A maneira de ganhar dinheiro com as ações na bolsa de valores é intuitiva para boa parte dos investidores – uma vez que estes investidores sabem que o ganho se dá ao comprar uma ação por um determinado valor e vendê-la por um valor superior posteriormente.

Outra forma de obter rendimentos com as ações é por meio de estratégias que permitem ao investidor ganhar com a queda nas ações – que ocorre quando se faz uma venda por um determinado preço e uma compra posteriormente por um preço inferior. Falamos mais sobre esta estratégia de como ganhar com a queda na bolsa em outro artigo (clique aqui e confira).

Mas, uma vez que o investidor compreende estas duas maneiras de ganhar dinheiro na bolsa, é possível expandir ainda mais os horizontes e buscar uma operação que combine estas duas operações citadas anteriormente.  O conjunto destas duas operações na bolsa é possível por meio da estratégia de Long & Short.

Saiba mais sobre o que é e como funciona a estratégia de Long & Short a seguir!

O que é Long & Short?

Como já falamos anteriormente, o Long & Short é uma estratégia que combina as operações de compra e venda de dois ativos.

Imagine que existam duas ações e que, por algum motivo – por meio de análise fundamentalista ou técnica, você entenda que uma destas ações terá uma performance melhor que a outra. Veja duas situações abaixo:

Situação 1:

Imagine que exista um determinado cenário econômico onde se espera a alta do dólar. Imagine também que um determinado setor “X” se beneficie desse movimento, enquanto um outro setor “Y” se prejudica com esse mesmo movimento.

Nesta situação, o Long & Short seria a possibilidade de montar uma operação que se beneficiasse de uma performance melhor de uma empresa do setor X contra uma empresa do setor Y.

Situação 2:

Outra possibilidade seria quando duas ações que tenham uma forte correlação histórica de preços entre si e que, em uma distorção momentânea do mercado, esta mesma correlação esteja diferente do habitual. Pode-se também montar um Long & Short para tentar obter ganhos simplesmente com o retorno à correlação habitual.

 

Nesses dois exemplos, o investidor poderá fazer uma operação não apenas para ganhar na alta ou na queda, mas tentar obter ganhos no simples fato de uma ação conquistar, eventualmente, uma performance superior a de outra ação.

A estratégia de Long & Short é, portanto, uma estratégia não-direcional – ou seja, mesmo que a bolsa suba, caia ou mantenha-se onde está, ainda assim é possível obter lucros. Isso porque os ganhos da operação para o investidor se darão na diferença de performance entre dois ativos – e não na movimentação direcional do mercado em si.

Para que essa estratégia seja executada, o investidor faz a compra da ação que espera que tenha melhor performance (a chamada “ponta long” ou “ponta comprada”) e simultaneamente a venda com aluguel do mesmo montante financeiro da ação que espera que tenha pior performance (a chamada “ponta short” ou “ponta vendida”).

Exemplo de operação Long & Short

Considere que historicamente, ao dividir o preço de uma ação A pelo preço de uma ação B você, tenha um fator de 1,1. Ou seja: quando A custa 11,00, B custa 10,00. Quando A custa 22,00, B custa 20,00. Quando A custa 5,50, B custa 5,00. Ou seja: historicamente se você dividir o valor da ação A por B, você terá o fator 1,1.

Agora imagine que num dado momento ocorra uma distorção no mercado e que esse fator esteja em 1,00 e que você espera que essa distorção seja corrigida para retornar à normalidade que seria o fator 1,1. Para que isso ocorra, será necessário que a ação A tenha uma performance melhor que a ação B e, assim, você tem a oportunidade de fazer uma operação de Long & Short!

A montagem da operação seria a seguinte: compra da ação A e venda simultânea da ação B. Supondo que o preço de ambas esteja a 10,00, e você monte uma operação com 10 mil reais, então você fará compra de 1.000 ações de A a 10,00, totalizando 10 mil e venda de 1.000 ações de B, totalizando 10 mil.

Observe que nesse caso, você não precisa que A suba e B caia. Você precisa apenas que A tenha uma performance melhor que B. Se as duas subirem, você precisa que A suba mais que B. Se as duas caírem, você precisa que A caia menos do que B.

Vamos supor que ambas caiam, mas A caia de 10 para 9,90 e B caia de 10 para 9,00. Neste caso, o fator entre elas retorna para 1,10 e você terá ganho na operação e poderá desfazê-la com lucro. Veja como ficará o resultado:

Ponta Long:

  • Compra de A a 10,00 e venda de A a 9,90 = prejuízo de 0,10 x 1.000 ações = 100,00

Ponta Short:

  • Venda de B a 10,00 e compra de B a 9,00 = lucro de 1,00 x 1.000 ações = 1.000,00

Resultado do Long & Short:

  • Prejuízo de 100 na ponta Long e ganho de 1 mil na ponta Short = lucro de 900,00!

Repare que mesmo com a queda das duas ações a operação foi vencedora! Então, no Long & Short, não importa se o preço das ações vai subir ou cair. O que importa é que a ponta comprada performe melhor que a ponta vendida!

Nesta situação, você não utilizará valor financeiro algum – já que você estará, simultaneamente, comprado em uma ação e vendido em outra, sendo que a venda da posição vendida lhe gerará caixa suficiente para comprar a primeira ação, o que significa que o Long & Short é uma operação alavancada.

Riscos, custos e garantia do Long & Short

Assim como em qualquer outra operação alavancada realizada no mercado, a bolsa brasileira exige do investidor o depósito de garantias para a realização da operação de Long & Short, que pode ser em dinheiro ou ativos que o investidor já possua. Esta operação é, portanto, uma operação com alavancagem financeira – uma vez que é lastreada nas margens de garantia.

É primordial ressaltar também que, nos casos em que a operação montada vá na contramão da posição do investidor (ou seja, quando a ponta vendida performa melhor que a ponta comprada), o resultado será de prejuízo! E caso o investidor deseje se manter na posição poderá ser necessário utilizar mais garantias, aumentado os riscos.

Por isso, antes de entrar na operação, é fundamental que o investidor tenha conhecimento dos riscos aos quais está exposto, além dos custos e das garantias envolvidas.

Os custos da operação de Long & Short são:

  • Corretagem pela compra e venda dos ativos nas pontas comprada e vendida;
  • Emolumentos da bolsa pela compra e venda dos ativos nas pontas comprada e vendida;
  • Aluguel da ação na ponta vendida.

Há também a necessidade da margem de garantia, como já falei, mas é bom frisar que a margem de garantia não é exatamente um custo, pois é devolvida ao final da operação! De toda forma é obrigatório que se tenha margem suficiente durante toda a operação!

Com relação ao risco, convém avaliar a pertinência do uso do Stop Loss para evitar que as coisas saiam do controle em caso de prejuízo!

Conclusão

O Long & Short é mais uma estratégia disponível para investidores que desejam diversificar suas operações em renda variável e que buscam encontrar possibilidades de ganhos independente da direção do mercado. Esta estratégia pode ser adotada pelo próprio investidor ou pode-se optar por um fundo que realize tais operações.

Se você investe em ações e gosta de realizar operações no mercado financeiro, o Long & Short pode ser uma estratégia interessante para diversificação. Antes de se arriscar nesta operação, entretanto, é imprescindível que o investidor esteja ciente não apenas das características, mas também dos riscos e custos desta operação.

Somente por meio de um conhecimento sólido sobre o mercado e sobre esta estratégia de operação em renda variável o investidor conseguirá assimilar e manejar corretamente os riscos e decidir, de maneira assertiva, se vale ou não a pena expor-se aos riscos e investir nas operações de Long & Short.

Posts relacionados

Deixe seu comentário 2

    1. Olá, Celso! O valor da margem de garantia muda de uma corretora para outra e também entre os produtos. Dessa forma, o ideal é verificar com a corretora a qual você tem conta a antes de investir. 🙂

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima