Coluna André Bona

2019: o ano em que você vai planejar definitivamente a sua aposentadoria

Garantir uma vida financeira tranquila na terceira idade certamente está nos planos de todas as pessoas. Muita gente, no entanto, acaba mantendo o velho – e terrível – hábito de se preocupar com a aposentadoria apenas quando esta realidade já está batendo à porta.

Se você ainda não começou a planejar sua aposentadoria – por mais distante que ela pareça estar, sugiro que você dê início o quanto antes a este planejamento. Afinal, o ano de 2019 promete muitas mudanças relacionadas à aposentadoria por meio da Previdência Social, e você deve estar preparado para absorver estas alterações sem comprometer a qualidade da sua vida na velhice.

Quer descobrir como planejar sua aposentadoria em 2019 e começar a construir um futuro muito mais confortável para você e sua família? Então o artigo de hoje é para você. Continue a leitura e saiba como e por que 2019 será o ano em que você vai planejar definitivamente a sua aposentadoria!

Um panorama da Previdência Social

Todos os brasileiros vêm acompanhando, nos últimos anos, a discussão sobre a reforma da Previdência e a necessidade de mudanças imediatas para um maior controle das contas públicas pelo governo federal – uma vez que o maior impacto financeiro que existe no governo atualmente é, justamente, a Previdência Social. E, para 2019, a expectativa é que haja a votação da reforma da Previdência, para que algumas distorções que geram este grande déficit ao governo sejam, finalmente, corrigidas.

A necessidade de alterações no âmbito da Previdência Social é real e, a cada dia que passa, mais e mais cidadãos compreendem que estas mudanças precisam ocorrer.  E não importa se você concorda ou não com a reforma da Previdência: o rombo na Previdência existe – e tende a aumentar ano após ano, principalmente em um contexto de população vivendo cada vez mais tempo na comparação com 30 ou 40 anos atrás.

Diante deste cenário, a reforma da Previdência Social virá para nós, brasileiros – mais cedo ou mais tarde. E nenhum de nós poderá fugir desta realidade.

Por isso, neste momento de transição e de algumas incertezas, é fundamental que você comece a fazer um planejamento de aposentadoria que não dependa, na prática, do governo federal. Esta é a hora de tomar as rédeas da sua vida financeira e planejar sua aposentadoria em 2019 – deixando de lado o hábito de procrastinar este planejamento e dando início à acumulação de patrimônio para um futuro muito mais tranqüilo.

Como começar a planejar a aposentadoria?

A primeira dúvida que vem à mente das pessoas quando o assunto é planejar a aposentadoria é como dar os primeiros passos nesta caminhada para não passar sufoco financeiro na velhice. Particularmente, acredito que existem quatro passos fundamentais para dar início ao planejamento da aposentadoria e obter êxito nesta empreitada.

Conheça cada um destes passos essenciais para quem vai planejar definitivamente a aposentadoria em 2019:

1.     Organizar as finanças

O primeiro passo para planejar de forma correta a aposentadoria é organizar as finanças. Isso porque todas as decisões financeiras e de comportamento financeiro de qualquer pessoa estão relacionadas diretamente às escolhas de cada um.

Quando, por exemplo, você está habituado a investir no consumo daquilo que lhe renda prazer imediato, está automaticamente renunciando a um benefício que poderá ter lá na frente – e vice-versa. Aliás, o grande dilema das pessoas é justamente pensar no futuro ou viver o presente.

A chave para a solução deste dilema é o equilíbrio. Não é necessário ter uma vida miserável no presente pensando no futuro e nem viver gastando tudo o que recebe sem pensar no seu futuro.

Organize suas finanças e mantenha sempre o equilíbrio entre os planos para o presente e os planos para o futuro. Desta forma, você será capaz de escolher privilegiar a qualidade de vida na velhice sem precisar abrir mão de certo conforto no seu presente.

2.     Desenvolver um orçamento anual

O segundo passo para dar início ao planejamento da aposentadoria de maneira correta é desenvolver um orçamento anual. Utilizar o final deste ano e o início do próximo ano para elaborar este orçamento pode, inclusive, ser uma boa ideia para acelerar o seu processo de planejamento da aposentadoria.

Para elaborar este orçamento anual para o ano de 2019, é altamente recomendado que você se baseie no que ocorreu na sua vida financeira no ano de 2018. Identifique quais foram os seus gastos em cada um dos meses deste ano e busque utilizar a realidade – e não a estimativa – para planejar o seu 2019.

Basear-se na realidade e não em uma simples estimativa é fundamental para desenvolver um orçamento anual em linha com os seus gastos, na prática. Assim, você evitará uma situação bastante comum, que é justamente fazer um planejamento teórico pouco ou sem qualquer alinhamento com a sua realidade – resultando em uma mensuração equivocada de custos e em dificuldades cada vez maiores para poupar dinheiro.

Se você não tiver o hábito de fazer um orçamento e de controlar suas finanças mensalmente, é possível que você tenha um pouco mais de dificuldade para desenvolver este orçamento anual – uma vez que você não conseguirá discernir com clareza os custos que você teve ao longo do último ano. Apesar disso, é sempre possível começar a fazer o planejamento anual do zero – buscando sempre atualizar este orçamento ao longo dos meses e melhorar suas projeções por meio de uma análise do que ocorreu, de fato, no seu mês anterior.

Uma dica importante neste processo de planejamento anual é jamais desconsiderar a sazonalidade dos custos – como pagamento de seguro de veículo, IPTU, IPVA, material escolar, presente de aniversário para familiares mais próximos, entre outros. Estas obrigações geram custos pontuais em uma determinada época do ano e podem impactar no seu orçamento se não forem considerados corretamente – gerando, inclusive, dificuldades financeiras.

Mantendo um orçamento anual baseado na sua realidade financeira e nos seus custos reais mês a mês, ficará muito mais fácil reservar uma parte dos seus ganhos para custear sua aposentadoria no futuro.

3. Construir a reserva de emergência

Uma vez que você organizou suas finanças e desenvolveu um orçamento anual, o próximo passo é construir a reserva de emergência – um montante de capital que equivalha a, pelo menos, 6 vezes sua renda mensal. Esta reserva servirá para lhe oferecer segurança financeira em caso de necessidade.

Tenha em mente que não faz sentido algum guardar dinheiro para a aposentadoria se você não tiver uma reserva de emergência construída. Isso porque, em caso de alguma eventualidade financeira, você poderá precisar retirar o dinheiro destinado à aposentadoria para cobrir seu orçamento.

A reserva de emergência, portanto, blinda e protege a formação do seu patrimônio e a sua previdência.

4. Começar a poupar para o longo prazo

No momento em que você entende que não é possível contar apenas com a Previdência Social para garantir uma aposentadoria  tranquila, começa a organizar suas finanças, faz seu orçamento anual e conclui sua reserva de emergência, você atinge um patamar no qual é possível ter um resultado financeiro mensal positivo – lhe permitindo acumular patrimônio. A partir daí já é possível dar início ao próximo passo: começar a poupar para o longo prazo.

Nesta etapa, o foco deixa de ser o planejamento da aposentadoria e passa a ser a ação, de fato, de construir uma aposentadoria mais confortável – poupando dinheiro para o longo prazo com a finalidade de construir patrimônio para financiar sua aposentadoria.

Na iminência de uma reforma da Previdência, se faz ainda mais necessário começar agora a planejar sua aposentadoria, acumular patrimônio para o longo prazo e garantir um futuro financeiro muito mais sereno e equilibrado – livre de preocupações em relação ao dinheiro. Em 2019, portanto, organize-se, planeje-se e dê início, de uma vez por todas, à construção da sua aposentadoria.

Como escolher a melhor instituição para realizar meus investimentos de longo prazo?

Para tomar decisões de investimentos mais adequadas e em linha com seus objetivos de longo prazo – como a aposentadoria, você deve contar com uma boa plataforma digital e assessoria de investimentos gabaritada. Escolher um banco de investimentos conceituado e com expertise comprovada pode lhe ajudar a encontrar as melhores opções de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal.

Por isso, minha recomendação é a plataforma do BTG Pactual digital, onde é possível ter acesso a produtos de diversos bancos e encontrar as melhores opções de investimento de longo prazo, além de poder contar com toda a expertise de mais de 35 anos em investimentos e gestão de recursos para fazer seu planejamento de investimentos, executá-lo e desfrutar no futuro de uma aposentadoria confortável.

 

Posts relacionados

Deixe seu comentário 0

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima