Você já ouviu falar em Ancord? É uma certificação necessária para uma área de atuação está ganhando cada vez mais notoriedade no mercado brasileiro: o Agente Autônomo de Investimentos (AAI).

Para te ajudar a entender melhor como funciona essa certificação e o que é preciso para obtê-la, separamos as principais informações obre a prova. Confira!

O que é Ancord?

A sigla ANCORD significa Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias. A entidade é responsável por credenciar e certificar os Agentes Autônomos de Investimento (AAI) no país.

Para obter autorização para se tornar um AAI, é preciso realizar uma prova promovida pela associação em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Como funciona a prova da Ancord?

A prova para obter a certificação da Ancord possui ao todo 80 (oitenta) questões objetivas de múltipla escolha com quatro alternativas. O candidato possui ao todo 2h30 para realização do exame.

Para ser aprovado, o candidato deve obter 70% de acerto na prova e no mínimo 50% das questões dos cinco tópicos principais, destacados no regulamento do exame. Todos os detalhes o candidato pode conferir no Manual de Candidatura do Exame de Certificação para Agentes Autônomos de Investimento e Empregados de Instituições Financeiras, disponível no site da FGV.

A aplicação, correção dos exames e divulgação dos resultados são de responsabilidade da Fundação Getúlio Vargas, apenas o conteúdo programático é responsabilidade da Ancord. A lista de aprovados você confere no site da associação.

Conteúdo da prova

O conteúdo da prova definido pela Ancord deve ser previamente aprovado pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários). Confira os principais tópicos abordados na prova.

  • A Atividade do Agente Autônomo de Investimento
  • Código de Conduta do Agente Autônomo de Investimento
  • Lei nº 9.613/98
  • Economia
  • Sistema Financeiro Nacional
  • Instituições e Intermediadores Financeiros
  • Administração de Risco
  • Mercado de Capitais – Produtos – Modalidades Operacionais – Liquidação
  • Fundos de Investimentos
  • Outros Fundos de Investimento Regulados pela Comissão de Valores Mobiliários – CVM
  • Securitização de Recebíveis
  • Clubes de Investimentos
  • Matemática Financeira – Conceitos Básicos
  • Mercado Financeiro – Outros produtos não classificados como valores mobiliários – Modalidades – Operacionais – Liquidação
  • Mercados Derivativos – Produtos – Modalidades Operacionais – Liquidação

Para conferir o detalhamento do conteúdo programático, clique aqui.

Como realizar a inscrição na prova da Ancord?

As inscrições da prova da Ancord são realizadas exclusivamente pela internet, no site da parceria entre a Ancord e a FGV. Clique aqui para acessar.

No entanto, é preciso atentar-se ao agendamento porque é o próprio candidato que define quando irá realizar a prova. Após preencher o formulário de inscrição e efetuar o pagamento da taxa, o candidato tem até 60 dias para agendar a data do exame. Caso você perca o prazo, a inscrição será automaticamente cancelada e não haverá reembolso da do valor pago.

Quanto custa a prova da Ancord?

Assim como em outras certificações, para realizar a prova é preciso arcar com o valor da taxa de inscrição. De acordo com o regulamento divulgado pela associação, até o primeiro semestre de 2019, o valor da taxa de inscrição foi de R$460,00 (quatrocentos e sessenta reais). Não há possibilidade de pedir isenção do valor da inscrição.

O pagamento é realizado exclusivamente via boleto, em qualquer banco. Não são aceitas transferências bancárias.

Requisitos para realizar a prova

Para estar elegível a realizar a prova, é preciso:

  • Ler e concordar com o Regulamento.
  • Não possuir antecedentes criminais e encontrar-se no pleno exercício de seus direitos civis.
  • Ter concluído o ensino médio ou equivalente em instituição reconhecida oficialmente.

Onde as provas da Ancord são realizadas?

As provas da Ancord são realizadas em diferentes partes do país em locais homologados pela FGV (Fundação Getúlio Vargas). Para saber os locais disponíveis em seu estado basta acessar o site oficial da certificação, clicar em “Centros de Testes” e selecionar seu estado. Também é possível consultar os horários de aplicação disponíveis.

Emissão de certificado Ancord

Os candidatos aprovados na prova devem acessar o site da Ancord e preencher a Solicitação da Emissão de Certificado. Feito isso, a associação irá exigir a apresentação de alguns documentos. Depois da entrega da documentação, o certificado será expedido em até 5 dias úteis.

De acordo com a associação, o prazo de validade do exame técnico de certificação para obter o credenciamento da Ancord e o registro da CVM para exercer a atividade é de 1 ano, contado a partir da data de divulgação do resultado do exame.

Descubra como ser um Agente Autônomo de Investimento

Dicas para os candidatos

Se você está pensando em fazer a prova da Ancord, separamos algumas dicas que podem te ajudar.

  • Confira o local da prova alguns dias antes da data agendada, no menu “Agendamento”.
  • Anote a data da prova em local de fácil acesso e, de preferência, deixe um lembrete na sua agenda do celular.
  • No dia da prova, chegue com ao menos 30 minutos de antecedência.
  • Não se esqueça de levar seu documento oficial com foto e CPF.
  • Você precisará do seu login e senha de acesso ao sistema de agendamento para realizar a prova. Quem não souber a senha e não levar o documento original com foto, não poderá realizar e exame.
  • Não é preciso levar caneta ou lápis, a prova é realizada pelo computador da instituição.

História da Ancord

A história da Ancord começou na década de 70 com a iniciativa de criar uma entidade de classe para representar as Sociedades Corretoras. Em 1972, foi criada a ASCESP (Associação das Sociedades Corretoras e Câmbio do Estado de São Paulo), um marco para o mercado de capitais brasileiro.

Na década seguinte, a associação adquiriu status de entidade e, em 1982, passou a levar o nome de ANCOR – Associação Nacional das Corretoras de Valores. Já em 1992, ganhou um acréscimo “Valores Câmbio e Mercadorias” no nome.

As empresas de distribuição e mediação de títulos e valores mobiliários e os Agentes Autônomos só foram aceitos no quadro associativo em 2004. Três anos depois, em 2007, ocorreu a entrada dos bancos de câmbio.

Até que, em 2011, com a incorporação da ADEVAL (Associação das Empresas Distribuidoras de Valores), a associação passou a se chamar ANCORD – Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias. Atualmente, a associação ficou ainda mais conhecida com a notoriedade que a carreira de Agente Autônomo de Investimento vem ganhando no mercado.

Ficou com alguma dúvida sobre como se tornar um Agente Autônomo de Investimento? Conte para a gente aqui nos comentários que vamos te ajudar!

Quer se tornar um Agente Autônomo de Investimento do BTG Pactual? Clique aqui e saiba mais.

Posts relacionados

Deixe seu comentário 0

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima