gastar com cada presente é um passo importante para fazer boas compras de Natal e ter gastos conscientes, que não representarão perigo ao seu planejamento financeiro.

Nesta etapa, você pode estabelecer um limite maior de gastos para presentes de pessoas mais próximas – como cônjuge e filhos – e delimitar uma quantia menor para parentes mais distantes ou colegas de trabalho, por exemplo.

Organize um amigo secreto

Se ficar muito difícil para você estabelecer um limite de gastos para o Natal e priorizar determinadas pessoas na hora de comprar o presente natalino, uma alternativa para não prejudicar suas finanças é organizar um amigo secreto – seja no trabalho ou no ambiente familiar.

O amigo secreto promove uma integração positiva e agradável – típica desta época do ano – entre os participantes enquanto permite que os gastos com o presente a ser dado seja reduzido, já que apenas uma pessoa será presenteada por outra participante. Além disso, é comum estabelecer uma faixa de preços para os presentes do amigo secreto, facilitando o planejamento e a organização financeira de todos os participantes.

Antecipe suas compras

Antecipar as compras de Natal e evitar comprar presentes de última hora também é uma boa maneira de evitar gastos adicionais e fazer boas compras nesta época do ano. Quem costuma organizar a ainda no primeiro semestre de cada ano a lista de presentes para amigos e parentes no Natal pode, inclusive, começar a adquirir os presentes com bastante antecedência, ao longo dos meses que antecedem o final do ano.

Desta forma acaba ficando mais fácil aproveitar promoções sazonais e adquirir produtos com descontos – resultando em grande economia e gastos conscientes, que são diluídos ao longo do ano e não pesam no orçamento no mês de dezembro.

Pesquise preços

Pesquisar preços antes de sair comprando todos os presentes de Natal é uma atitude importante para economizar dinheiro com as compras natalinas. Em geral, a internet costuma oferecer as melhores ofertas em relação às lojas físicas – sendo uma alternativa para comprar de maneira consciente e economizar, além de dinheiro, um pouco de tempo.

Por meio de uma breve pesquisa online é possível verificar os preços em diversas lojas virtuais e escolher aquela que oferece os melhores benefícios – como custos mais baixos, maior credibilidade perante o consumidor, entrega mais rápida e mais barata, entre outros.

Neste período de final de ano também é comum encontrar lojas online – e algumas lojas físicas – fazendo saldão de Natal. Estas podem ser oportunidades interessantes para fazer suas compras natalinas sem causar um rombo no seu orçamento.

Avalie o custo total da compra

Observar o custo total da compra antes de adquirir um produto é uma etapa importante do processo de compra consciente durante o Natal – e também ao longo de todo o ano. Os custos totais incluem o custo de aquisição do produto (preço do item, instalação e frete) e o custo de utilização, que são os gastos decorrentes do uso do produto adquirido.

Ao comprar, por exemplo,  um celular para presentear seu filho vinculado a um plano pós pago mensal, você estará adquirindo o aparelho por um determinado preço e se comprometendo a pagar uma conta de telefone todos os meses – o que gera um custo adicional pelo uso do item. Este custo de utilização, muitas vezes, passa despercebido pelos consumidores, e acaba impactando negativamente nas finanças ao longo do tempo.

Por isso, antes de decidir quais presentes comprar para si e para seus amigos e familiares neste final de ano e em qualquer outra época, avalie os custos totais da compra e verifique se estes custos totais não comprometerão seu orçamento ao longo do tempo.

Fuja do parcelamento

Vale a pena reforçar, mais uma vez, a importância de fugir do parcelamento durante as compras de Natal. Tenha em mente que as compras realizadas no mês de dezembro devem ser quitadas no mês vigente, e não deixadas para serem pagas ao longo dos meses seguintes.

Mantendo bons hábitos financeiros, praticando a compra consciente e buscando maneiras de economizar na hora das compras de Natal você conseguirá encerrar o ano com as contas em dia e começar um novo ano com as finanças organizadas – sem dívidas e sem parcelas a vencer.

E você, tem feito sua parte para realizar gastos conscientes durante as compras de Natal? Reflita sobre esta questão e, se preciso, comece agora mesmo a transformar seus hábitos financeiros!

André Bona
Educador financeiro, criador do Blog de Valor – site de educação financeira independente – e possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro tendo auxiliado milhares de investidores a investirem melhor seus recursos.

Posts relacionados

Deixe seu comentário 0

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima