Quem quer rentabilizar a carteira e ter possibilidades de ganhos maiores — especialmente no longo prazo — precisa saber como investir em ações. Esse tipo de investimento tem se tornado cada vez mais popular entre os investidores que buscam alternativas mais atrativas do que a renda fixa.

No entanto, é preciso dizer que existem riscos ao investir em ações e eles devem ser considerados. Os investimentos seguros continuam tendo importância em uma estratégia de investimentos. Caso queira arriscar mais em busca de maiores rentabilidades, é importante entender a dinâmica do mercado.

Neste artigo, você entenderá como perder o medo de investir em ações com 6 dicas simples. Vamos lá?

O que é e como funciona o mercado de ações?

Para começar, vamos entender mais sobre o mercado de Ações. Ele é o ambiente de negociação em que os investidores realizam a compra e a venda de ativos de empresas de capital aberto. As operações acontecem por meio da bolsa de valores.

O mercado financeiro e o mercado de capitais se movimentam de acordo com diversos fatores, como mudanças econômicas, políticas, empresariais etc. Tanto questões nacionais quanto em outros países provocam reações na bolsa de valores.

Entre as principais características do mercado de ações estão o risco e a alta volatilidade. Como consequência, existem momentos de altos e baixos nesse mercado. Mas, com conhecimento e estratégia, é possível manter o risco controlado e buscar boas rentabilidades. Se quiser saber mais sobre volatilidade, clique aqui e acesse o nosso conteúdo sobre o tema.

Portanto, é fundamental avaliar o contexto econômico, o histórico da empresa e o desempenho dela na bolsa antes de começar a investir. Também é importante lembrar que resultados positivos no passado não garantem lucros futuros.

Por fim, vale destacar que não são apenas as ações que são negociadas na bolsa de valores. É possível investir, por exemplo, em Fundos Imobiliários (FIIs), Exchange Traded Funds (ETFs), além de operar com derivativos no mercado futuro.

Saiba mais em: Mercado de Ações: o que é, como funciona, como investir e vantagens

6 dicas para começar a investir em ações

Agora que você sabe um pouco mais sobre como investir em ações e o funcionamento do mercado, pode conferir as 6 dicas que preparamos para começar.

Acompanhe!

1. Conheça o mercado e suas alternativas

Já apresentamos um pouco sobre o mercado de ações. Entendê-lo é o primeiro passo que qualquer investidor deve dar antes de investir. Seus investimentos são feitos diretamente na bolsa de valores por meio da plataforma de investimento disponibilizada por um banco de investimentos.

Para comprar uma ação com mais segurança, é válido pesquisar e estudar o ativo. Se você não tem muito tempo para fazer as análises necessárias, existe a opção de investir em fundos de ações ou em ETFs. As alternativas têm a vantagem de contar com o trabalho de gestores.

2. Analise seu perfil e seus objetivos

Existem possibilidades para investir ações de acordo com diversos perfis e objetivos, tanto de investimento quanto de especulação. Então, você deve analisar qual é a sua tolerância ao risco e quais são as suas expectativas em curto, médio e longo prazo.

Devido à volatilidade das ações, o investimento é mais indicado para perfis moderados e arrojados. Isso também faz com que elas sejam mais adequadas para o longo prazo, caso você não queira se expor tanto.

O motivo é que, mesmo com variações no curto prazo, empresas com bons fundamentos tendem a recuperar seu crescimento e ter resultados positivos no futuro.

3. Tenha uma estratégia clara

Quem investe em ações com foco no longo prazo tem basicamente duas formas de rentabilizar com o investimento. É possível lucrar, por exemplo, com a valorização do preço dos papéis ao longo do tempo.

Outra possibilidade é investir visando receber dividendos. Eles são parte dos lucros das empresas que pode ser distribuída aos acionistas.

A distribuição de dividendos é obrigatória no Brasil, mas eles são pagos de acordo com regras próprias das companhias. Assim, o percentual e a frequência da distribuição dependem do que estiver registrado no estatuto da empresa.

4. Faça uma análise de fundamentos

A análise de fundamentos é a mais utilizada por investidores de longo prazo. Ela ajuda a escolher a ação para investir e pode indicar os melhores momentos para comprar e vender os ativos.

Em geral, quem faz essa avaliação quer se tornar sócio de boas empresas e montar uma carteira de investimentos sólida. Logo, com potencial para dar resultados consistentes em um grande intervalo de tempo.

A análise fundamentalista serve para entender a situação econômica, financeira e mercadológica de uma companhia. A partir de um estudo mais aprofundado, o investidor pode traçar um perfil completo da empresa e do ativo, visando estabelecer projeções. Saiba mais sobre o tema no vídeo a seguir:

5. Tenha constância nos aportes

Ter disciplina e constância nos aportes é fundamental para ter sucesso nos investimentos. Aplicar dinheiro frequentemente é uma estratégia muito usada por quem busca concretizar seus objetivos. Afinal, a prática aumenta o seu patrimônio.

Ao fazer aportes constantes, você pode avaliar as melhores ações e montar uma carteira diversificada. Essa atitude também permite alcançar a melhor relação entre risco e retorno, de acordo com a sua tolerância às variações da bolsa.

Mensalmente, nossos analistas do time de research mais premiado do país, divulgam a carteira recomendada de ações com as melhores oportunidades do mês. Acesse aqui a carteira recomendada gratuitamente.

6. Estude sempre sobre o assunto

Como vimos, o mercado financeiro tem diversas características que podem tornar o investimento em ações vantajoso. Contudo, a bolsa de valores é influenciada por fatores que podem levar à queda — e todo investidor precisa estar preparado para as possíveis perdas e ganhos.

Portanto, você deve seguir sempre aprendendo sobre o assunto. Por exemplo, por meio de cursos, vídeos, grupos de estudo, entre outros. Acompanhe as notícias sobre o mercado financeiro e lembre-se de que investir em conhecimento é importante em qualquer área. E este investimento não precisa ser em dinheiro. Aqui no #BlogBTG e também em nosso canal do YouTube temos diversos conteúdos que podem ser fundamentais em sua jornada de aprendizado.

Quanto mais você estuda, melhor pode ficar a sua estratégia de investimento. Assim, é possível diluir os riscos e aumentar as chances de ter resultados positivos na bolsa.

Com a queda na taxa de juros, o mercado de renda variável está ganhando cada vez mais espaço entre os investidores. Mas, para perder o medo de investir na bolsa, você deve entender como investir em Ações e saber como funciona a dinâmica do mercado!

Conte com o BTG Pactual digital nessa jornada! Continue acompanhando nossos conteúdos e aproveite para ler também nosso Guia completo de renda variável e saiba tudo sobre este universo de possibilidades.

Posts relacionados

Deixe seu comentário 0

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima