Ser um agente autônomo de investimentos (AAI) vem se tornando uma alternativa de carreira cada vez mais interessante para profissionais do mercado financeiro. Afinal de contas, é uma escolha que pode trazer muita liberdade aliada com grande potencial financeiro. Porém, como se estabelecer e obter sucesso nessa carreira?

Conversamos com Débora Scolmeister, Thais Todesco, Jeniffer Chiesa, sócias dos escritórios de AAI do BTG Pactual TJRD e Vilma Passos, do VNP, para entender um pouco mais o segredo do sucesso nessa carreira. Confira, abaixo, o passo a passo para crescer neste mercado.

1 – Relacionamento com o cliente
O primeiro passo é ter um bom relacionamento com o cliente. “Ao longo de décadas de trabalho no mercado, pudemos perceber que a relação estreita e de confiança com o cliente é o que faz com que ele siga confiando em você”, pontua Débora, que, assim como suas sócias, conta com larga experiência no mercado de private banking no Brasil. “Quando migramos para o BTG Pactual, tivemos uma recepção muito grande dos clientes e creio que isso também acontece pela proximidade com que sempre tratamos eles”, completa Thaís.

Quer ter liberdade para empreender no mercado financeiro? Seja BTG. Clique e saiba mais

2 – Empreendedorismo
Conforme foram saindo de suas carreiras no setor bancário para se tornarem agentes autônomas de investimento, as assessoras contam que foram percebendo o tamanho do trabalho que seria começar essa nova carreira. “Para ser agente autônomo você tem que estar disposto a empreender, buscar crescer e ter foco no longo prazo. As coisas não acontecem em apenas seis meses, é muito importante estar preparado para turbulências e mudanças de mercado, afinal esse é um trabalho de médio e longo prazo, além de ter um pipeline definido para seguir crescendo. Dá para ganhar mais do que sendo funcionário de um banco, mas para isso acontecer, não dá para ficar acomodado”, afirma Thaís.

Assim, passa a ser importante, além de manter uma relação próxima com os clientes, estabelecer metas pessoais de crescimento e captação, bem como se preocupar em como desenvolver seu negócio como um todo, passando pelos gastos com pessoal e até mesmo manutenção de estrutura física.

3 – Integração entre o time
Como é possível perceber, o desenvolvimento de um escritório de agentes autônomos de sucesso passa, obrigatoriamente, pela formação de um time coeso e que seja capaz de lidar com os desafios que venham a surgir e que tenham a mesma visão empreendedora. E esse é justamente um dos principais pontos fortes das assessoras.

“Já nos conhecemos e trabalhamos juntas há muitos anos, o que ajuda bastante na sintonia para crescermos”, pontua Jeniffer, que complementa destacando que pessoas que queiram entrar no mercado de AAI precisam buscar outros profissionais que com quem tenham um bom relacionamento e visões profissionais semelhantes. Tamanha sinergia fez as sócias tomarem a decisão de se juntarem em uma nova casa de agentes autônomos, que se chamará Integra Invest.

Seja agente autônomo BTG Pactual e conte com a experiência do Maior Banco de Investimentos da América Latina

4 – Formação e aprendizado
Por fim, outro conselho de Thaís para se tornar um agente autônomo de investimentos é começar pelo básico: estudar e tirar a certificação da Ancord (Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias). Outras certificações como o CPA-20 e, especialmente, o CFP (Certified Financial Planner) também são desejadas para quem quer se especializar mais.

Posts relacionados

Deixe seu comentário 0

Você está a um passo para investir com mais segurança e tranquilidade.
Crie sua conta agora


Preencha com seu nome

Preencha com seu e-mail

Preencha com seu telefone

Está com dúvidas? Entre em contato com a gente!

ENTRE EM CONTATO

O Grupo BTG Pactual (“BTG Pactual”) não fornece opiniões jurídicas ou tributárias. Sendo assim, essa apresentação não constitui aconselhamento legal de qualquer natureza. Essa apresentação é um breve resumo de cunho meramente informativo, não configurando análise de valores mobiliários nos termos da Instrução CVM Nº 598, de 03 de maio de 2018, e não tendo como objetivo a consultoria, oferta, solicitação de oferta e/ou recomendação para a compra ou venda de qualquer investimento e/ou produto específico. Embora as informações e opiniões expressas aqui tenham sido obtidas de fontes confiáveis e fidedignas, nenhuma garantia ou responsabilidade, expressa ou implícita é feita a respeito da exatidão, fidelidade e/ou totalidade das informações. Todas as informações, opiniões e valores eventualmente indicados estão sujeitos à alteração sem prévio aviso. Ressaltamos também, que as opiniões expressas neste material refletem a opinião do respectivo profissional convidado e não necessariamente expressam a opinião do BTG Pactual, não devendo ser tratadas como tal. As informações contidas nesta apresentação não podem ser consideradas como única fonte de informações no processo decisório do investidor, que, antes de tomar qualquer decisão, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos, face aos seus objetivos pessoais e ao seu perfil de risco ("Suitability"). Para maiores informações, acesse www.btgpactualdigital.com

Os riscos da operação com títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) estão na capacidade de o emissor honrar a dívida; na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo; e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores. É importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. CDB, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil reais por CPF e por instituição financeira, considerando o limite de garantia de R$ 1 milhão para cada período de quatro anos.

FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. E recomendada a leitura cuidadosa do Formulário de Informações Complementares e Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos.

Ressaltamos que as opiniões e projeções referente COE, aqui apresentadas representam a opinião da área Structured Products do BTG Pactual, mas não necessariamente a opinião institucional do BTG Pactual, podendo o BTG Pactual, suas subsidiárias e/ou seus empregados podem, eventualmente, possuir uma posição comprada ou vendida, atuar em nome próprio e/ou como coordenador ou agente em operações envolvendo ações ou demais investimentos relevantes. COE NÃO CONTA COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA.

Os regulamentos completos dos Planos de Previdência da BTG Pactual Vida e Previdência S/A deverão ser lidos previamente a sua contratação. Os direitos e obrigações das partes estão definidos na Proposta e nos Regulamentos do plano contratado. É recomendada a leitura cuidadosa do regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O registro do plano na Susep não implica, por parte da autarquia, incentivo ou recomendação de comercialização. O Participante/Segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na Susep, nome completo, CNPJ ou CPF. BTG Pactual Vida e Previdência S/A - CNPJ: 19.449.767/0001-20. Processos SUSEP PGBL: 15414.901924/2014-44 e VGBL: 15414.901922/2014-55.

Fundos de investimento não contam com garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos FGC. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamento do fundo de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. Os investidores devem estar preparados para aceitar os riscos inerentes aos diversos mercados em que os fundos atuam e, consequentemente, possíveis variações no patrimônio investido. Os produtos e serviços aqui mencionados podem não estar disponíveis em todas as jurisdições ou para determinadas categorias de investidores. Adicionalmente, a legislação e regulamentação de proteção a investidores de determinadas jurisdições/países, pode não se aplicar a produtos e serviços registrados em outras jurisdições/países, sujeitos à legislação e regulamentação respectivamente aplicáveis, além de previsões contratuais específicas.

Anbima Anbima