O sonho do “rendimento fácil” atrai muitas pessoas para comprar e negociar ações. Erroneamente, há aqueles que ainda pensam que o dinheiro aplicado na bolsa multiplicará sem esforços.

O fato é que, quando falamos de investimentos em ações, pode até ser que isso aconteça uma vez ou outra, mas não existe nenhuma regra.

Por ser um investimento de renda variável, os valores das ações oscilam constantemente, para mais ou para menos. Isso significa que, quando abordamos o assunto, é impossível garantir rentabilidade.

Para diminuir o risco de perdas, o investidor precisa tomar algumas atitudes. Uma delas é escolher, dentre as estratégias da bolsa, aquela que seguirá para montar sua carteira de ações.

Neste artigo, abordarei as principais estratégias de longo prazo e as que visam especulação por um período mais curto de tempo. Conhecê-las pode ajudar você a tomar as melhores decisões nos seus investimentos.

Estratégias da bolsa: longo prazo

Ao visar o longo prazo, o investidor pode valer-se da chamada análise fundamentalista. Por meio dela é possível examinar as situações econômica, financeira e mercadológica de uma companhia.

O objetivo é conseguir obter uma projeção consistente sobre o futuro da empresa sendo avaliada.

Dentre as principais estratégias da bolsa para longo prazo, a análise fundamentalista é muito utilizada por investidores que buscam compor uma carteira mais sólida, visando a valorização do papel ao longo do tempo. São os investidores que optam por estratégias com foco em dividendos, value investing e buy and hold, por exemplo.

A seguir explicarei cada uma delas com mais detalhes.

Dividendos

Investir em ação é comprar um pequeno pedaço de uma empresa negociada em bolsa. Quando a empresa gera lucros, parte desse lucro normalmente é distribuído aos acionistas – são os chamados dividendos.

São muitos os investidores que buscam investir em companhias que pagam bons dividendos periodicamente. Desta forma, além de ganhar com eventuais valorizações dos papéis, o investidor recebe dividendos ao longo do tempo.

Das estratégias da bolsa, uma dúvida comum com relação aos dividendos é sobre sua distribuição mínima. No Brasil, não existe uma lei que estabeleça um valor mínimo e que obrigue a empresa a distribuir seus dividendos, e cada companhia define a questão de dividendos em seus respectivos estatutos.

Para saber se uma empresa oferece boas oportunidades de divisão de lucros, o investidor conta com dois indicadores principais:

  • Dividend Payout: refere-se à porcentagem de lucro definida pela empresa para ser distribuída entre os investidores (por exemplo, 25% dos lucros);
  • Dividend Yield: representa o rendimento da ação em relação ao preço do ativo.

Para saber mais sobre esta estratégia, recomendo o artigo Investimento em ações: estratégia de dividendos.

Value investing

Entre as estratégias da bolsa mais utilizadas está a value investing. Esta estratégia de investimento consiste em se encontrar ações subvalorizadas no mercado, isto é, que são negociadas abaixo do seu valor intrínseco.

Investidores que adquirem ações com base nesta estratégia (os value investors) o fazem com o objetivo de aguardar a convergência de fatores que levarão estes papéis aos seus preços considerados justos. Na maioria das vezes, os value investors são orientados para médio e longo prazo.

Por isso, costuma-se dizer que investidores que optam pela estratégia de value investing devem ter disciplina, paciência e força psicológica para analisar e desenvolver convicções que, muitas vezes, vão contra o consenso geral. Isso porque analisar o quanto vale uma ação pode ser uma tarefa bastante subjetiva.

Para saber mais sobre, recomendo o artigo Investimento em ações: estratégia de value investing.

Buy and hold

Simplificadamente, buy and hold é a estratégia de comprar ações (buy) e segurá-las (hold) para o longo prazo. O objetivo é esperar que, ao longo de um bom período de tempo, as ações se valorizem – superando as oscilações do curto prazo e gerando lucros ao investidor.

No entanto, quando falamos de estratégias da bolsa, o conceito de buy and hold é muito confundindo com a máxima “comprar e esquecer” (buy and forget). É importante que o investidor saiba que “segurar” uma ação é muito diferente de esquecê-la.

Ao optar por buy and hold, o acionista segue a premissa de que comprará ativos de excelentes empresas (mais maduras e não-cíclicas) e segurará as ações enquanto a empresa continuar apresentando excelência em suas operações. Perceba, portanto, que não se trata de segurar a ação sob qualquer circunstância.

Como comentei neste post, o investidor buy and hold normalmente possui uma mente voltada para a lucratividade da empresa e pagamento de dividendos, e não no potencial de valorização de suas ações.

Estratégias da bolsa: curto prazo

Estratégias da bolsa visando a especulação em um período mais curto de tempo costumam seguir a análise técnica. Trata-se do estudo dos movimentos do mercado financeiro, a fim de encontrar pontos de compra e venda aproveitando as variações dos preços das ações.

Entre as diversas estratégias especulativas que costumam utilizar a análise técnica, abordarei as seguintes: day trade, swing trade e long & short. Acompanhe mais detalhes sobre cada uma delas.

Day trade

Day trade, ou “Dia de Negócios” em uma tradução livre, corresponde a todas as operações de compras e vendas dos mesmos ativos realizadas em um mesmo dia na bolsa de valores.

Na prática, quando o investidor compra um determinado número de ações por um preço e decide zerar a posição (ou seja, vender a mesma quantidade dos mesmos ativos ao longo do dia), dizemos que ocorreu o day trade.

Das estratégias da bolsa, os day trades podem durar alguns poucos minutos ou até algumas horas. No entanto, para ser classificado como tal, a operação deve, obrigatoriamente, iniciar e finalizar no mesmo dia.

É por meio da análise técnica que os traders acompanham as oscilações de preços e o desempenho históricos dos ativos. Tudo isso para tentar identificar a tendência futura de comportamento de uma ação.

Swing trade

Nesta estratégia o trader aposta em tendências de mercado em períodos maiores que um dia, a fim de ganhar dinheiro com a variação no preço das ações. Por permitir um tempo maior para análise sem exigir ações em curtíssimo prazo – como seria no day trade, o swing trade tende a ser uma estratégia especulativa que envolve um grau um pouco menor de riscos.

Importante ressaltar, no entanto, que, como todo investimento em renda variável, investir em ações e adotar a estratégia swing trade tem riscos. Para minimizá-los, o trader costuma utilizar uma ferramenta conhecida por Stop Loss – acionada caso o movimento esperado na operação não aconteça.

Long & Short

O Long & Short (Comprado e Vendido) é uma estratégia que combina as operações de compra e venda de dois ativos (ou seja trata-se de operações simultâneas). Imagine por exemplo que, com a desvalorização do real, uma empresa X se beneficie, enquanto a Y seja prejudicada.

Em situações como essa, o Long & Short possibilita uma operação que se beneficia de uma performance melhor de uma empresa do setor X contra uma empresa do setor Y. Outra forma de adotar a estratégia é comprar ações de empresas do mesmo setor – desde que as movimentações de suas respectivas ações sejam correlacionadas.

Das estratégias da bolsa, no Long & Short o investidor poderá não apenas ganhar na alta ou na queda das ações, mas tentar obter ganhos quando uma ação conquistar uma performance superior à de outra ação.

Se você tiver interesse nesta estratégia, recomendo o artigo Ações: o que é e como funciona a estratégia de Long & Short.

Conclusão

Conhecer as estratégias da bolsa é um passo importante para todo investir que deseja investir no mercado de ações – seja para longo prazo, visando a montagem de uma carteira sólida de investimento, ou no curto prazo, visando especulação neste ambiente.

Além disso, vale sempre reforçar que investir em ações é conviver com oscilações ao longo do tempo e se expor a maiores riscos.

Compreendendo esta característica do mercado de renda variável e buscando aprender cada vez mais sobre o assunto, certamente ficará cada vez amis fácil para o investidor tomar boas decisões de investimento no seu dia a dia.

E caso você esteja iniciando seus aportes ou queira entender um pouco mais sobre investimento em bolsa, sugiro o conteúdo: Como investir em ações?

Como escolher a melhor instituição para realizar meus investimentos?

Para tomar decisões de investimentos mais adequadas e em linha com seus objetivos, você deve contar com uma boa plataforma digital e assessoria de investimentos gabaritada.

Escolher um banco de investimentos conceituado e com expertise comprovada pode lhe ajudar a encontrar as melhores opções de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal.

Por isso, minha recomendação é a plataforma do BTG Pactual digital, onde é possível ter acesso a produtos de diversos bancos e contar com toda a expertise de mais de 35 anos em investimentos e gestão de recursos que só o banco de investimentos BTG Pactual pode oferecer.

Se o seu objetivo, no entanto, é realizar compra e venda de ações, basta utilizar o home broker do BTG Pactual digital.

Posts relacionados

Deixe seu comentário 0

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima