O que vemos na literatura dos grandes investidores, e que chama a atenção, é que muitas pessoas gastam bastante energia na hora de escolher uma empresa que vai compor a sua carteira de Ações. Isso acontece tanto no momento de comprar quanto de vender os papéis.

No entanto, enquanto tem a empresa na carteira, muitos investidores não se dedicam nada ao assunto. E é justamente no período que ele é sócio que a displicência ocorre. Ou seja, é uma atitude irracional, já que devemos acompanhar os negócios dos quais somos sócios.

Em alguns casos, a falta de acompanhamento se dá por não saber como fazer isso. Então hoje eu trouxe algumas dicas para ajudá-lo. Não perca!

Siga o RI das empresas

Você sabia que as empresas possuem um departamento responsável pela comunicação com os investidores? Ele é chamado de RI (Relações com Investidores) e conta com uma equipe capacitada para tirar as dúvidas. Também é sua responsabilidade divulgar resultados financeiros e relatórios.

É obrigatório que todas as empresas de capital aberto tenham uma área de RI. Essa é uma das exigências da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) para que as companhias possam comercializar as suas Ações na bolsa de valores.

Além do compartilhamento de dados, o RI deve organizar reuniões públicas com os acionistas. Para conseguir desempenhar bem a sua função, é importante que o departamento esteja integrado com outras áreas da companhia, como os departamentos jurídico, financeiro e executivo.

Assim, ele pode fornecer informações relevantes e transparentes sobre a empresa. Logo, o investidor se mantém atualizado sobre o pode influenciar nos resultados dos investimentos. Afinal, eles são sócios e têm o direito de saber como andam os negócios.

Como receber as informações?

Agora que você conhece o RI, pode se cadastrar para receber todos os informativos da empresa diretamente no seu e-mail. É possível fazer isso no próprio site da companhia, em que normalmente existe uma seção específica do departamento.

Relatórios trimestrais e comunicados recentes também podem ser consultados no site. Mas a vantagem do e-mail é que você recebe as informações de forma prática e pode acessá-las quando quiser.

Além disso, o RI permite que os acionistas entrem em contato e tirem algumas dúvidas. Isso é interessante para quem quer acompanhar a empresa que tem na carteira. Para aproveitar, basta mandar e-mail ou ligar para os profissionais que fazem parte do departamento.

Vale destacar que não é necessário ficar acompanhando tudo o que acontece com a empresa. Contudo, é útil receber as principais informações e visualizar os resultados frequentemente.

Ademais, se um dia a organização realizar uma teleconferência, por exemplo, vale a pena participar para entender como funciona. Esse é um meio para conseguir informações diretamente com a empresa.

Ative a ferramenta do Google Alerts

Você conhece o Google Alerts? A ferramenta detecta novos conteúdos indexados pelo Google, como notícias, artigos, páginas da web, posts de blogs etc. Depois, ela notifica os usuários cadastrados por e-mail.

Essa é uma opção gratuita e fácil de usar para quem quer ficar por dentro de um determinado assunto. Por esse motivo, o serviço pode ser muito interessante para os investidores que querem acompanhar as empresas que possuem na carteira de Ações.

Leia também: Como diversificar sua carteira da maneira correta em Renda Variável?

Como criar um alerta?

O processo é bastante simples. Primeiro, faça login em sua conta do Google e acesse a página de alertas. Para criar o alerta, basta colocar o nome ou o código da empresa para receber as informações da companhia no e-mail.

É possível definir a frequência de atualização, como uma vez por dia ou por semana. Você também pode escolher o melhor horário para receber os e-mails.

O Google Alerts faz, então, uma pesquisa de tudo que saiu na internet sobre aquela empresa que você cadastrou na ferramenta. Sempre que ele encontrar alguma novidade, um e-mail é enviado e o investidor pode acompanhar a publicação.

Dessa forma, é possível saber não apenas os dados relativos às finanças, mas principalmente obter informações da própria atividade da empresa. Ou seja, você não estará limitado a saber que uma instituição é recomendada por uma análise ou que ela reportou resultados positivos, por exemplo.

Afinal, esses são os fatores financeiros básicos, que os acionistas podem obter com o cadastro no RI, como mencionei. Mas com o Google Alerts é possível ir além. Você pode ser informado que a companhia participou de um evento, que está estudando se fundir com outra, que fez determinada atitude filantrópica, que planeja desenvolver um novo projeto etc.

Essas são informações da atividade empresarial, que é o grande ponto que o investidor tem que se conectar. Quando digo isso, é pensando especialmente naqueles que têm uma cabeça de sócio (ou seja, com foco no longo prazo). E não de trader (com foco no curto prazo).

Pesquise no próprio site quem forma o conselho da empresa

Outra possibilidade para acompanhar as empresas é pesquisar no próprio site do RI como é formado o conselho e a diretoria da empresa. Na página, você pode conferir quem é o CEO (Chief Executive Officer), CFO (Chief Financial Officer) ou COO (Chief Operating Officer) da companhia.

Aproveite também para conhecer outros profissionais importantes. Inclusive, é interessante verificar se eles têm perfil em alguma rede social, como o LinkedIn – que é muito utilizado para assuntos profissionais.

Se encontrar os perfis, comece a acompanhar as postagens das pessoas. De certa forma, isso dá ao investidor ideias mais amplas de qual é o estilo da diretoria daquela empresa da qual ele é sócio.

Assim, é possível conhecer mais sobre o negócio, além de saber como ele é gerido. Os executivos podem até dar informações importantes, como trocas de equipes e planejamentos para o futuro.

Todos os pontos que apresentei ajudam a começar a entender mais sobre a empresa em si e sobre sua atividade operacional. Percebe que isso vai muito além do que apenas saber se a companhia se valorizou ou desvalorizou, sem entender por quê?

Agora você sabe como acompanhar as empresas que estão na carteira de Ações. Os fatores que apresentei trazem uma conexão entre a companhia e o investidor que se porta como sócio. Ou seja, que não tem apenas uma cabeça financista somente esperando que as Ações subam!

Gostou do assunto e quer continuar por dentro das novidades do mercado financeiro? Então siga os perfis do BTG Pactual digital nas redes sociais! O maior banco de investimentos da América Latina está no Facebook, Twitter, YouTube, Instagram, LinkedIn e Spotify!

Posts relacionados

Deixe seu comentário 0

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima