Existem pessoas que ainda acreditam que investir na Bolsa de Valores é como um jogo de azar – o que não é verdade. E há também quem se oriente a partir da máxima de “comprar na baixa e vender na alta” e quem investe a partir das escolhas de outros investidores.

Mas o fato é que a maioria das pessoas que desejam investir em renda variável buscam descobrir como encontrar boas oportunidades na Bolsa. Afinal, como fazer boas escolhas e obter bons resultados no mercado de ações?

Infelizmente, não existe mapa da mina que nos mostra o passo a passo para termos sucesso absoluto nesse mercado. Ainda, lamentavelmente, existe muita informação equivocada na internet – que pode fazer com que um investidor mais inexperiente se frustre.

Contudo, existem algumas boas práticas que podem lhe ajudar a ter sucesso na bolsa. É sobre elas que falarei neste artigo.

Boa leitura!

Boa prática 1: mudança de mindset

Para começar, é importante ter em mente que Bolsa de Valores é um ambiente no qual são negociados títulos emitidos por empresas.

No âmbito de bolsa, existe um indicador das ações mais negociados na bolsa brasileira B3), denominado Índice Bovespa (Ibovespa). Trata-se de uma carteira teórica que reúne os papéis com maior volume de negociação no mercado nacional, e que serve como parâmetro para o mercado nacional e internacional.

Por isso, quando há ruídos no mercado – interno ou externo, seja de qual natureza for, é bastante normal que este indicador oscile. Esta oscilação, portanto, é bastante frequente e faz parte do mercado de renda variável.

Entretanto, para encontrar boas oportunidades na bolsa, todo investidor precisa compreender que, quem investe em ações está investindo em uma empresa, e toda empresa tem um valor intrínseco – que, normalmente, não tem qualquer relação com cenários macro internos ou externos.

Para entender, pense em uma padaria. Não importa como está o comércio no bairro. O valor da padaria se dá pela quantidade de pães que ela vende diariamente, com seus resultados financeiros e a gestão do negócio.

Com ações o raciocínio é o mesmo. Ou seja, sempre que você for procurar oportunidades na Bolsa, foque nas empresas – pois é uma parte dela que você estará adquirindo ao investir em ações.

Uma vez que o investidor conhece bem os fundamentos da empresa e entende que quem investe na Bolsa está investindo em uma companhia independente de cenários políticos ou econômicos, essa mudança de mindset acontece.

 

Assim, o investidor compreende que as suas decisões de investimento devem estar pautadas nos seus objetivos pessoais, perfil de investimento e nos fundamentos das companhias. E, desta forma, ele consegue lidar melhor com os riscos, tomar decisões mais seguras e enfrentar melhor as flutuações normais de qualquer aporte em renda variável.

Boa prática 2: conheça a empresa que você quer investir

Entendido que investimento em ações é o mesmo que investimento em empresas – independente de cenários, existe toda uma base teórica que o investidor deve seguir para encontrar boas oportunidades na Bolsa, como já comentei acima.

Comprar ações não é um ato aleatório e, menos ainda, algo impulsivo. Não é porque as ações de uma empresa estão subindo muito que elas serão lucrativas. Da mesma maneira, não é porque uma empresa está em recuperação judicial que suas ações estão fadadas ao fracasso.

Depois de mudar o mindset, o segundo passo para identificar oportunidades na Bolsa é estudar sobre a empresa e o mercado que ela opera.

Analise, por exemplo, o histórico da companhia, seus valores, como ela está posicionada em relação aos concorrentes. Conheça os diferenciais de seus produtos/serviços/atendimento, como tem sido seu crescimento, quanto teve de lucro nos últimos anos, a geração do seu fluxo de caixa, quais são suas dívidas, entre outros dados.

Em suma, procurar oportunidades na Bolsa é analisar a empresa que você pensa em investir e também os riscos que ela pode lhe oferecer (abordarei sobre isso adiante).

Boa prática 3: mercados eficientes x economia comportamental

A teoria dos mercados eficientes diz que as informações são universalmente compartilhadas e que os preços dos ativos são determinados pelas notícias de hoje e não pelas tendências de ontem. Em outras palavras, seria o mesmo que dizer que o preço sendo negociado hoje não tem nenhuma oportunidade adicional.

Seguindo essa hipótese, pensar em rentabilidade da ação acima da rentabilidade do mercado seria algo sem sentido. Ou seja, considerando a teoria, seria mais interessante procurar por investimentos que rendam exatamente o mesmo do indicador em questão – que, no caso das ações, é o índice Ibovespa.

Acontece que existe algo chamado de teoria comportamental, a qual explica as anomalias do mercado de ações – como aumentos ou quedas fortes no preço dos ativos.

A teoria sustenta que os investidores se comportam de maneira irracional quando não processam corretamente todas as informações disponíveis enquanto formam suas expectativas em relação ao futuro de uma empresa.

Ainda, ela sugere que os padrões de excesso de confiança, reação exagerada e representação excessiva são comuns a muitos investidores. Essas reações podem ser grandes o suficiente para impedir que o preço das ações de uma companhia reflita os verdadeiros fundamentos econômicos.

Com base na economia comportamental, os preços negociados são diferentes dos preços que uma companhia efetivamente vale (relação de preço e valor que explico no próximo tópico). E é justamente aí que podem estar as oportunidades na Bolsa.

Seguindo o raciocínio, pode haver mais oportunidades nas ações menos negociadas – de menor volume, porque são ações menos cobertas pelo mercado e por analistas.

Boa prática 4: oportunidades na bolsa – preço e valor

Valor tem a ver com a atividade operacional da empresa e não tem relação com quanto ela está sendo cotada no mercado. Já o preço é exatamente o quanto a companhia é cotada – ou seja, quanto vale uma ação da empresa na bolsa.

Existe um componente de subjetividade quando falamos em valor. Para mitigá-lo, o investidor pode traçar alguns cenários.

Voltando ao exemplo da padaria: suponha que ela venda mil pães por dia. O que acontece com seu valor se ela vender 800 pães? E caso venda dois mil?

Pensando nos mais variados cenários, encontra-se o lucro futuro da padaria, desconta-se o valor presente e coloca-se uma taxa de atratividade. Com isso, chegaremos ao valor que teria a padaria no presente, em um determinado cenário.

Mas vale lembrar: trata-se de uma projeção de futuro, o que significa que não é uma ciência exata.

Esse conceito é importante justamente pelo fator comportamental dos investidores. Muitas vezes temos uma ação que está subindo – o que faz com que muitas pessoas invistam nela.

O problema é que também, em grande parte das vezes, a ação subiu por uma euforia do mercado – não necessariamente significando que o valor da empresa está aumentando.

Por isso, é fundamental verificar se o preço do ativo corresponde realmente ao valor da empresa, para mais ou para menos. Boas oportunidades na Bolsa podem ser encontradas com essa análise.

Boa prática 5: analise o risco

Para encontrar oportunidades na Bolsa, temos que conhecer as empresas. Isso significa analisar também seus riscos – sendo que, neste caso, o risco se relaciona com a atividade operacional propriamente dita.

Dentre os riscos, podemos citar:

  • Probabilidade de aparecer um concorrente mais forte;
  • Aparecer um produto substituto;
  • Problemas gerenciais;
  • Dificuldades de arcar com suas dívidas;

Além dos fundamentos, portanto, uma boa análise dos riscos deve ser realizada pelo investidor que deseja encontrar boas oportunidades na Bolsa de Valores.

Concluindo

Não existe um guia prático que garanta boas oportunidades na Bolsa. Investir em renda variável é entender que existem riscos e, acima de tudo, oscilações.

Entretanto, no caso das ações, o ponto principal para identificar boas oportunidades é saber que, ao investir em uma ação, o investidor está comprando uma fração da empresa. Logo, a primeira avaliação que deve ser feita é justamente com relação à companhia em si.

Então, estude a empresa na qual você tenha interesse, conheça seu valor de mercado e analise o preço da ação. Somente a partir de uma análise sólida você conseguirá, de fato, encontrar boas oportunidades na bolsa e formar uma boa carteira de ações.

 

Deixe seu comentário 0

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima